Ponto de exclamação

Ponto de exclamação ( ! )

Como os sinais de pontuação anteriores, o ponto de exclamação é principalmente sinal de fim de frase. Confere à frase um sentido de surpresa, admiração, ou exclamação. Manifesta o envolvimento de sentimentos.

Ex. : A Joana teve 20 valores a Português!

Porque está ligado à expressão de sentimentos, o ponto de exclamação é usado com tipos de estrutura frásica . determinada. A par de frases completas como a anterior, aparece também com frases truncadas.

Ex.: Que lindo!

O ponto de exclamação é usado no fim da frase, entre parênteses, para manifestar admiração, como anotação e em textos informais.

Ex. : Aos cinco anos o geniozinho sabia perfeitamente ler e escrever.(!)

O ponto de exclamação é pouco frequente quando se compara com os outros sinais de fim de frase. Ocorre mais frequentemente em transcrições de passagens dialogadas, discurso directo de ficção e em poesia. No texto expositivo formal, usa-se para chamar a atenção do leitor e dar ênfase a ideias fulcrais. Para evitar o risco de banalização pelo uso em demasia pode preferir-se uma expressão mais racionalizada que assente na força expressiva das palavras. Há autores, no entanto, que preferenciam um estilo enfático de expressão popular e que usam para isso o ponto de exclamação com frequência, como Aquilino Ribeiro e Miguel Torga, para mencionar só dois exemplos.

O ponto de exclamação aparece frequentemente com reticências.

Ex.: -Não, não há nada a fazer!... -esmoreceu o pobre rapaz, no fundo ainda a animar-se com a ironia da desgraça.- Que remédio senão conformar-se com o destino de caranguejo, casar com uma carangueja e rodear-se de muitos caranguejinhos...

(José Gomes Ferreira, As A venturas de João sem Medo, p. 172-173)

Com ponto de interrogação.

Ex. : -Esta gente que faz? -perguntou a um companheiro já maduro no ofício. -Contrabando.

-Contrabando!? Todos!? E as terras, a agricultura? -Terras!? Estas penedias?!

(Miguel Torga, Novos Contos da Montanha, p. 29)

Por vezes, aparecem exclamações em série.

Ex. : -Fale! Discurse! Pregue! Maravilhe-nos com o seu

verbo!

(José Gomes Ferreira, As Aventuras de João sem Medo, p. 141)

Exclamações em série podem ser separadas por vírgulas.

Ex.: Por te cruzarmos,

quantas mães choraram,

quantos filhos em vão rezaram!

.(Fernando Pessoa, Mensagem, p. 70)

EXERCÍCIOS

Ajuíze da utilização ou não utilização dos pontos de exclamação nas frases seguintes.

1. Ao ver a bola que se projectou na faixa de rodagem à minha frente, travei. Algo do fundo das minhas divagações gritou: -Cuidado. Atrás de uma bola vem sempre um miúdo.

2. -Pára. -disse a mãe. -Atravessas a rua comigo.

3. A minha festa é no domingo. Não te esqueças!

4. É preciso boas estradas para encurtar as distâncias!

5. A hereditariedade joga um papel importante no aparecimento da obesidade!

6. Os números traduzem significativamente a importância da

escolha Ç1ue fazem. Todas são profissionais verdadeiramente conscientes. Têm a preocupação de escolher com a maior das imparcialidades.

7. Ah, mas a decisão do grupo não foi essa. 8. Vais chegar mesmo ao topo, hem.

9. Que bom! Reconheceram o nosso trabalho. 10. Quantas vezes se joga só por jogar! 11. Como é linda a praia ao pôr do sol.

12. Estranho. Pensei que tinha as chaves na carteira. 13. É fácil, é barato, dá milhões.

14. Oh, quão doces as lembranças da meninice.

15. Brindemos à saúde dos presentes.

16. Este governo vai conter a inflação! Vai reduzir os impostos! Vai melhorar o nível de vida dos habitantes deste país!

17. Ganhámos as eleições.

18. Desta vez perdemos! Na próxima podemos ganhar.

19. Feche os olhos, respire fundo, e relaxe!

20. Não me venham com mais mas. Agora é só pôr mãos à obra.

Voltar ao início