TEMA: O AQUECIMENTO EM EDUCAÇÃO FÍSICA E DESPORTO

 

Porquê o Aquecimento Vantagens e efeitos do aquecimento sobre as grandes funções  Aspectos musculares
Aspectos cardiovasculares 
Efeitos biomecânicos
Efeitos neuro-musculares

- O AQUECIMENTO é uma condição indispensável a toda a sessão de Educação Física e Desporto qualquer que seja a sua natureza. Com efeito, os alunos vão ser solicitados no conjunto dos seus recursos e na procura da eficácia do movimento.

 

DEFINIÇÃO: Denominamos AQUECIMENTO a todo o protocolo de exercícios ou de tratamento preliminar de uma sessão de actividade física que permita que o sujeito atinja as condições óptimas (físicas, fisiológicas e psicológicas) com a finalidade de realizar as melhores prestações possíveis.

 topo

Porquê o Aquecimento

Quanto maior for o nível de um indivíduo numa determinada prática física, maior terá de ser a duração e a especificidade do seu aquecimento. Desta forma, a alto nível, para actividades de elevadas necessidades energéticas e técnicas, a duração do aquecimento pode ser superior a 1 hora e 30 minutos. A nossa intenção não é a de aplicar o aquecimento utilizado no alto nível para a prática escolar, mas sim de extrair dele as implicações fundamentais que permitam ao professor por em prática uma metodologia útil.

O aquecimento possui diversos objectivos que podem ser expressos em três rubricas:

- Prevenir lesões ao elevar a temperatura dos músculos em actividade e aumentar a lubrificação articular,

·      Aumentar o rendimento; um músculo cuja temperatura diminui em relação à normal, vê a sua contractilidade e o seu rendimento diminuir,

·      Melhorar as prestações; o aquecimento permite o aumento da velocidade de contracção do músculo, da potência desenvolvida e muito simplesmente da capacidade de trabalho físico.

 

 topo

 

Vantagens e efeitos do aquecimento sobre as grandes funções

 

Aspectos musculares

O aumento de temperatura local, no plano muscular, (passagem de 37 º a 38º centígrados) provoca uma diminuição da viscosidade muscular (frottements no interior do músculo); os músculos, os tendões e os ligamentos tornam-se mais estiráveis, o que proporciona uma diminuição do risco de lesão.

Sabe-se que o aumento de temperatura permite melhorar a capacidade de separação do oxigénio (O2) fixado pela Hemoglobina e como tal o seu rendimento de utilização (cerca de 15% por grau centígrado elevado). O músculo contrai-se mais rapidamente e com mais força. Além disso, a capacidade de utilização de substâncias energéticas e de oxigénio são incrementadas devido a um aumento da irrigação sanguínea em direcção aos músculos envolvidos. Enfim, o aquecimento permite aumentar a velocidade das reacções enzimáticas.

 topo

Aspectos cardiovasculares

O aquecimento provoca uma adaptação cardiovascular mais rápida. Permite um aumento do consumo máximo de oxigénio (VO2máx), da frequência e do débito cardíaco, de débitos musculares locais e da pressão arterial. Além disso, para uma mesma intensidade de esforço, as concentrações de lactatos no sangue diminuem.

 topo

Efeitos biomecânicos

Através do aquecimento, a elasticidade articular dos ligamentos e dos tendões melhora assim como também melhora, de uma forma notável, a lubrificação das articulações. Estas modificações, provocam uma melhoria na fluidez e na eficácia do gesto prevenindo os problemas articulares.

 topo

Efeitos neuro-musculares

Os influxos nervosos propagam-se muito mais rapidamente a uma temperatura de 38,5º do que a 37º.Com efeito, pode-se observar um abrandamento na velocidade de condução se arrefecermos a fibra nervosa, o que modifica a velocidade de contracção muscular e a velocidade de reacção do indivíduo, assim como os parâmetros psíquicos propícios à prestação motora tais como a vigilância, a atenção, a percepção, a concentração e a motivação.

topo

 

 

Voltar