A formação de professores a distância na construção de comunidades educativas


O presente documento pretende reflectir acerca da introdução das novas tecnologias ao serviço da formação docente. A crescente exigência, por parte dos alunos, de práticas pedagógicas motivadoras de sucesso educativo conduzem a uma diferente perspectiva na formação contínua docente. A formação on-line, ou teleformação, surge, no contexto, como resposta às necessidades docentes neste âmbito.

A crescente necessidade formativa evidencia-se pela aposta no manejo inteligente da informação. Vivemos numa época em que o sector informacional domina as atenções e projecta-nos nas novas tecnologias da informação e da comunicação. O conhecimento que anteriormente se depreendia de um texto escrito transformou-se e deu lugar ao espaço multimédia, que permite avançar para novos âmbitos como a transmissão de sensações ou a comunicação audiovisual.

Actualmente o processo formativo não depende de um espaço físico. Apenas se requer disponibilidade para que através de um computador o sujeito aprendente possa aceder a qualquer tipo de informação, em qualquer parte do mundo. No entanto, toda esta facilidade de acesso pode ser perversa. O ambiente virtual, como meio privilegiado de formação, tem de defrontar um grande desafio: a necessidade de interacção que emerge de qualquer situação de aprendizagem. Deste modo, toda a formação passível de ser realizada virtualmente deve oferecer actividades paralelas que facilitem o próprio diálogo entre os sujeitos envolvidos.

Os diferentes cursos presenciais baseiam-se em conteúdos de modo a atingir determinados objectivos. Assim, planificam-se diversas estratégias adequadas a cada grupo alvo. No que se refere à formação à distância, e referindo o contexto específico da formação realizada on-line, a formação de professores em Portugal ainda se encontra em fase quase embrionária.

Neste contexto, encontramos o programa nacional de formação a distância que fornece uma plataforma informática com os recursos necessários ao desenvolvimento de acções de formação on-line denominado Prof2000. Este programa apenas chegou ao sul do país no final do ano de 2002 e de forma residual, com apenas duas escolas associadas.

Não obstante, consideramos que a educação a distância tem potencialidades para ser eficaz se: ampliarmos as possibilidades de interacção, adoptarmos maior qualidade dos conteúdos leccionados, reflectirmos na metodologia inovadora, variarmos o leque de opções de aprendizagem e investirmos na própria formação de formadores. Desta forma estaremos perante o que Aguilar (1997) descreveu como sendo:

"[...]o aumento da produtividade da população, mediante a aquisição de habilidades e conhecimentos que permitem o desenvolvimento de actividades criativas, inovadoras e úteis à sociedade, elevando directamente a competitividade da nação."

A formação de professores está intimamente condicionada pelas premissas anteriormente apontadas por Aguilar. Continua a ser na escola que se efectivam aprendizagens essenciais para o desenvolvimento global dos alunos. Este aspecto permite que recaia nos professores a grande responsabilidade de dar resposta às solicitações de uma massa crítica de alunos ávida de novos desafios. Muitos alunos procuram respostas através das novas tecnologias da informação e comunicação, que se reflecte no decurso das práticas lectivas devido ao crescente desinteresse e desmotivação nutridos pelas aulas tradicionais.

O grande desenvolvimento tecnológico afecta forçosamente a formação docente. Esse desenvolvimento apresenta-se nas telecomunicações, na tecnologia audiovisual e na informática. O processo ensino-aprendizagem não se pode limitar ao decurso de actividades em contexto tradicional de sala de aula. Antes que o professor possa transpor o ambiente virtual para as suas aulas deve obter conhecimentos e desenvolver capacidades que o habilitem ao exercício de novas práticas, sustentadas nas novas tecnologias.

Face ao exposto considera-se impreterível reflectir sobre duas considerações relacionadas com a formação de professores à distância:

- benefícios da alternância do processo Ensino-aprendizagem entre a formação tradicional, decorrendo num espaço físico concreto, e a formação aplicada on-line;

- desenvolvimento de um processo formativo mais participativo e envolvente que confira a equipendência entre a acção individual e em grupo.

Ainda são poucos os docentes que se sentem familiarizados com a aprendizagem em ambientes virtuais consultando páginas na Internet, recebendo e enviando mensagens via e-mail, discutindo questões em fóruns ou em salas de formação virtuais e divulgando pesquisas e projectos próprios.

É urgente fomentar a educação on-line em educadores, alunos e nas próprias instituições da comunidade. Se o corpo docente desenvolvesse competências no uso da Internet como uma parte integrante da sua formação seria possível alargar o âmbito institucional, muito restrito, dos distintos grupos disciplinares para uma comunidade docente a nível nacional e mesmo internacional. A abertura ao mundo de outros professores com realidades completamente novas seria uma forma de melhorar a nossa própria actuação enquanto professores, mas também enquanto sujeitos em fase de aprendizagem ao longo da vida.

Os cursos de formação podem intercalar momentos de encontro num espaço físico concreto e outros em que se aprende cada um, em interacção com todos, no seu local de trabalho ou mesmo em casa, conectados através de redes electrónicas. O acesso à Internet permite flexibilizar a organização dos momentos de aprendizagem virtual de modo integrado.

No que se refere a novas experiências no âmbito da formação de professores e/ou formadores a utilização da formação à distância via Web representa uma opção para quebrar a monotonia do contexto tradicional. Centrar a formação no docente e ultrapassar os limites estabelecidos pelo tempo e pelo espaço são as grandes apostas que pretendemos destacar.

Apesar das vantagens que a formação à distância permite Horton (2000) alerta-nos para algumas dificuldades que devemos ter em consideração ao elaborar uma formação on-line:

- A planificação e desenvolvimento de um curso através da Internet requer mais trabalho que um curso presencial.

- Requer mais esforço por parte do formador uma vez que terá que ter capacidade de resposta a dúvidas de diferentes formandos, não se refere a um formando médio.

- Requer mais tempo que um curso presencial.

- Exige dos formandos um maior esforço.

- Determina uma boa planificação institucional e correspondente produção.

- Os formandos temem perder o contacto humano uma vez que não contactam presencialmente com o formador.

- Muitos consideram ser uma formação impessoal.

- Exige dos formandos autodisciplina e regulação temporal.

- Pelas características apontadas o risco de abandono pode ser elevado.

A formação à distância, on-line, não é panaceia da formação, mas um percurso imprescindível de resposta, neste âmbito, às distintas necessidades formativas docentes. Apesar do crescimento verificado nos últimos anos relativamente à formação profissional, Portugal mantém-se na cauda da Europa revelando grandes dificuldades na divulgação formativa que incorpore as novas tecnologias da informação e comunicação.

O Programa Prof2000 traduz-se numa ferramenta de teleformação ao serviço do desenvolvimento da formação de professores e consequentemente ao longo da vida dos sujeitos activos. A reflexão acerca dos conteúdos da formação têm um papel relevante, mas a diligência urgente refere-se à construção da formação on-line com uma metodologia adequada às competências dos profissionais e promotora de aprendizagens significativas grupais, que motivem a reformulação das práticas pedagógicas. Urge preparar a formação de formadores para que se desenvolva uma rede humana e virtual de troca de conhecimentos, capacidades, projectos e experiências.



__________________________

Bibliografia

Anderson, T. et al. (2001). Assessing Teaching Presence in a Computer Conferencing Context. JALN, Vo. 5, No. 2,

Collis, B. (1996). Tele-learning in a digital world. The future of distance learning. London, International Thomson Computer Press.

Horton, W. (2000). Designing Web-Based Training. New York, John Wiley.

Marcelo, C. (1999). Formação de professores para a mudança educativa, Porto, Porto Editores.


Mónica Aldeia - Coordenadora Concelhia do Ensino Recorrente e Educação Extra Escolar de Albufeira, Direcção Regional de Educação do Algarve

 

Programa Prof2000 - 19-01-2018