Faculdade de Letras
Universidade do Porto
http://www.letras.up.pt/

Língua Portuguesa Oral

1. Audição de excerto de entrevista a Manuel Martins — TSF

(http://tsf.sapo.pt/online/primeira/interior.asp?id_artigo=TSF132390)
Arquivo dos programas da TSF: «Pessoal e Transmissível»
( http://tsf.sapo.pt/online/primeira/dossiers/tsf/novos_programas/pessoal03/programas.asp)

• Perguntas sobre perguntas

a) Em que medida é que os estereótipos sociais sobre o perfil de um povo podem ser nefastos para o seu desenvolvimento?

b) De que modo um país pequeno pode concorrer, em desempenhos de excelência, em áreas tecnológicas, desportivas, científicas e artísticas, com outros países de grande dimensões/densidade populacional?

c) Quais são os principais factores que contribuem para a edificação de um herói nacional?

d) Como gerir hoje a herança história de uma ex-potência colonial no xadrez das relações internacionais?

e) "As agruras da Carreira das Índias": temeridade, bravura ou necessidade?

i

Notas informativas:

Vasco da Gama (1468-1524)
Vasco da Gama
    D. Manuel confiou-lhe o comando da expedição que descobriu o caminho marítimo para a Índia. Esta expedição compunha-se de três naus e de um navio com mantimentos. Largou em 8-7-1497 e em 2-3-1498 aportou em Moçambique. Obtida em Melinde colaboração do piloto árabe Ahamed bem Madjid, deixou o continente africano em 24-4-1498, tendo chegado à vista de Calecut, na Índia, em 17-5-1498. Iniciou o regresso em 5-10-1498, durante o qual o escorbuto dizimou as tripulações. Em 10-7-1499 a nau Bérrio chegou a Lisboa com a nova do desenvolvimento mas Vasco da Gama entrou na capital somente em 18-9-1499.

Bartolomeu Dias (m.1500)
Rota de Bartolomeu Dias
    De 1487 a 1488, comandando uma frota, descobriu a passagem do Atlântico para o Índico, dobrando o cabo da Boa Esperança e atingindo na costa oriental o rio actualmente identificado como Great Fish River.

Fernão de Magalhães (1480 -1521)
Rota de Magalhaes
    Alistou-se na armada de D. Francisco de Almeida, que largou para a Índia em 1505, dali regressando em 1513. Participou na batalha naval de Diu (1509) e tomou parte na conquista de Azamor (1513). Não vendo reconhecidos os seus méritos, despediu-se da corte e foi servir os reis de Castela. Em 20-10-1517 apresentou-se em Sevilha oferecendo aos Castelhanos a possibilidade de atingir as Molucas por mares não reservados aos Portugueses pelo Tratado de Tordesilhas. Carlos V aceitou e Fernão de Magalhães partiu com uma esquadra de cinco navios e 265 homens para a que seria a 1ª viagem de circum-navegação: alcança a baía da Guanabara; em1520, alcança a foz do Rio da Prata; faz invernada na baía de S. Julião; domina motim; atravessa o Estreito e desemboca no Pacífico; em 1521, descobre a Ilha dos Ladrões; descobre o arquipélago das Filipinas e aí é morto em combate. A viagem de circum-navegação acabou por ser concluída por Sebastião del Cano , que aportou a S. Lucar de Barrameda em 6-9-1522 com apenas um navio e 18 homens de tripulação.

2. Audição de "Os demónios de Alcácer Quibir"

Sérgio Godinho — De Pequenino se Torce o Destino


• Preenchimento do quadro

A batalha de Alcácer Quibir
Preparação Culminação Consequência
 


   
Caracterização de D. Sebastião


• Intencionalidade comunicativa:

— avaliação crítica ou iconoclastia?

i

Nota informativa:

D. Sebastião (1554 - 1578)
D. Sebastião
    Filho do último dos nove filhos de D. João III, nasceu pouco depois da morte de seu pai, o príncipe D. João. Sua mãe, a princesa D. Joana, filha de Carlos V deixou Lisboa nunca mais regressando a Portugal. Coroado rei em 1568, D. Sebastião defrontava uma situação internacional difícil; as posições governativas que tomava estavam fora da cobertura política conveniente. Em 1574 permaneceu um mês nas praças marroquinas de Ceuta e Tânger, onde tomou contacto com a realidade do poder português à entrada do Mediterrâneo , e concebeu a possibilidade de o ampliar, no que viria a ter vigorosas resistências. Esta empresa ia muito além das possibilidades militares da nação e foi deficientemente preparada e conduzida e D. Sebastião foi vencido e morto em Alcácer Quibir. Esperado com ansiedade e júbilo, pois a coroa corria o perigo de ser herdada por um príncipe espanhol, recebeu ao nascer o cognome de o Desejado, que continuou a manter depois de morto, uma vez que muitos portugueses esperavam que ele regressasse restabelecendo a coroa portuguesa legítima e expulsando os Filipes do trono português.

3. Projecto "O meu país e o mundo"

— Produto: exposição oral
— Duração de cada exposição: 10m (+5m para discussão)
— Calendário: 6, 13, 20 e 27 de Janeiro

1º — Apurar dos dados informativos considerados necessários sobre geografia, história, tradições, artes (etc.) do país de origem de cada aluno;
2º — Seleccionar imagens;
3º — Elaborar planificação;
4º — Construir de apoios visuais;
5º — Praticar isoladamente a exposição oral.