COMO É QUE NÃO FICÁMOS HISTÉRICOS NA CULTURGEST???

 

O “Grupo do Skate” ou o “Grupo das Muletas”, no PANOS em Lisboa

 

Entre os dias 16 e 18 de Maio, o Grupo de Teatro Histérico esteve no festival Panos, na Culturgest, em Lisboa. Foram três dias de grande emoção e agitação em que todos os envolvidos (17 alunos e 4 professores) puderam partilhar o seu trabalho com outros grupos de teatro, conhecer os escritores das quatro peças, bem como os respectivos encenadores e actores.

 

 

 


O Grupo viajou até Lisboa desanimado com a falta da Soraia, surpreendida três dias antes com uma apendicite e ainda preocupado com a falta de melhoras da Rute, de muletas desde um dos últimos ensaios… Logo à chegada à Pousada de Juventude, houve um assaltado: uma espécie de aviso para lembrar que estávamos em Lisboa e que Lisboa não é o Fundão! O skate que seria usado pelo Roberto foi roubado e com alguns telefonemas e trabalho de detective foi interceptado num autocarro a caminho do aeroporto. Por pouco não seguiu viagem para a Bélgica! E assim os Histéricos foram baptizados de “Grupo do Skate”…

No primeiro dia do Festival, assistimos a duas peças, sendo uma delas ADN, representada pelo AN!MAL do Círculo Cultural Scalabitano. O grupo pôde apreciar outra forma de trabalhar o texto de Dennis Kelly e, inclusivé, discutir com este pormenores da peça e da encenação. Os alunos receberam o livro com a edição das quatro peças representadas este ano no Panos e aproveitaram o momento de conversa com o escritor britânico e a encenadora Tessa Walker para pedir autógrafos.

No Sábado de manhã, os Histéricos visitaram a Feira da Ladra, Alfama e Baixa Lisboeta. Almoçaram na Culturgest e assistiram a mais três peças: “A Vida em Vénus”, “Escudos Humanos” e “Fim de Linha”. Na noite de Sábado, a Cláudia Batista sofreu um acidente na escada do Metro e teve de ser transportada até ao Hospital de São José para realizar radiografias e iniciar o seu tratamento. Passámos então a ser o “grupo das muletas”…

   No Domingo, sob orientação do professor José Luís e das cenógrafas Mariana, Ana Filipa e Rute, foram montados os cenários, adaptando “a rua”, “o campo” e “a floresta” ao auditório da Culturgest. Foram verificados os adereços e realizado o último ensaio. No papel de Lu, a Cláudia teve de aprender em poucas horas a integrar as duas canadianas como forma de expressão e meio de transporte por entre as árvores da floresta… No papel de Cátia, tivemos a Tatiana que foi para todos um exemplo de coragem e dedicação. Valeu-lhe ainda a sua experiência de actriz que lhe permitiu desempenhar a personagem como se tivesse acompanhado os ensaios desde Outubro!!

O auditório esteve cheio, mesmo em tarde de Futebol em que se discutia a Taça de Portugal. Na presença do Senhor Vereador da Cultura, o Dr. Henrique Dias que se deslocou de propósito a Lisboa e na presença do escritor Jacinto Lucas Pires, tradutor da peça ADN, os actores brilharam e todos estão de parabéns! Skate, muletas, muito trabalho e dedicação permitiram um grande espectáculo que divertiu e emocionou o público presente.

Quem vai ao Teatro, não vai ao Futebol?... Parabéns ao Sporting! Parabéns ao Grupo de Teatro Histérico, jogadores (mesmo os coxos) e ao seu treinador António Pereira!!


 

 Catarina Dionísio Crocker

 

PANOS 2008 - CULTURGEST LISBOA

 

Não vou esconder a emoção que senti quando vi o grupo de teatro Histérico da Escola Secundária do Fundão no palco da Culturgest. Na altura pensei como é bom ser-se recompensado pelo trabalho desenvolvido ao longo de um ano lectivo ao ver o nosso grupo cheio de energia a dar o seu melhor ao representar a peça ADN. Não pude deixar de olhar em volta para ver e sentir as impressões do público que também assistia à peça e o que vi foram rostos também eles muito emocionados, rindo ou quase chorando, a seguir com muita atenção tudo o que os nossos actores e actrizes faziam, diziam e sentiam. Não foi tudo fácil para nós. Tivemos uma actriz, Soraia, que sonhou pisar aquele palco, e que por ter sido operada à apendicite uns dias antes não pôde sequer assistir à peça. Felizmente a Tatiana aceitou o desafio de a substituir a três dias da vinda a Lisboa e salvou a peça dando a todos um exemplo de coragem e paixão pelo teatro. A nossa cenógrafa e figurante Rute não pôde estar em palco por ter caído durante um dos ensaios, teve de ser substituída pela Ana Filipa. Para terminar a nossa actriz Cláudia caiu na noite anterior à peça, torceu o pé e teve de levar para o palco um novo adereço, umas muletas. Foi preciso muita determinação e persistência e tudo valeu muito a pena. Foi sem dúvida um percurso de sucesso para o grupo e acho que posso falar em nome de todos: estamos muito orgulhosos de o termos conseguido. Resta-me só salientar que chegámos ao Fundão já de madrugada e no dia seguinte fui encontrando os histéricos a cumprir o seu dever como alunos, mostravam cansaço e sono mas lá estavam eles prontos para mais um dia de aulas. Parabéns!

António Pereira


UM EX-HISTÉRICO ASSISTE AO ADN NA CULTURGEST

18 de Maio de 2008

Um grande abraço a todos os Histéricos que rebentaram hoje com a Culturgest e que dignificaram este Grande Grupo de Teatro!!! 

 Uma das coisas melhores que me aconteceram, ou que eu fiz e que guardo na minha memória foi a minha passagem por esse grupo de teatro, tantas recordações, tantos bons momentos passados na companhia de todos os Histéricos da altura e que foram recordados hoje com muita saudade e vontade de poder estar outra vez em palco com um grupo de teatro fantástico como este!!!

Ex-Histérico, Rodrigo Silva