O Líder de Escola - elemento fundamental de um processo integrador das novas tecnologias no ensino - Projecto Prof2000


A utilização de redes de telecomunicações e das tecnologias de informação e comunicação em educação é um elemento determinante nos processos de mudança que a Escola Actual e o sistema educativo têm empreendido. Com o programa Prof2000 surgiu em Portugal a oportunidade de formação contínua a distância via Internet, da qual os professores podem beneficiar e à qual podem aceder nas escolas ou nos seus lares. Este programa foi pioneiro ao conseguir promover, de forma sustentada, dispositivos de formação de professores a distância.

O projecto apresentou desde sempre uma característica fundamental: sendo um projecto de formação de professores a distância nas mais variadas áreas do saber, era também através da acção do líder um projecto potenciador da utilização das novas tecnologias na escola. Pela primeira vez existe nas escolas portuguesas alguém responsável pela rede, pela sua configuração e pela dinamização de actividades de introdução das TIC. O dinamizador é um dos elementos fundamentais a considerar num modelo de análise da introdução das TIC nas escolas, numa perspectiva de trabalho colaborativo.

A Escola necessita de manter uma ligação harmoniosa com a sociedade em que se insere, devendo adoptar modos de ensinar e aprender adequados à nova realidade social. Os novos sistemas de informação (SI) devem ser capazes de adaptar-se a estas transformações, responder às necessidades da nova comunidade escolar e contribuir para a promoção de ambientes de aprendizagem mais ricos em conteúdos informativos e em situações de interacção e de aprendizagem colaborativa, recorrendo para tal, nomeadamente, aos sistemas de informação e comunicação disponíveis na Internet. Assim, a transformação da Escola para a Sociedade da Informação deve fazer-se cuidadosamente, sem rupturas precipitadas com as práticas actuais. Simultaneamente, há que investigar novas pedagogias, que necessitam ser avaliadas antes da sua aplicação generalizada. A existência de recursos adequados e fiáveis é condicionante necessária, mas de forma alguma suficiente para procurarmos responder às necessidades de formação dos cidadãos. O que se pretende é a utilização dos computadores como instrumentos de trabalho, nomeadamente na realização dos trabalhos de projecto e de investigação.

A Internet mudou as escolas? Em parte. Mudou os professores? Em parte.

Digamos que mudou algumas escolas e alguns professores. Mas não há como resistir. A banda larga, as novas redes digitais irão trazer alterações tão significativas que arrastarão tudo à sua passagem. Mas é essencial que os programas das disciplinas imponham a sua utilização. É essencial que os programas e os manuais indiquem com clareza para cada tema quais os programas e quais as páginas a consultar. Mas de forma simples. Isto é, o software a utilizar pelos professores deve resolver problemas concretos do programa, sem exigir do professor mais do que simples cliques com o rato. Mas para além das alterações nos procedimentos pedagógicos é fundamental que a escola crie estruturas técnicas que permitam o trabalho em rede e a partilha de conhecimentos. As escolas terão de criar uma estrutura baseada em Intranets.

Para Román Grávan, "Imaginemos que Internet es el universo cibernético, pues bien, Intranet podría considerarse una constelación. Aunque, no es del todo exacto, porque una constelación podría ser también cada una de las homepages que encontramos en la WWW. Entonces, ¿cómo definirla? Hay que introducir un nuevo elemento, y éste podría ser la privacidad. Así, una Intranet podría considerarse como una constelación privada a la que sólo pueden acceder los que pertenecen a un grupo determinado."

O aparecimento da Internet, uma rede global de computadores espalhada pelo mundo, veio alterar a concepção tradicional do processo de ensino-aprendizagem, levando à reformulação do papel do professor.

Aproveitando a tecnologia da Internet, as escolas poderão construir uma Intranet, uma rede privada de computadores, utilizando a tecnologia e os serviços da Internet, a interligar a comunidade escolar, de forma a melhorar a comunicação interna e o processo de ensino-aprendizagem. A Intranet, com a possibilidade de ligação à Internet, é um meio que poderá conduzir-nos a uma crescente divulgação da cultura escolar, através da construção de um património de informação comum, sendo ainda um canal de construção do conhecimento a partir da transformação das informações pelos alunos e pelos professores. O uso pedagógico da Intranet oferece, aos alunos e aos professores, a possibilidade de uma maior interacção dentro da escola e também ao nível da interdisciplinaridade.

Entende-se, portanto, a criação da Intranet escolar como um catalisador que acelera o processo educativo, criando uma vantagem competitiva relativamente às outras instituições de ensino. Assim, a implementação de uma Intranet trará certamente uma mudança radical nas políticas internas da escola. Como existe uma resistência natural à mudança, poderá provocar pequenos conflitos internos e uma natural desconfiança, já que a maior eficiência do sistema de informação da organização arrastará consigo, inevitavelmente, um maior controlo ao nível da produtividade, bem como uma maior disponibilização de alguma informação que muitos gostariam que permanecesse "no segredo dos deuses". De facto, a partir do momento em que a informação da organização passar a estar disponível, passará a existir maior transparência, o que pode provocar incomodidade no seio de vários membros da organização. Torna-se por isso necessária uma definição de políticas internas correctas e consensuais que impeçam o alastramento deste tipo de desconfiança.

As TICs são hoje fundamentalmente:

Um meio de acesso à informação

Instrumento de transformação da informação e produção de nova informação

Meio de comunicação e ferramenta para o trabalho colaborativo

Mas têm que passar a ser algo de normal na vida dos professores e alunos. Mas essa normalidade implica:

Nova postura dos docentes

Novas metodologias de ensino

Novas formas de avaliação

Qual é o panorama actual? A nível dos Alunos:

- Adesão espontânea à Internet - e aos computadores em geral.

- Adesão inicial a sites de jogos.

- Adesão instantânea a sites de Chat onde perdem horas infinitas a teclar furiosamente.

- Algum afastamento da realidade e um encerrar no elemento virtual.

- Utilizar, pelo método de "corte e cola " a Internet e as enciclopédias na realização de trabalhos, mas não são capazes de facto de dominar a quantidade de informação e de recolher o essencial.

Torna-se fundamental ensinar os alunos a pesquisar e a recolher o essencial da informação.

- Os alunos entram em esquema de troca de trabalhos via net.

- Sente-se a necessidade da criação de sites educativos com conteúdos em português.

Qual é o panorama actual? A nível dos professores:

Centenas as acções de formação sobre Internet e computadores

Receio em disponibilizar os seus trabalhos na Internet

A necessidade de envolvimento emocional com a máquina e com a Internet para tirar verdadeiro proveito

O receio de cometer erros e de ser suplantado pelos alunos.

A dificuldade em encontrar recursos em português

A dificuldade de planear actividades concretas de ensino aprendizagem com a internet e computadores por falta de meios na escola- Salas disponíveis

A necessidade de alterarem a sua postura na sala de aula

É essencial que o professor prepare as suas aulas/trabalhos com um guião de execução de tarefas

E perante isto quais as condições mínimas para um plano de informatização de uma escola?

Líder - Dinamizador

Envolvimento de toda a escola - do ponto de vista técnico e humano

Aspectos humanos e motivacionais mais importantes que aspectos técnicos

Criação de Intranets - como catalizadoras



Só assim se consegue criar uma Rede solidária de professores e alunos que partilhem informação e conhecimento.



__________________________

Referências

-BARROSO, João, Para o desenvolvimento de uma cultura de participação na escola - Instituto de Inovação educacional- ISBN 972-9380-77-5

-KIRK, Joyce, Information in organisations: Directions for information management - University of Technology, Sydney

-PAIS, Fátima; Multimédia e Ensino-Um novo Paradigma; Instituto de Inovação educacional; ISBN 972-8353-98-7-Dezembro de 1999

-RODRIGUES, António Carvalho - A Escola e a Sociedade da Informação - Que pedagogias para o Século XXI? Disponível em :

http://www.prof2000.pt/prof2000/agora/agora.html

-ALMEIDA d'EÇA , Teresa; NetAprendizagem - A Internet na Educação;Porto

Editora, porto,1988; ISBN 972-0-34048-7

-GOUVEIA , Luís Manuel Borges; Internet, oportunidade ou ameaça ao professor -; Dezembro de 1996 , disponível em http://www.ufp.pt/staf/lmbg/com/ca_int96.htm

-Graván, Pedro Román

http://www.esev.ipv.pt/pservico/documentos/14.htm LAS INTRANETS EN EL SIGLO XXI


José Manuel Pais Martins – Professor do Ensino Secundário

 

Programa Prof2000 - 22-01-2018