VIVAM OS "NETD@YS'2004"! Projecto Comunic@rt da E.B. 2,3 de Tourais/Paranhos

PARANHOS DA BEIRA

Vista panorâmica de Seia

 

 

Câmara Municipal de Seia

 

 

Cruzeiro (Seia)

 

 

Igreja da Misericórdia (Seia)

 

 

Fonte das Quatro Bicas (Seia)

 

 

Feira (Seia)

 

 

Igreja (Seia)

 

 

Panorâmica (vista de Seia)

 

 

Panorâmica de Seia 

 

 

Parque Natural da Serra da Estrela

(Vale do Zêzere)

 

 

Rio Mondego

(Covão d'Ametade)

 

 

Lagoa Comprida

(Serra da Estrela)

 

 

Cântaro Magro

 

 

Flora Serra da Estrela

 

 

Covão d'Ametade

 

 

Lagoa do Vale de Rossim

 

 

Paisagem da Serra  (perto de Loriga)

 

 

A Torre

(o ponto mais elevado de Portugal Continental)

 

 

Socalcos de Loriga

 

 

Casa típica das Penhas Douradas

(Serra da Estrela)

 

 

 

 

    

O pão de centeio     A bôla de carne

 

 

 

 

O requeijão com doce de abóbora

 

 

 

 

SITUAÇÃO/LOCALIZAÇÃO

    A nossa terrra, Paranhos da Beira, fica situada na região montanhosa da Beira Alta e pertence ao concelho de Seia, distrito da Guarda. É uma das 29 freguesias do concelho de Seia e é composta pelas povoações de Carvalhal da Louça, Vale de Igreja e Chaveiral.

   Situa-se a sudeste do rio Mondego, a uma altitude de 465 metros, à distância aproximada de três quilómetros da cidade de Seia, junto à vertente ocidental da Serra da Estrela.

   Foi elevada a vila, no dia 30 de Junho de 1989.

 

HISTÓRIA

 

    A origem de Paranhos da Beira remonta à época pré-histórica, como comprovam as seis antas existentes na área da freguesia. A mais importante chamada Casa dos Mouros”  (classificada como monumento nacional) fica situada entre Carvalhal da Louça e Vale de Igreja. Tem 2,89m de altura, em forma de tronco pirâmide de base decagonal, constituída por nove esteios, quase trapezoidais, inclinados para o centro, à excepção da chave mestra, em posição vertical, formando os esteios contíguos uma espécie de cunhas.

    A entrada é orientada a Este e os esteios apresentam a totalidade da sua altura, à excepção de um esteio a Sul. Com cerca de metade da altura original, a tampa apresenta, esculpida, uma cruz grega e uma cruz lanceolada. No corredor, os esteios encontram-se fragmentados e semi-fragmentados.  

 

PATRIMÓNIO CONSTRUÍDO:

 

   A habitação desta região distribui-se, na sua quase totalidade, abaixo dos 900m de altitude. Verifica-se que o modo de ocupação do território e a própria estrutura das povoações são distintos, em relação às zonas do granito e do xisto, rochas predominantes.

   Nas zonas de granito, as povoações têm em geral uma população superior a 1000 habitantes e estão implantadas na meia encosta, em declives que não ultrapassam os 25%.

   Estruturalmente, e com raras excepções, têm uma rua principal que as atravessa e se alarga no adro da Igreja ou Capela. Para além deste espaço público e conforme a sua importância, aparecem outros espaços - largo do pelourinho, da cadeia, da antiga Câmara - ou de carácter social/económico - largo da feira, do jardim público, da fonte - dispondo-se a povoação, ao longo da encosta, com ruas pouco inclinadas, cortadas por pequenas travessas ou pátios, de modo a obter as melhores condições de exposição solar climática.

   Nas zonas centrais, em geral mais densas, os edifícios tradicionais são sistematicamente "em banda" - por razões de economia energética e construtiva - formando quarteirões irregulares, fugindo à regra os edifícios de representação- as Igrejas, Capelas, casas senhoriais e alguns edifícios públicos.  

Arquitectonicamente, a maioria das habitações é de dois pisos em planta rectangular, com loja térrea e um andar assoalhado, em alvenaria de granito de elementos maiores ou menores, conforme a qualidade do material ou o poder económico do primitivo proprietário.

   No que diz respeito às zonas de xisto, a ocupação humana é muito mais distribuída no território, sendo raras as aldeias com população superior a 500 habitantes, havendo casos, na mesma freguesia, de várias aldeias de 100 a 150 habitantes. Como os vales são muito mais escavados, os declives chegam a atingir 70 a 80%, o que faz com que as povoações se cerquem de terrenos em socalcos.

   As habitações possuem frequentemente vários pisos, sendo habitual terem acessos directos a vários deles. A adaptação dos conjuntos edificados ao terreno é assim muito facilitada, e ainda ajudada pelo tipo de material das alvenarias - pequenos pedaços de xisto - produzindo paredes curvas, coberturas a vários níveis - frequentemente de uma só água - e de grande liberdade e rigor na concepção dos volumes.  

 

PATRIMÓNIO ARQUITECTÓNICO:

 

    Os edifícios ou conjuntos de edifícios existentes na freguesia de Paranhos da Beira são os seguintes: Capelas de Nossa Senhora da Cabeça e da Piedade e Casa dos Cunhas (séc. XVII) na povoação de Girabolhos, núcleos de habitações tradicionais, em Lajes, Anta do Carvalhal da Louça, sepulturas abertas nas rochas, sitas no lugar de A de Paranhos, Anta de Paranhos, Ponte Romana do Cambelho, Estrada Romana, Casa dos Mouros de Valeidão, Casa dos Mouros de Camides, Casa dos Mouros de Chaveiral, Pelourinho do Lugar de Carvalhal, Casa Senhorial Visconde de Paranhos (séc. XVIII), Casa Senhorial de Sousa Lara (séc. XVIII) e Capela de Santa Eufêmia.

    Paranhos possui, também, a Igreja Matriz, as capelas de São Marcos, Nossa Senhora da Conceição, Nossa Senhora das Neves e Santa Eufêmia.

    São também dignos de uma visita a Ponte Romana, o Solar dos Figueiredos, a Casa do Visconde, o Solar de S. Julião, construído nos finais do século XVII e possuindo uma capela em louvor de Nossa Senhora de La Salette.

 

POPULAÇÃO/ACTIVIDADES

 

   A freguesia de Paranhos da Beira possui 2500 habitantes. As actividades económicas predominantes são: a agricultura, a pecuária, a avicultura, a indústria, o comércio e os serviços.

    Paranhos da Beira tem uma Associação Humanitária, o Centro de Nª Senhora de La Salette, Posto da GNR e praça de táxis, desde há muitos anos.

    É importante, também, referir as colectividades desta vila, como por exemplo, a Associação Desportiva, a Associação Cultural e Recreativa de Paranhos da Beira, incluindo-se nesta os já famosos Rancho Folclórico  e a Banda Filarmónica desta vila, onde vários alunos desta escola, incluindo nós próprios, ocupamos de modo útil, agradável e divertido, alguns tempos livres.  

 

PATRIMÓNIO CULTURAL

 

  No artesanato local, destacam-se os produtos em madeira, a cestaria, a olaria, a tecelagem em lã e a latoaria e, mais recentemente, as peças decorativas em xisto.

           

FESTAS E ROMARIAS

 

    O culto religioso, as festas, as feiras (no primeiro sábado de cada mês e na segunda-feira de Páscoa) e romarias, em honra dos santos devotos, são uma constante do quotidiano da população local. Salientamos a romaria em honra de Santa Eufêmia (nos dias 15 e 16 de Setembro) e a festa do Senhor do Calvário (8 de Julho).

           

PATRIMÓNIO GASTRONÓMICO

           

    Em termos gastronómicos, Paranhos da Beira, tal como todo o Concelho a que pertence, tem uma ementa rica e variada.

    Convidamos-te a saborear os seguintes: chanfana de borrego, bacalhau assado com batatas a murro, febras de porco na caçarola, cabrito assado na brasa, os enchidos, o excelente queijo da Serra artesanal (de ovelha de raça “bordaleira”), o requeijão com doce de abóbora, o mel ,  acompanhados com o saudável pão de centeio, ou com a broa de milho, ou o pão sovado e, a regar tudo isto, o bom vinho da região (só para adultos). Para aperitivar, a aguardente zimbrada regional.

 

   Mas isto não é tudo. Há mais, muito mais a dizer sobre este bonito concelho e sobre esta atraente região da Serra da Estrela.

   O que dissemos foi só o começo. Deixamos, por agora, algumas fotos digitais que tirámos, com todo o entusiasmo, para vos mostrar algo da nossa querida e bonita terra e, também, para vos aguçar o apetite de uma visita.

   Esperamos que apreciem. Até breve!

 

 

 

 

 

 

Poço do Inferno

(Serra da Estrela)

 

 

 

Cão "Serra da Estrela"

 

 

 

O Pastor da Serra e as ovelhas

"bordaleiras"

 

 

 

 

O Vinho da Região

 

 

 

 

As trutas do rio

 

 

 

 

Os Desportos na neve

 

 

PARANHOS DA BEIRA

 

 

Bem-Vindo a  Paranhos da Beira

 

 

De Paranhos da Beira para Seia

(ao longe a Serra da Estrela)

 

 

"Casa dos Mouros"

Anta de Paranhos da Beira

 

 

Estrada Romana

 

 

Sepultura

 

 

Sepultura (Paranhos)

 

 

"Alminha"  (Paranhos da B.)

 

 

Capela de Nossa Sª das Neves

(Paranhos da Beira)

 

 

Igreja de Paranhos da Beira

 

 

Casa típica

 

 

Casa de Sta Ana

 

 

Capela Nª Sª da Boa Viagem

(Paranhos da Beira)

 

 

Capela de Santa Eufêmia

 

 

Solar de S. Julião (séc. XVIII)

 

 

Jardim do Solar de S. Julião

(Paranhos da Beira)

 

 

Fonte do solar de S. Julião

 

 

Inscrição da Fonte do solar de S. Julião

 

 

Cruzeiro (Paranhos da Beira)

 

 

O Artesão Sr. Diogo:

(tocador, cantador e escultor em madeira)

(Paranhos da Beira)

 

 

O Senhor Diogo junto das suas obras de Arte em madeira

 

 

O Sr. Diogo em actividade

 

 

Um Cristo em madeira

(trabalho do Sr. Diogo-

Paranhos da Beira)

 

 

 

 

O queijo da Serra   O presunto

 

 

 

Os enchidos

 

 

 

 

(voltar)

(página seguinte)