Faculdade de Letras
Universidade do Porto
http://www.letras.up.pt/

Língua Portuguesa Escrita

Texto Injuntivo

O texto injuntivo incita ao cumprimento escrupuloso de diferentes etapas, cronologicamente ordenadas, de execução de uma acção.

 

1ª parte: descrição dos materiais e circunstâncias que presidem ao ponto de partida da realização da acção.

 

2ª parte: enumeração de procedimentos ( podem ser indicados os limites temporais a ter em conta no desenvolvimento de algum procedimento).

Conjugação verbal:

— 3ª pessoa do conjuntivo (forma supletiva do Modo Imperativo):

"Coloque a tampa e a seguir pressione."

 

— Presente do Indicativo com sujeito indeterminado:

"Coloca-se a tampa e a seguir pressiona-se."

 

— Infinitivo:

"Colocar a tampa e a seguir pressionar."

 

SEQUÊNCIA METODOLÓGICA PARA APRENDIZAGEM DAS TÉCNICAS DE BRUÇOS E MARIPOSA

 
1. Pernada de bruços


Realizar a pernada de bruços com apoio dos membros superiores numa placa, colocando os pés, no final da recuperação, dorsalmente flectidos e numa posição de maior afastamento que a dos joelhos.


— Iniciar o ensino da pernada de bruços com exercícios simples como, por exemplo, realizar a pernada sentado no bordo, em posição vertial, em posição dorsal, ...
— Estar atento às assimetrias.
— Para corrigir pernadas de rã usar um elástico colocado entre os joelhos ou entre as coxas, consoante o nível de flexibilidade do aluno.

 
2. Pernada coordenada com a respiração


Realizar a pernada de bruços com apoio dos membros superiores numa placa, elevando a cabeça para inspirar quando os membros inferiores dobram para recuperar.


— Depois de os alunos dominarem o gesto, privilegiar, na exercitação, a colocação dos membros superiores ao longo do corpo ou unidos ao nível dos glúteos (com ou sem placa), o que obriga a bacia a afundar e facilita a elevação da cabeça.

 
3. Pernada coordenada com braçada unilateral e respiração.


Realizar a pernada de bruços coordenada com braçada unilateral e respiração, iniciando o afastamento do membro superior após a junção dos pés.


Nota: assim que o aluno tenha assimilado o movimento do membro superior, introduzir a braçada completa.

 
— Antes de iniciar a coordenação da braçada com a pernada e a respiração, ensinar o movimento da braçada e da braçada coordenada com a respiração com exercícios estáticos, em que o aluno está em posição vertical, observando o movimento que realiza sob a orientação do professor.

 
4. Técnica completa


Nadar bruços, coordenando as acções dos membros superiores, inferiores e respiração


— Nas fases iniciais do ensino da técnica de bruços, privilegiar o deslize, por forma a eviatr a sobreposição das acções propulsivas dos membros superiores e inferiores.
 
(...)

S. Soares; J. P. Vilas-Boas, O Mundo da Natação.
Revista Portuguesa de Divulgação da Natação, nº4

 

PREÂMBULO ÀS INSTRUÇÕES PARA DAR CORDA AO RELÓGIO

 

Pensa nisto: quando te oferecem um relógio, oferecem-te um pequeno inferno florido, uma prisão de rosas, um calabouço de ar. Não te dão somente o relógio, muitos parabéns, que te dure muitos e bons, é uma óptima marca, suíço com não sei quantos rubis, não te oferecem somente esse pequeno pedreiro que prenderás ao pulso e passeará contigo. Oferecem-te -- ignoram-no, é terrível ignorá-lo -- um novo bocado frágil e precário de ti mesmo, algo que é teu mas não é o teu corpo, que tens de prender ao teu corpo com uma correia, como um bracito desesperado pendente do pulso. Oferecem-te a necessidade de lhe dar corda todos os dias, a obrigação de dar corda para que continue a ser um relógio; oferecem-te a obsessão de ver as horas certas nas montras das joalharias, o sinal horário na rádio, o serviço telefónico. Oferecem-te o medo de o perder, de seres roubado, de que caia ao chão e se parta. Oferecem-te uma marca, a convicção de que é uma marca superior às outras, oferecem-te a tentação de comparares o teu com os outros relógios. Não te oferecem um relógio, és tu o oferecido, a ti oferecem para o nascimento do relógio.

 

INSTRUÇÕES PARA DAR CORDA AO RELÓGIO

 

Lá bem no fundo está a morte, mas não tenha medo. Segure o relógio com uma mão, com dois dedos na roda da corda, suavemente faça-a rodar. Um outro tempo começa, perdem as árvores as folhas, os barcos voam, como um leque enche-se o tempo de si mesmo, dele brotam o ar, a brisa da terra, a sombra de uma mulher, o perfume do pão.

 

Quer mais alguma coisa? Aperte-o ao pulso, deixe-o correr em liberdade, imite-o sôfrego. O medo enferruja as rodas, tudo o que se poderia alcançar e foi esquecido vai corroer as velas do relógio, gangrenando o frio sangue dos seus pequenos rubis. E lá bem no fundo está a morte, se não corrermos e chegarmos antes para compreender que já não interessa nada.

Julio Cortázar

Exercício:

Elabore um texto injuntivo. Pode optar:

 
— Instruções para guiar numa noite de nevoeiro
— Instruções para fazer sala
— Instruções para fazer um político
— Instruções para sonhar