HISTÓRIA DO ANDEBOL

Nem sempre é fácil determinar com precisão as origem dos vários desportos que hoje em dia atraem, quer como praticantes, quer como simples espectadores. Está neste caso o andebol, considerado um dos desportos mais jovens, se bem que tenha as suas origem na mais remota antiguidade.

    Assim, já na antiga Grécia se praticava um jogo de bola na mão, conhecido por jogo da Ucrânia, que Homero descreve na Odisseia e do qual foi descoberto em 1926, em Atenas um magnifico baixo-relevo que deve datar de 600 a C. durante a Idade Média os jogos de bola com a mão continuaram a ser praticados principalmente nas cortes, e foram baptizados pelos trovadores como «os primeiros Jogos de Verão».

    Em fins do século passado, em 1890, o professor de ginastica Konrad Kech criou um jogo com características muito semelhante às do andebol.

    Na Checoslováquia, praticava-se já há muito um jogo popular e parecido como andebol, o azena, nome pelo qual este desporto ainda é conhecido naquele pais.

    Também muito antes de ser divulgado o andebol, em Portugal, existia na cidade do Porto um jogo muito semelhante, conhecido por malheiral, nome que lhe adveio do facto do seu criador Ter sido o professor de Educação Física Porfírio Malheiro.

    Na Bélgica, no curso normal provincial de educação física da província de Liège, em 1913, professor Lucien Dehoux o andebol das três casas, que  depressa se expandiu, chegando, entre 1915 e 1918, organizar-se campeonatos.

    Em plena guerra, em 1917, apareceu na Alemanha um novo jogo de equipa, o andebol, imaginado pelo professor de Ginástica Feminina Wasc Heiser, que jogava com as duas alunas nas áleas de uma das principais avenidas de Berlim. Todavia, qualquer destes jogos não conseguiu impor-se e o andebol, como desporto devidamente codificado, só apareceu após a I Guerra Mundial.

    Correntemente, atribuiu-se a sua criação aos alemães Hirschmann e Carl Schelenz. No entanto, o Uruguai reivindica para si a paternidade deste jogo, hoje tão popular em todo o Mundo.

    Teria sido o seu criador o professor de educação física António Valeta, criador alias de muitos outros jogos nacionais uruguaios e que pretendeu fazer com ele uma replica do futebol, tendo-lhe dado o nome de balon.

    Pretendem os Uruguaios que foram alguns marinheiros alemães pertencentes a vários navios, detidos no porto de Montevideu ao iniciarem-se as hospitalidades da I Guerra Mundial e internados em campos de fixação, que, como praticantes entusiastas de educação física, tomaran contacto com o balon e desde logo se entusiasmaram. Mais tarde, ao serem repatriados, teriam difundido aquele jogo teria sido Dr. Carl Schelenz o autor da compilação da suas regras, o que deu origem à suposição que teriam sido os Alemães os criadores do andebol.

    O grande incremento a nível do andebol mundial deve-se ao aparecimento da variante do andebol de sete, em vez do andebol de onze praticado originalmente. Esta variedade foi criada nos países nórdicos (Suécia e a Dinamarca), onde, devido ao rigor dos Invernos, se tornava impossível praticar este desporto nos campos ao ar livre, tendo este ser substituídos por salas fechadas, o que obrigou à diminuição do número de jogadores em campo.

    Esta modalidade veio despertar grande interesse, tendo-se disputado o I Campeonato do Mundo em 1938, com a vitória da Alemanha. Porém, só a partir de 1954 as competições internacionais de andebol de sete passaram a ser disputadas com regularidade.

    Em Portugal, o andebol de onze começou a ser praticado na cidade do Porto, onde foi introduzido nos finais de 1929 pelo desportista alemão Armando Tshopp. A primeira apresentação oficial de um jogo de andebol teve lugar em 31 de Janeiro de 1931, no Porto, e ainda nesse ano foi formada a Associação de Andebol de Lisboa, seguida, em 1932, pela Associação de Andebol do Porto.

    O andebol de sete foi introduzido em Portugal em 1949, por outro alemão , Henrique Feist, residente no nosso pais. O primeiro torneio oficial da nova modalidade foi organizado por Feist na vila de Cascais no Verão de 1949.

    A crescente popularidade do andebol de sete, tanto no nosso país como internacionalmente, levou à gradual extinção do andebol de onze, que desde há alguns anos deixou completamente de se praticar.