OS PERIGOS DA INTERNET

 

- ALGUNS CUIDADOS A TER COM O SEU USO –

 

 

 

O fenómeno da Internet é, sem dúvida, algo de muito positivo, uma vez que nos abre as portas da informação global, de uma forma que não sonharíamos há alguns anos atrás. Poder ler a maioria dos jornais do mundo tocando apenas algumas teclas; ter acesso a um sem número de enciclopédias; ou simplesmente ver que filmes estão no cinema, são uma parte ínfima da vastidão de temas e materiais que se podem conseguir na Net. No entanto, quando uma porta como esta, se abre, é natural que algumas coisas negativas por ela entrem. E se algumas delas não terão uma importância por aí além, outras requerem alguns cuidados por parte de pais e educadores.

 

 

QUE PERIGOS?

 

Nem sempre é tarefa fácil distinguir entre aquilo que é, ou não, perigoso/ilegal. Dos riscos que “saltam à vista”, a pornografia é, desde logo, o mais conhecido. O acesso é fácil e os materiais abundam. Mais grave, a pornografia infantil é, infelizmente, outro dos problemas da Net, embora o acesso não seja tão fácil como para a primeira. Não faltam também os sites de conteúdo racista, xenófobo, ou de puro incitamento à violência. No entanto, por vezes o perigo pode vir de uma conversa aparentemente inocente tida num programa de conversa a distancia, o “chat”.

Por todas estas razões convém que crianças e adolescentes sejam orientados na sua “navegação” e que, na medida do possível, aprendam a lidar com as situações que se lhes deparem.

 

Alguns dos perigos mais habituais são:

 

o     Visionamento de material impróprio (ex: pornografia)

o     Incitamento à violência e ao ódio

o     Violação da privacidade

o     Violação da lei

o     Encontros “online” com pessoas menos recomendáveis

o     Drogas

 

O QUE FAZER?

 

Em primeiro lugar recomenda-se aos pais que comecem por conversar abertamente com os seus filhos, alertando-os sobre o lado negativo da Internet e aconselhando-os a evitar os seus perigos. Orientar é sem duvida melhor que proibir.

 

O crime também existe na Net e está configurado na lei. É assim possível apresentar queixa às autoridades, quando tal se justifique. Embora não seja fácil em algumas situações trazer os culpados perante a justiça, cada vez mais vêm a publico casos em que os criminosos são efectivamente julgados e condenados (pedofilia, tráfico de crianças, crimes informáticos, etc.)

 

Existem alguns meios de controlar a “navegação”, que podem restringir aquilo a que a que a criança pode ter acesso. Alguma dessa informação encontra-se “online”, quase sempre em inglês (a língua que domina a Net), mas também se pode encontrar alguma em português. Para encontrar esses conselhos deve-se  usar um motor de busca  e procurar, por exemplo, “perigos da Internet”, ou “a Internet e as crianças”. Alguns desses motores de busca são:

 

www.sapo.pt       www.aeiou.pt        www.altavista.com        www.excite.com

 

 

ALGUMAS REGRAS QUE OS PAIS DEVEM ACONSELHAR

 

o     Nunca digas as tuas passwords a ninguém

o     Nunca dês informações sobre ti, de forma a poderes ser identificado (nome, telefone, morada, foto)

o     Não abras e-mails de quem não conheças (pode conter um vírus!)

o     Evita o envolvimento em discussões desagradáveis

o     Abandona os “chats” se alguém for rude ou desagradável contigo

o     Nunca deves ter encontros com “amigos” feitos online, sem a presença de um adulto, de preferencia os teus pais. (Na realidade não sabes quem esses amigos são)

o     Comporta-te sempre de forma educada

o     Pede ajuda aos teus pais e/ou aos professores quando tiveres algum problema

 

 

 

TRABALHO ELABORADO POR ANTÓNIO JOSÉ BASTOS