Henrique J. C. de Oliveira, Minidicionário Ideológico e Cruzadístico, Aveiro, 1999.


A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z

P <<<

Prego Haste metálica pontiaguda para fixação de materiais. Cravo, brocha, tacha; Gír. do Porto: alfinete de gravata; Fam. e Pop. casa de penhores. Gír. de Lx: carne grelhada num pão; Zool. variedade de peixe; Bras. bebedeira, cansaço, decisão inabalável. Baía Gír. indivíduo de cor preta. / - com cabeça em argola: pitão / - com cabeça lavrada para ornamento: cabochão / - com dois bicos: cavilha.

Prejudicar Lesar, danificar, deteriorar, inutilizar, embaraçar, escaldar (fig.).

Prémio Recompensa, paga, pagamento; dádiva, brinde, oferta, presente; galardão. / - por achar objectos perdidos: alvíssaras, achádego.

Prender Amarrar, atar, fixar, manietar, manter, reunir. / - com elos: elar.

Preparar Afrontar, aprontar, arranjar; planear, premeditar; predispor; armar, dispor, maquinar; provocar, excitar, fomentar; aprender, estudar, meditar; Pop. castrar, capar; dissecar. / - tábua com plaina: aparelhar, aplainar / - excursão: organizar / - o espírito: predispor / - uma pedra: esquadriar / - um espaço: arranjar, decorar, dispor / - refeição: confeccionar.

Prerrogativa Privilégio, regalia; favor, honra, vantagem; apanágio, faculdade; precedência, preferência, primazia.

Prescrever Determinar, mandar, ordenar, impor; aconselhar, preconizar, preceituar; decretar, fixar, legislar; cair em desuso, ficar sem efeito, caducar.

Presságio Agouro, augúrio, conjectura, hipótese, oráculo, prenúncio, pressentimento, previsão, profecia.

Presunçoso Que tem presunção ou vaidade; presumido; afectado; pedante.

Pretensão Acto ou efeito de pretender. Vontade, desejo ambicioso; aspiração, desiderato; afectação, presunção; exigência, reclamação; Pl. bazófia, vaidade, ostentação / - leviana: veleidade.

Pretensiosismo Afectação, fatuidade, presunção, vaidade exagerada; arrogância, enfatuamento, soberba.

Prevenir Preparar, precatar, precaver; avisar; evitar, acautelar.

Previsão Adivinhação, antecipação; augúrio, presságio, profecia, oráculo, sina; conjectura, hipótese, prognóstico, suposição, vaticínio / ciência da previsão: futurologia / - atmosférica: meteorologia.

Princípio 1. Principal, basilar; 2. Início, começo; razão, base; preceito, regra, lei; máxima, sentença, norma, preceito moral; lei, regra científica; Pl. educação, formação, instrução; opiniões, convicções; Fig. ovo, fonte, origem / - da vida: génese / - admitido como base de trabalho: hipótese, postulado / - do dia: alva (alba) alvor, alvorada, aurora, dealbar, madrugada / - de um discurso: exórdio, proémio / - da obra onde se tecem considerações sobre ela: prefácio, prólogo, introdução / - lógico: axioma, proposição / homem sem -s: desonesto, devasso, desleal, imoral / - indemonstrável: axioma.

Prisão Cadeia, cárcere, penitenciária, (gír.) prisa /- num convento: clausura / pena de - detenção, reclusão / - subterrânea da antiguidade romana: ergástulo / - escura: aljube / - subterrânea e húmida: enxovia, masmorra / - estreita: estufilha / quarto de - cela / - preventiva: calaboiço / multa que antigamente se pagava ao entrar na - carcerática, carceragem.

Privado Adj. Que não é público. Interior, íntimo; falto, falho, destituído, desprovido; Adv. Antº. Depressa. S. m. Favorito, valido, confidente. / - de bom nome: difamado, infamado, ofendido, vilipendiado / - de um rei: áulico, confidente, favorito / - de juízo: demente, desajuizado, insensato, louco, tarado / - de escrúpulos: corrupto, crápula, desonesto, maquiavélico, patife, patifório.

Proa 1.Náut. Parte da frente do navio, oposta à popa; 2.Fig. fronte, frente, fachada, rosto, cara; soberba, orgulho, vaidade, presunção, altivez, importância.

Processar Instaurar processo, autuar.

Procurar Averiguar, achar, inquirir, investigar, examinar, experimentar

Proença-a-Nova Vila port. do dist. de Castº Branco. Freguesias: Alvito da Beira, Montes da Senhora, Peral, S. Pedro do Esteval, Sobreira Formosa.

Profanar Tornar uma igreja execrada e poluta. Desrespeitar, manchar, macular, violar; injuriar, ofender; aviltar, envilecer; blasfemar.

Profeta Aquele que prediz por inspiração divina. Vidente, adivinho; título dado pelos muçulmanos a Maomé ou Mafoma / Os 4 grandes -s: Daniel, Ezequiel, Isaías, Jeremias / - marinho de Os Lusíadas: Proteu.

Profundidade Distância desde a superfície ao fundo do oceano. O m.q. espessura e altura. Distanciamento. Abismo, abisso. Fig. penetração, saber. Profundeza, impenetrabilidade / aparelhos para exploração da - submarina: batisfera, batíscafo

Proibição Interdição; veto / levantamento de - : alta.

Promessa Acto de prometer. Compromisso. Oferta. / - solene: juramento /- de casamento: noivado / - legalmente constituída: acordo, contrato, convenção / - religiosa: voto.

Prometeu Titã e herói gr. q roubou o fogo aos e o deu aos homens, sendo castigado por Zeus q o amarrou a uma rocha, onde todos os dias uma águia lhe comia o fígado, q se renovava dt a noite.

Pronúncia Articulação. Despacho do juiz, sentença. / defeitos de - gaguez, fanhosidade / distúrbios na - dislalia / - errada das sílabas: silabada / disciplina que regula a - Ortoépia.

Propor Apresentar, expor, adiantar, alvitrar, sugerir; expor, indicar, lembrar; recontar, referir, relatar; oferecer em lanço.

Proporção Relação das partes com o todo. Dimensão, extensão, intensidade, tamanho, peso, gravidade; analogia, comparação, relação; harmonia, simetria, conformidade / - matemática: igualdade / feito com - proporcionado, harmónico, harmonioso.

Prorrogação Acto ou efeito de prorrogar. Adiamento, alargamento, dilatação, protaimento / anulação de uma - revogação.

Prosaico Relativo à prosa. Trivial, vulgar, banal; material, positivo. Obs. O superlat. é prosaicíssimo.

Prostituta Camborça, marafona, meretriz, mundana, pega, puta, rafona, rameira; cortesã, fina / aquele que vive à custa das -s: alcaiote, chulo, proxeneta, rufia / casa de -s: alcouce, bordel, lupanar, prostíbulo / - grega: hetera / correspondente masc. da - gigolô, prostituto.

Prostrar 1.Abaixar, derribar, abater, matar, assassinar, rebaixar, deprimir, derrotar, vencer, envilecer, desanimar, menoscabar, vexar, diminuir, afrouxar, quebrantar, enfraquecer; 2.descer, cair, desmoronar, desabar, amortecer, descair, amainar, amansar.

Proteger Defender, auxiliar, escudar, socorrer; cobrir, resguardar, garantir, defender; apoiar, recomendar / - um candidato: apoiar, apadrinhar, patrocinar / - da água: impermeabilizar.

Protestante Aquele que protesta; relativo ao protestantismo / nome dado outrora aos -s: huguenotes / reunião de ministros -s: consistório, sínodo / igrejas -s: Baptista, Calvinista reformada, Luterana, metodista / membros das seitas -s: anabaptistas, pietistas, puritanos, quakers.

Proveito Lucro, vantagem; benefício; ganho; utilidade; gozo; (fig.) fruto.

Prover Tomar providências acerca de; dispor, ordenar, regular; abastecer, munir, fornecer, providenciar; ornar, dotar; cuidar; municiar, apetrechar, aprovisionar.

Provérbio Adágio, aforismo, apotegma, anexim, ditado, sentença / estudo dos -s: paremiologia. Listagem: A ambição cerra o coração./ A apressada pergunta, vagarosa resposta./ A boca do ambicioso só se fecha com terra da sepultura./ A boda e a baptizado não vás sem ser convidado./ A cavalo dado não se olha o dente./ A desconfiança é a mãe da segurança./ A falta do amigo há-de se conhecer, mas não aborrecer./ A fome é inimiga da virtude./ A fome é o melhor tempero./ A galinha da minha vizinha é mais gorda que a minha./ Água mole em pedra dura tanto dá até que fura./Águas passadas não moem moinhos./ A ignorância e o vento são do maior atrevimento./ Amor com amor se paga./ A mulher e a sardinha, quer-se da mais pequenina./ A noite é boa conselheira./ Antes minha face com fome amarela, que vergonha nela./ A ocasião faz o ladrão./ A ociosidade é a mãe de todos os vícios./ Ao menino e ao borracho põe Deus a mão por baixo./ Ao rico mil amigos se deparam, ao pobre seus irmãos o desamparam./ A palavras moucas, orelhas moucas./ A quem do seu foi mau despenseiro não fies o teu dinheiro./ A razão e a verdade fogem quando ouvem disputas./ Arrenda a vinha e o pomar, se os queres desgraçar./ Atrás do tempo, tempo vem./ A um favor, mil favores; a piparote, chicote./ Boa fama granjeia quem não diz mal da vida alheia./ Boda e mortalha, no céu se talha. / Burro morto, cevada ao rabo. / Burro velho não toma andadura; e se a toma, pouco dura./ Cá e lá más fadas há./ Cada qual com seu igual./ Cada terra com seu uso, cada roca com seu fuso./ Cão que ladra não morde./ Casa roubada trancas à porta./ Cautela e caldos de galinha não fazem mal aos doentes./ Cautela e caldos de galinha nunca fizeram mal a ninguém./ Cavalo que voa não quer espora./ Cesteiro que faz um cesto faz um cento./ Cesteiro que faz um cesto faz um cento, dando-lhe verga e tempo./ Chega-te aos bons, serás um deles; chega-te aos maus, serás pior do que eles./ Choupana onde se ri vale mais que palácio onde se chora./ Com direito por teu lado, nunca receies dar brado./ Comida fina em corpos grossos faz mal aos ossos./ Com teu amo não jogues as pêras, porque ele come as maduras e deixa-te as verdes./ Criado que faz o seu dever, orelhas de burro deve ter./ Cria fama e deita-se a dormir./ Dá Deus nozes a quem não tem dentes. ( Da discussão nasce a luz./ Da mão à boca se perde muitas vezes a sopa./ Dá a César o que é de César e a Deus o que é de Deus./ Debaixo de ruim capa se esconde o bom bebedor./ Debaixo dos pés se levantam os trabalhos./ De boas intenções está o inferno cheio./ Defeitos do meu amigo, lamento mas não maldigo./ Deitar cedo e cedo erguer dá saúde e faz crescer./ De noite todos os gatos são pardos./ Depois da tempestade vem a bonança./ Depois de burro morto, cevada ao rabo./ Depois de casa roubada, trancas na porta./ Depressa e bem há pouco quem./ Desta moita não sai coelho./ Deus ajuda quem trabalha, que é capital que menos falha./ Deus escreve direito por linhas tortas./ Devagar, que tenho pressa./ Devagar se vai ao longe./ Diz-me com quem andas, dir-te-ei quem és./ Do pão do nosso compadre grande fatia ao nosso afilhado./ Duro com duro não faz bom muro./ Em casa de ferreiro, espeto de pau./ Em casa onde não há pão, todos ralham e ninguém tem razão./ Em terra de cegos, quem tem um olho é rei./ Enquanto há vento molha-se a vela./ Enquanto o pau vai e vem, folgam as costas./ Entradas de leão, saídas de sendeiro./ Entre homem e mulher, não metas a colher./ Este mundo é uma bola: quem anda nele é que se amola./ É tarde para a economia, quando a bolsa está vazia./ Falai no mau e aparelhai o pau./ Fazer bem a ruim vilão é lançar água em cesto roto./ Filho de peixe sabe nadar./ Filho és, pai serás, assim como fizeres assim acharás./ Fui a casa da minha vizinha, envergonhei-me; vim para a minha e governei-me./ Gato escaldado de água fria tem medo./ Grão a grão enche a galinha o papo./ Homem pequenino, ou velhaco ou dançarino./ Homem prevenido vale por dois./ Honra e proveito não cabem num saco estreito./ Ladrão que rouba ladrão tem cem anos de perdão./ Livra-te do homem que não fala e do cão que não ladra./ Longe da vista, longe do coração./ Luar de Janeiro não tem parceiro, mas lá vem o de Agosto que lhe dá pelo rosto./ Mais depressa se apanha um mentiroso que um coxo./ Mais vale prevenir que remediar./ Mais vale só que mal acompanhado./ Mais vale quem Deus ajuda do que quem muito madruga./ Mais vale tarde do que nunca./ Mais vale um gosto na vida que três vinténs na algibeira./ Mais vale um pássaro na mão que dois a voar./ Mais vale um toma que duas te darei./ Mal haja quem de mim mal diz, mais quem mo traz ao nariz./ Morrer por morrer, morra o meu pai que é mais velho./ Morreu o bicho, acabou-se a peçonha./ Muita parra, pouca uva./ Muitas vezes se perde por preguiça o que se ganha por justiça./ Muito riso, pouco siso./ Muitos poucos fazem muito./ Não acordes o gato que dorme./ Não contes os pintos senão depois de nascidos./ Não deixes para amanhã o que podes fazer hoje./ Não desejes mal a ninguém, que o teu mal pelo caminho vem./ Não é com vinagre que se apanham moscas./ Não é o mel para a boca do asno./ Não é por grandes orelhas que o burro vai à feira./ Não guardes para amanhã o que podes fazer hoje./ Não há ausentes sem culpas, nem presentes sem desculpas./ Não há bem que sempre dure, nem mal que não acabe./ Não há fumo sem fogo./ Não há pior cego que aquele que não quer ver./ Não julgues mal de ninguém, nem para mal nem para bem./ Não peças a quem pediu, nem sirvas a quem serviu./ Não se deve falar em corda em casa de enforcado./ Não se deve gastar cera com ruins defuntos./ Não pescam trutas com as bragas enxutas./ Na prisão e no hospital, vês quem te quer bem e quem te quer mal./ Na terra onde fores viver, faz como vires fazer./ Nem rei nem papa à morte escapa. / Nem sempre aquele que dança é o que paga a música./ Nem tanto ao mar nem tanto à terra./ Nem todo o mato é orégão./ Nem tudo o que luz é ouro./ Nem tudo o que luz é ouro, nem tudo o que alveja é prata./ Nenhum dedo faz mão, nem uma andorinha Verão./ Ninguém é profeta na sua terra./ No arrumar da lasca se vê o pescador./ No comer e no coçar, o mal é começar./ No vinho está a verdade./ Noiva serôdia, nem miolo nem côdea. / Numa porta se põe o ramo e noutra se vende o vinho./ Nunca falta um chinelo velho para um pé manco./ O bom vinho por si fala./ Obra de prudente é, podendo fazer mal, não o fazer./ O casamento e a mortalha no Céu se talha./ O comer e o coçar o mal vai do começar./ O dinheiro é bom servidor, mas mau senhor./ O fruto proibido é o mais apetecido. / O hábito não faz o monge./ O homem põe e Deus dispõe./ Olho do amo engorda o cavalo./ O louvor em boca própria é vitupério./ O mal vem às braçadas e sai às polegadas./ O mundo nos vê, Deus é que nos conhece, ninguém é como parece./ O pouco com Deus é muito e o muito sem Deus é nada./ O prometido é devido./ O que se aprende no berço dura até à sepultura./ O sábio só deve ter a si por guardião do seu segredo./ O segredo melhor guardado é o que a ninguém é revelado./ O seguro morreu de velho./ Os lobos não se comem uns aos outros./ O Sol quando nasce é para todos./ Outros tempos, outros ventos./ Pai não tiveste, mãe não temeste, diabo te fizeste./ Palavras, leva-as o vento./ Para grandes males, grandes remédios./ Patrão fora, dia santo na loja./ Pecado confessado é meio perdoado./ Pela boca morre o peixe./ Pelo dedo se conhece o gigante./ Pelo São Martinho vai à pipa e prova o vinho./ Pelos domingos se tiram os dias santos./ Pelos frutos se conhece a árvore./ Pobreza não é vileza./ Por fora cordas de viola, por dentro pão bolorento./ Pouco manda quem quer que muito lhe obedeçam./ Presunção e água benta, cada um toma a que quer./ Presunção e água benta, cada qual toma a quer./ Quanto mais alta a berlinda, maior é o trambolhão./ Quanto mais alto se sobe, maior é o trambolhão./ Quem a boa árvore se chega, boa sombra o cobre./Quem abrolhos semeia, espinhos colhe./ Quem bem ama, bem castiga./ Quem bem faz a cama, bem nela se deita./ Quem cala consente./ Quem com ferros mata com ferros morre./ Quem com tolo se aconselha mais tolo é que ele./ Quem conta um conto, acrescenta-lhe um ponto./ Quem conta um conto sempre lhe acrescenta um ponto./ Quem corre por gosto não cansa./ Quem dá aos pobres, empresta a Deus./ Quem dá e torna a tirar, ao Inferno vai parar./ Quem desdenha quer comprar./ Quem empresta não melhora./ Quem espera por sapatos de defunto, toda a vida anda descalço./ Quem mais jura mais mente./ Quem muitas estacas tancha, alguma lhe pega./ Quem muito dorme pouco aprende./ Quem muito fala pouco acerta./ Quem não arrisca não petisca./ Quem não deve não teme./ Quem não quer ser lobo não lhe veste a pele./ Quem não tem padrinhos morre mouro./ Quem não tem vergonha, todo o mundo é seu./ Quem nasceu para vintém, nunca chega a pataco./ Quem nunca se aventurou não perdeu nem ganhou./ Quem o feio ama, bonito lhe parece./ Quem porfia mata caça./ Quem procura sempre encontra./ Quem quer bolota que trepe./ Quem quer os fins quer os meios./ Quem quer vai, quem não quer manda./ Quem sabe calar, evita guerrear./ Quem sai aos seus não degenera./ Quem se engana, aprende./ Quem segredos quer saber, busque-os na mesa e no prazer./ Quem semeia colhe./ Quem semeia ventos colhe tempestades./ Quem se mete por atalhos, mete-se em trabalhos./ Quem se não sente, não é filho de boa gente./ Quem serve a dois senhores, a algum há-de enganar./ Quem seu inimigo poupa, nas mãos lhe morre./ Quem te avisa teu amigo é./ Quem tem boca vai a Roma./ Quem tem medo, compra um cão./ Quem tem padrinhos nunca morre na cadeia./ Quem tem telhados de vidro não atira pedras aos do vinho./ Quem tem vagar faz colheres de pau./ Quem tiver mando, não tema para ser obedecido./ Quem torto nasce, tarde ou nunca se endireita./ Quem tudo aperta, nada abarca./ Quem tudo quer, tudo perde./ Quem tudo receia, nada teme./ Quem vai à guerra, dá e leva./ Quem vai muito depressa, pode quebrar a cabeça./ Quem vê caras não vê corações./ Querer é poder./ Roma e Pavia não se fizeram num dia./ Ralham as comadres, descobrem-se as verdades./Santos de ao pé da porta não fazem milagres./Se não fosse o mau gosto, que seria do amarelo? / Se queres conhecer o vilão, mete-lhe a vara na mão./ Tantas vezes vai o cântaro à fonte que lá deixa ficar a asa./ Tenda, é preciso quem a atenda, senão que a venda./ Todo o burro come palha, a questão é saber-lha dar./ Todos falam e murmuram e ninguém olha para si./ Todos os pássaros comem trigo e quem paga é o pardal./ Toma em rapaz bom caminho, segui-lo-ás em velhinho./ Trabalhar para aquecer, é melhor morrer de frio./ Uns comem os filhos, a outros rebenta-lhes a boca./ Usa e serás mestre./ Vão-se os anéis e fiquem os dedos./ Vaso ruim não tem quebra./ Vozes de burro não chegam ao céu.

Provocar Incitar, excitar, estimular; atacar, agredir, desafiar, irritar, reptar; exaltar, exasperar, desesperar; determinar, promover; acarretar, originar, causar; insultar; agitar, incitar, sublevar.

Prudência Cautela, moderação, sensatez; atenção, controlo, domínio, precaução, reflexão; circunspecção, tento / - sábia: sabedoria, sageza / pessoa com - excessiva: cobarde, medrosa, pusilânime, timorata.

Prudente Cauteloso, cauto, avisado, judicioso, circunspecto, previdente, acautelado.

Psicanálise Método especial de tratamento criado por Sigmund Freud para a cura das doenças nervosas. Vocabulário: acto falhado, análise didáctica, complexo de Édipo, compulsão, ego, id, inconsciente, líbido, psicanálise, pulsão, recalcamento, sublimação, superego, transferência.

Pua Aguilhão; ponta de ferro; ferrão; berbequim.

Publicação Acto ou efeito de publicar. Edição, escrito, obra. Tipos: boletins, brochuras, editais, folhetos, jornais, livros, panfletos, prospectos, revistas.

Publicidade Divulgação, difusão, propagação, reclame, vulgarização; anúncio, cartaz, reclamo.

Puir Desgastar por fricção.

Pula Unidade monetária de Botswana

Pulcro Belo, formoso, perfeito, esmerado.

Pulga Nome dado a vários insectos saltadores que se alimentam de sangue de mamíferos / - d’ água: dáfnia / - do mar: tálitro / conj. de -s: pulguedo

Pulseira Ornato circular para os pulsos; bracelete. / - com sete anéis: escrava / - antª para o pescoço: manilha / - angolana de varetas de metal: manana.

Puma Mamífero carnívoro afim do leão.

Punhada O m.q. punhado; Prov. Minho: medida de capacidade para secos, igual a 1/64 do alqueire.

Punhado Porção que se pode ter na mão; mão, mão-cheia.

Punir Castigar; condenar, sancionar; corrigir; autuar.

Punt Unidade monetária da Irlanda.

Pupila Órfã sob tutela; noviça; educanda; (anat.) abertura do olho no centro da íris. / concentração permanente da - do olho: mioso.

Purga O m.q. purgante / - das paixões, em Aristóteles: catarse / - de radiador: esvaziamento / - estalinista: eliminação depuração.

Purgante Alviduco, laxante, laxativo, purga, purgativo. / nome dado a qq. - apocatarse, apocatarsia.

Puritano Austero, escrupuloso, genuíno, puro, rigoroso; espartano, conservador, intransigente, severo.

Puro Sem mistura, simples, Fig. bondoso, honesto, generoso; límpido, sereno, claro; virginal, inocente; virtuoso, casto; singelo, sincero; fiel, exacto.

Púrpura Género de moluscos gastrópodes; substância corante; cor vermelha; trono. / de cor - purpúreo, purpurino. Simbologia: espiritualidade, poder, sublimação. Simbologia heráldica: abundância, autoridade, devoção, grandeza, nobreza, soberania, qualidade, riqueza, temperança, tranquilidade.

Pus Matéria, supuração. / formação de - piogénese, piogenia / vesícula de - espinha, piocisto / pus e tecido morto de um furúnculo: cornicão.

Pústula Vesícula purulenta. Fig. corrupção, vício, depravação, perversão.

Putativo Reputado; q se supõe ser o q ñ é.

Pútrido Apodrecido, podre, putrefacto. Infeccioso, pestilencial.

>>> Q


A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z

Acesso às palavras cruzadas.  Página anterior  Página inicial  Página seguinte