Índice do Site Questões Frequentes Pesquisar no Site Produção do Site Opiniões sobre o Site Sites úteis para a disciplina de Psicologia Bibliografia Geral placard para comentários Chat Room - Psicologia
Voltar à página inicial  

 
 
Consultar:

Objecto da psicologia

Metodologias em Psicologia

 Psicologia Aplicada

 

 

INFO: Apesar de todo o trabalho de laboratório e controlo de variáveis muitas vezes elementos fundamentais passam despercebidos e apenas em circunstâncias reais acabam por ser verificados (é o que sucede com muitos medicamentos que acabam por ter de ser retirados do mercado quando se verificam contra-indicações graves desconhecidas na altura do seu lançamento).

 

 

Testes de Avaliação

 
- Ajuda à utilização do Site
- Pesquisas no Site

 

 

 

Unidade 1.2.3 - Método Experimental

O Método Experimental baseia-se no método científico comum à maioria das ciências. É defendido pelo Behaviorismo mas utilizado por outras correntes de psicologia. O seu objectivo é permitir conhecimentos sobre comportamentos comuns a um grupo de pessoas.

Fases do método

  1. Hipótese Prévia - Estabelecimento de uma relação causa-efeito explicativa de uma situação. Pretende relacionar a presença de um facto (situação) com a modificação de outro (comportamento).
  2. Experimentação - Fase de verificação da hipótese. Nesta fase é determinante o rigor das observações e controlo da situação experimental:
    1. Controlo de variáveis - Elementos que constituem a situação de estudo relativamente à alteração ou manifestação de um comportamento cuja natureza se desconhece. O objectivo desta fase é comprovar se o efeito que a variáveis independentes provocam na variável dependente é aquele que se supusera na hipótese.
      • Dependente - Elemento que constitui a modificação do comportamento a explicar surgindo como a variável de resposta, consequência da variável independente.
      • Independente -  São os factores supostamente responsáveis pela situação e que vamos manipular e controlar para verificar a variável dependente. Aparecem ligadas à situação ou à personalidade.
      • Externas - Elementos de uma experiência que não são controláveis ou sucedem inesperadamente mas que podem influenciar uma experiência, podendo-se estudar essas condicionantes relativamente a:
        1. Ao sujeito - Atitudes e expectativas do sujeito observado ( Efeito de Hawthorne = A atenção prestada ao trabalho de um sujeito aumenta o seu desempenho mesmo sob condições adversas)
        2. Ao observador - Atitudes, expectativas, estatuto, credibilidade e personalidade do observador (o psicólogo pode colocar o indivíduo à vontade ou provocar um grau de tensão)
        3. Às condições - As condições ambientais devem ser iguais relativamente aos sujeitos observados: local, hora do dia ...
    2. Registo de observações - Para garantir o rigor das observações e permitir a análise dos dados por investigadores independentes
      • Registos de ocorrências e duração de comportamentos
      • Escalas de classificação - Níveis de frequência de um facto
    3. Controlo de condições - Validação da informação
      • Grupo Experimental - Grupo de sujeitos onde é testada uma variável independente sendo que as restantes condições e constituição devem ser iguais ao grupo de controlo para permitirem a comparação de resultados.
      • Grupo de controlo ou testemunha - Grupo de sujeitos em que as condições da experiência são mantidas inalteráveis, garantindo assim os dados resultantes da observação do grupo experimental 
      • Amostra - Conjunto de indivíduos onde decorre a experimentação, sendo constituído a partir da segmentação do universo a estudar. A amostra deve ser significativa e representativa da população a estudar.
        1. Amostragem simples (aleatória) - Quando a população a estudar é homogénea todos os seus membros possuem condições iguais para o estudo pelo que são escolhidos ao acaso.
        2. Amostragem estratificada - Quando a população a estudar é heterogénea os diversos grupos devem estar representados pelo que é necessário seleccionar a amostra, recorrendo-se aqui a técnicas da estatística.
      • Trabalho de Campo - Verificação da hipótese em situação real
  3. Generalização - Estabelecimento das conclusões pela generalização dos dados da amostra para o universo a estudar.

 

Apesar de toda a preocupação no controlo da experiência determinados erros podem surgir nas diversas fases:

  • Planificação - Possibilidade de erros na elaboração da amostra, na selecção das variáveis e no controle experimental.
  • Isolamento de variáveis - Determinadas elementos terão uma reacção diferente a um conjunto de variáveis presentes ao mesmo tempo e não a cada uma individualmente
  • Generalização - A amostra pode ser insuficiente ou demasiado selectiva.

A estes há ainda a acrescentar os problemas éticos na produção de condições experimentais (lesões físicas ou mentais por exemplo) o que leva ao recurso à experiência em animais (hoje igualmente alvo de contestação social) e à experiência invocada:

A Experiência Invocada é realizada aproveitando as circunstâncias acidentais de um fenómeno, constituindo um estudo paralelo de factos que só costumam serem observados em laboratório pelo seu caracter excepcional. É assim que a existência de catástrofes ou guerras permitem o estudo real de situações daí resultantes. por outro lado questões éticas impedem a produção de determinadas experiências (separar gémeos para analisar o seu desenvolvimento, provocar lesões cerebrais, etc.), restando por isso o aproveitamento de acontecimentos fortuitos. Esta foi a técnica mais utilizada para o estudo do cérebro mesmo ainda antes da existência de aparelhos modernos.

 

 

 
  Versão 4 - Actualizada em: 14 Nov 2002  
     

| PSIQUE | Unidade1 | Métodos | Introspectivo | Experimental | Observação | Clínico | Testes | Psicanalítico | Inquéritos |