área pessoallogin / logout         Projecto co-financiado pelo Programa Aveiro-Digital através do POSI, FEDER e do FSE


artigos
[comentar]  ver comentários     [submeter artigo] informação

Ser e-Professora numa Escola Básica Portuguesa: Uma Aventura na «Web» com «Alunos de Insucesso»


O presente artigo visa dar conta do projecto de Apoio Pedagógico Acrescido «online» (e-APA), desenhado e implementado pela docente Isabel Torre no decurso do terceiro período.


ETAPAS DO e- APA E SUA AVALIAÇÃO

Estando a leccionar Língua Portuguesa na Escola Básica 2,3 da Costa de Caparica, no final do segundo período deparei-me com o seguinte cenário: tinha quarenta e um alunos a frequentar o nono ano submetidos a Avaliação Sumativa Extraordinária, portanto, em risco de retenção e não havia possibilidade de lhes serem ministradas aulas de Apoio Pedagógico Acrescido presencialmente.

Assim sendo, questionei-me se não seria possível ministrá-las online. Recorri, então, à metodologia do inquérito por questionário, tendo verificado o seguinte: primeiro, os discentes possuíam aquilo a que habitualmente se designa por «literacia do computador», isto é, utilizavam frequentemente o «email» (63%) e costumavam navegar na Internet (66%); segundo, a maioria tinha acesso a computador e Internet em casa (83%) e, terceiro, estavam motivados para participar na aventura (67%).

Encontrando um terreno favorável à prossecução do projecto, falei com o presidente da Comissão Executiva Instaladora, que aderiu à proposta, e redigi uma carta, assinada, posteriormente, pelo referido gestor, dirigida aos encarregados de educação, contendo os objectivos, o modo de funcionamento, os requisitos e a avaliação do e-APA, bem como um destacável, visando a autorização para a frequência das aulas acima mencionadas. Desenhei, depois, o e-APA e implementei-o durante seis semanas.

Dos trinta e dois alunos autorizados, onze iniciaram o apoio e apenas um desistiu, por considerar que ia obter nível inferior a três na maioria das disciplinas. A taxa de aproveitamento foi de 82%, o que revela, indubitavelmente, o sucesso desta experiência. Os discentes manifestaram-se mais interessados e responsáveis, como afirmaram. A realidade de insucesso foi modificada: a quase totalidade dos alunos (82%) obteve sucesso.

CONCLUSÃO

Em suma, esta modalidade de apoio em Língua Portuguesa, dado o seu êxito, deve manter-se e, porque não dizer, ser alargada a outras disciplinas, como os alunos sugeriram.


Isabel Torre

 

               Comentários (11)

de Mónica Alexandra, em 26-12-2005

lolololol*_* e a minha escola nunca pensei que a minha escola fosse tao conhecida, e vou tentar orgolhar a escola e todos os meus professores, funcionários e colegas para que a nossa escola fique numa das melhorex de alunos dedicados . . . . . . . . . . .ADORO-TE ESCOLA ;) :P ¨:*

de Isabel Torre, em 11-05-2005

Obrigada, Clarinda!

;)

de clarinda, em 10-05-2005

Parabéns pelo resultado. Conheço uma Animadora Sociocultural que também utilizou as TIC, para interessar um miúdo de étnia cigana a ler e a escrever. Tem tido bons resultados e a criança agora gosta de estar na escola.

de Isabel Torre, em 18-02-2005

Prezado José da Gama,

O seu comentário denuncia, entre outras coisas, um desconhecimento total não só relativamente ao contexto legal em que se enquadra o projecto supracitado, mas também às potencialidades do «eLearning».

Deixo-lhe, pois, duas sugestões que não fazem milagres, mas que ajudam a produzir factos:

— Ler Decreto-Lei Nº 6/2001 de 18 de Janeiro;
— Frequentar «Certificate in Online Education & Training» (OET), promovido pelo Institute of Education, University of London

http://www.ioe.ac.uk/english/OET.htm

Boas produções de factos! ;)

Isabel Torre

de José da Gama, em 12-01-2005

Marvilhoso. Quase um milagre de Fátima...
Mas era mais simples, em conselho de turma do 3ª perído, dar 3 a todos.

de Isabel Torre, em 18-11-2004

Obrigada, António.

;)

de António Matos Rodrigues, em 15-11-2004

É tão raro ouvir boas notícias! Os meus parabéns pela sua iniciativa. Não a deixe cair. A escola que se organize para os garantir.
Cumprimentos.
António Matos Rodrigues

de Isabel Torre, em 07-09-2004

Olá, Rosália!

Dado o interesse suscitado pela experiência descrita - realizada no âmbito de uma pós-graduação promovida pela Universidade de Londres («Online Education and Training») -, disponibilizarei uma apresentação do projecto em «PowerPoint», um pequeno contributo nesta área do «eLearning».

Esteja atenta à sua caixa de correio electrónico.

Um abraço,

Isabel

de Rosália Sofia, em 06-09-2004

Olá, o seu artigo despertou-me muito interesse. Sou professora do 1º Ciclo e já verifiquei que o computador é uma forte ferramenta de trabalho porque desperta muito interesse nas crianças. Gostaria, se fosse possível, de saber mais detalhes acerca do seu projecto.

de Isabel Torre, em 12-07-2004

Olá, Teresa!

Obrigada!
Agora vou gozar umas férias bem merecidas, mas voltarei em Setembro.
No início do próximo ano lectivo, apresentarei o projecto, provavelmente sob a forma de oficina de formação.
Se quiser participar, escreva-me um «email», indicando-me o seu nome e contacto, bem como o ciclo e a escola onde lecciona.
Boas férias!
;)

de Teresa Correia, em 09-07-2004

Parabéns pela iniciativa! Partilho da opinião de que alguns alunos com insucesso aderem facilmente às TIC e ultrapassam vários problemas de aprendizagem.
Quando (ou onde) poderemos ver o aspecto da e-APA?