Alfred Nobel morreu riquíssimo, mas ao nascer, em 21 de outubro de 1833, em Estocolmo, sua família era pobre. Alguns anos depois, seu pai modesto agricultor resolveu tentar melhor sorte, estudou engenharia militar e saiu-se brilhantemente na nova atividade. E a tal ponto que em 1842 foi convidado pelo governo russo a trabalhar na construção de engenhos militares e a dirigir a abertura de estradas estratégicas. O velho Nobel aceitou e partiu para a Rússia com toda a família, a mulher e os filhos Robert, Ludwig e Alfred.

     Valeu a pena ter ido em pouco tempo a família ja possuia jazidas petrolíferas em Bakú ao sul da Rússia, e os filhos poderam ser educados por professores particulares. O Pai não deixou de perceber o peculiar talento de Alfred Nobel e logo o mandou passar um ano nos Estados Unidos, onde trabalhou com Johan Ericsson, um engenheiro sueco.
     Foi um ano bem aproveitado, Alfred voltou um inventor de renome e capacidade, para dirigir a exploração de petróleo de Bakú.
     Mas no fundo não era isso que ele queria; sua ambição era fazer experiências com explosivos, que mal se conheciam naquele tempo.

 

   O SEU TESTAMENTO...
    "Todo o meu património deverá ser tratado da seguinte maneira. O capital será investido pêlos meus executores em títulos seguros e deverá constituir um fundo, a participação onde deverá ser distribuído anualmente em forma de prémio para aqueles que, durante o precedente ano, deverá ter conferido o grande benefício para a humanidade.

     A dita participação deverá ser dividida em cinco partes iguais, onde deverá ser aplicado como se segue: uma parte para a pessoa que deverá ter feito a mais importante descoberta ou invenção no campo da física; uma parte para a pessoa que deverá ter feito a mais importante descoberta química ou aperfeiçoamento; uma parte para a pessoa que deverá ter feito a mais importante descoberta no domínio da fisiologia ou medicina; uma parte para a pessoa que deverá ter produzido no campo da literatura o mais impressionante trabalho de uma tendência idealista; e uma parte para a pessoa que deverá ter feito mais ou melhor trabalho para a fraternidade entre as nações, para a abolição ou redução de exércitos permanentes e para conservação e estímulos de congressos de paz.

     O prémio para físicos e químicos deverá ser entregado pela Swedish Academy of Sciences; o de fisiologia ou trabalhos médicos pelo Caroline Institute em Estocolmo; o de literatura pela Academy em Estocolmo; e para os campeões da paz por um comité de cinco pessoas ainda para ser eleito pela Norwegian Storting. É o meu desejo expresso que quando entregue os prémios nenhuma consideração deverá ser feita para a nacionalidade dos candidatos, para que o mais qualificado deverá receber o prémio, seja ele escandinavo ou não."

     - Paris, novembro 27, 1895