Fotos da sessão

Folheto da sessão

 

 

CENTRO DE SAÚDE DE CONDEIXA

 

PRIMEIROS SOCORROS
 NA ESCOLA

 

Enf.ª Betty Rodrigues

Enf.º Fernando Várzeas

ÍNDICE 

I - INTRODUÇÃO
II - ALGUMAS NOÇÕES DE SOCORRISMO
III - ALGUMAS SITUAÇÕES QUE REQUEREM SOCORRO
  1 - EPILEPSIA, PEQUENO E GRANDE MAL
  2 - TRANSTORNO DELIRANTE
  3 - DESMAIO
  4 - HEMORRAGIAS
  5 - FERIDAS
  6 - ENTORSE
  7 - CORPOS ESTRANHOS
  8 - FRACTURAS
  9 - SUPORTE BÁSICO DE VIDA [S.B.V.]

 

 

I - INTRODUÇÃO

Os primeiros socorros são a primeira ajuda ou assistência dada a uma vítima de acidente ou doença súbita antes da chegada de uma ambulância ou médico.

A finalidade dos primeiros socorros é:

 

É da responsabilidade do socorrista:

 

 

 

II - ALGUMAS NOÇÕES DE SOCORRISMO

AVALIAÇÃO DO PULSO PERIFÉRICO

PULSO CAROTIDEO:

Com dois dedos (indicador e médio) sobre a artéria carótida situada no pescoço entre a traqueia e músculo esternocleidomastóideo (fig. 1).

Fig. 1 

 

PULSO RADIAL:

Dois dedos (indicador e médio) sobre a artéria radial situada na face interna do antebraço entre o rádio e os primeiros tendões (fig. 2).

Fig. 2

 

AVALIAÇÃO DA CAIXA TÓRACICA 

Ver os movimentos da caixa torácica e ouvir os sons.

 

POSIÇÃO LATERAL DE SEGURANÇA (PLS) 

1 º - Com a pessoa deitada, colocar-lhe a cabeça para trás e de lado (para impedir a queda da língua e a sufocação por sangue, vómitos ou secreções;

2º - Por o braço de lado para onde virou a cabeça ao longo do corpo;

3º - Flectir a coxa do outro lado; (fig. 3)

Fig. 3

 

4º - Rodar lentamente o bloco cabeça, pescoço e tronco (fig. 4);

Fig. 4 

 

5º Manter a posição da cabeça para trás e para o outro lado, mantendo a boca aberta.

 

 

 

EPILEPSIA, Pequeno e Grande Mal Epiléptico. 

Epilepsia é a situação que resulta de uma tendência para breves interrupções na actividade eléctrica do cérebro, que provocam desde de perda momentânea da atenção (pequeno mal epiléptico) a espasmos musculares e convulsões (grande mal epiléptico).

GRANDE MAL EPILÉPTICO 

Características:

A vitima perde a consciência e cai; fica rígida podendo parar de respirar por segundos; fica cianosada; os músculos relaxam e depois começam as convulsões; a respiração torna-se ruidosa e difícil e pode surgir espuma na boca; os músculos voltam a relaxar e o ataque e o ataque passa embora a vitima possa manter-se inconsciente por alguns minutos.

Socorro:

Fig. 5

 

PEQUENO MAL EPILÉPTICO

Características:

A vitima pode ter um olhar alheado e ou sonhador; poderão surgir comportamentos estranhos como: mastigar ou apertar os lábios ou dizer frases sem sentido; a vitima poderá ter falhas de memória.

Socorro:

Fig. 6

 

 

 

TRANSTORNO DELIRANTE

É normalmente causada por reacção exagerada a uma contrariedade emocional.

Características:

Perda de controle momentâneo do comportamento acompanhada de gritos, berros, choro e movimentos violentos dos membros; pode surgir respiração ofegante.

Socorro:

Fig. 7

 

 

 

SENSAÇÃO DE DESMAIO OU DESMAIO

SENSAÇÃO DE DESMAIO

Características:

Palidez; suores frios; falta de forças; pulso fraco.

 

Socorro:

 

DESMAIO

Socorro, se a vitima já estiver desmaiada:

Fig. 8

 

 

 

HEMORRAGIAS

Grande perda de sangue devido a ruptura de vasos sanguíneos.

Características:

Extravasamento de sangue visível; dor localizada; rubor; sensação de edema.

Socorro:

Fig. 9

 

Fig. 10

 

 

 

EPISTAXIS

Perda de sangue pelo nariz.

Socorro:

Fig. 11

 

 

 

FERIDAS

Superficiais:

Fig. 12

 

Profundas:

 

FERIDAS NOS OLHOS

Fig. 13

 

O QUE NÃO DEVE FAZER !

 

 

 

ENTORSE

Conceito:

Torção dos ligamentos que reforçam, provocado por um repuxamento violento ou movimento forçado a esse nível.

Características:

Dor forte no momento do acidente, que aumenta com o movimento; Edema (inchaço) na região articular; Equimose (nódoa negra) em alguns casos.

Socorro: 

Fig. 14

 

 

 

CORPOS ESTRANHOS

São corpos que penetram no organismo através de um qualquer orifício ou após uma lesão de causa variável.

Socorro:

OLHOS 

OUVIDO

NARIZ

GARGANTA

 

Vitima consciente Vitima inconsciente
Fig. 15 Fig. 16

 

 

 

FRACTURAS

Características:

Palidez; pele fria e húmida; dor local; dormência do membro lesado; perda de força e incapacidade de mexer o membro lesado.

Estar atento a: Inchaço; equimoses; desalinhamento da extremidade do membro afectado.

Socorro:

Fig. 17 Fig. 18

 

BACIA

ANCA

 

 

 

SUPORTE BÁSICO DE VIDA - S.B.V.

Fig. 19