Página inicial

Seleccione o poema que pretende ler ou utilize as setas.

Acima da verdade estão os deuses (Ricardo Reis)

À dolorosa luz das ... Ode triunfal (Álvaro de Campos)

Antemanhã (Mensagem)

Autopsicografia

Ao volante do Chevrolet... Ode triunfal (Álvaro de Campos)

Chuva oblíqua (interseccionismo)

D. Dinis (Mensagem)

D. Sebastião, rei de Portugal (Mensagem)

D. Sebastião (Mensagem)

Dizem? Esquecem

Do vale à montanha

Ela canta, pobre ceifeira

Gato que brincas na rua

Guia-me a só razão

Impressões do crepúsculo (paulismo)

Isto

Leve, breve, suave

Lídia, ignoramos. Somos estrangeiros (Ricardo Reis)

Mar Português (Mensagem)

Nada fica de nada. Nada somos. (Ricardo Reis)

Não canto a noite porque no meu canto (Ricardo Reis)

Não consentem os deuses mais que a vida (Ricardo Reis)

Não tenhas nada nas mãos (Ricardo Reis)

Na ribeira deste rio

Natal... Na província neva

Nevoeiro (Mensagem)

Ode triunfal - À dolorosa luz das ... (Álvaro de Campos)

Ode triunfal - Ao volante do Chevrolet... (Álvaro de Campos)

O Bandarra (Mensagem)

O Guardador de Rebanhos (Alberto Caeiro - I)

O Guardador de Rebanhos (Alberto Caeiro - V)

O Guardador de Rebanhos (Alberto Caeiro - IX)

O Infante (Mensagem)

O menino da sua mãe

O Mostrengo (Mensagem)

O Quinto Império (Mensagem)

Ó sino da minha aldeia

Prefiro rosas, meu amor, à pátria (Ricardo Reis)

Quando as crianças brincam

Sábio é o que se contenta com o espectáculo do mundo (R. Reis)

Solene passa sobre a fértil terra (Ricardo Reis)

Tudo que faço ou medito

Ulisses (Mensagem)

Vem sentar-te comigo, Lídia, à beira do rio. (Ricardo Reis)

Viajar! Perder países!

Vossa formosa juventude leda (Ricardo Reis)



Acesso a «Aveiro e Cultura».

Página anterior Página inicial Página seguinte