Alcino Simões e Conceição Saraiva Ago 99

TEXTOS DE APOIO AO ACOMPANHANTE
COMISSÃO   DE   ACOMPANHAMENTO   LOCAL  

Actividades nas  Reuniões

Nas Escolas no Ano Lectivo de 1999/2000

  ASSUNTO: Horário dos professores de Matemática do Ensino Secundário.(07/07/1999)

  

No próximo ano lectivo 99/2000 iremos acompanhar os professores de Matemática do Ensino Secundário dessa escola, efectuando um trabalho de cooperação entre docentes, divulgação de actividades e discussão do programa de Matemática, especialmente no que se refere 12º ano de escolaridade.

 

À semelhança de Ofícios Circulares de anos anteriores, o Departamento do Ensino Secundário irá brevemente enviar a todas as escolas um Oficio Circular onde se solicita que sejam criadas condições para um bom funcionamento do acompanhamento local de Matemática. Nomeadamente, que os professores das disciplinas do programa ajustado (10º, 11º e 12º anos) tenham no seu horário “três horas livres comuns, sempre que possível em consenso com as escolas vizinhas”.

 

De modo a minimizar o prejuízo das actividades lectivas e à necessidade de coordenação de reuniões entre os professores acompanhantes, os professores dessa escola e os de outras vizinhas, solicitamos a V. Eª que sejam disponibilizadas nos horários dos professores de Matemática do 12º ano (10º e 11º anos, se possível), bem como o(a) delegado(a) de grupo, os seguintes tempos lectivos:

Terça-feira das 14H30 ás 18H30

                                                                                    Com os melhores cumprimentos,

                                                                        Pela Comissão de Acompanhamento Local

(Em   08 / 09 / 1999)           Vimos por este meio apresenta-nos como acompanhantes locais do programa ajustado de matemática do ensino secundário, de acordo com o Oficio Circular nº 129/99 de 19/07/99 do Departamento do Ensino Secundário.

 

As reuniões do Acompanhamento Local de Matemática para esta escola serão marcadas da mesma forma que do ano anterior. Assim, quando for o momento de reunirmos nessa escola solicitamos a disponibilização de alguns meios que forem necessários.

  

Solicitamos ainda que nos seja preenchida a tabela seguinte para que seja possível efectuar um trabalho mais ajustado e adequado à realidade escolar.

 

Gostaríamos que estas informações fossem entregues pelo delegado ou seu representante no dia da reunião marcada no fax conjunto.

                                            Com os melhores cumprimentos,

A Comissão de Acompanhamento Local


----------------------------------------------------------------------------------------------------------

COMISSÃO DE ACOMPANHAMENTO LOCAL   

DO PROGRAMA AJUSTADO DE MATEMÁTICA DO ENSINO SECUNDÁRIO

Ano Lectivo de 1999 / 2000

 Escola ___________________________________________

Distribuição de Professores/Turmas

 

10º ano

11º ano

12º ano

Nome do(a) Professor(a)

Turma

Alunos

Turmas

Alunos

Turmas

Alunos

             
             
             
             

 

DESDOBRAMENTO

10º ano

11º ano

12º ano

Sim 

nas turmas

Não

nas turmas

Sim

nas turmas

Não

nas turmas

Sim 

nas turmas

Não

nas turmas

           

       

LIVRO ADOPTADO NO 12º ANO 

________________________________________

__________________________________________

__________________________________________

 Muito Obrigado

 

          Vimos por este meio solicitar a presença dos professores que leccionam a disciplina de Matemática do 12º ano, o Orientador(a) de Estágio e o respectivo Delegado, para uma reunião a realizar       na Escola  ...

 

 

 

na Segunda-feira,  dia  27/ 09 / 99  entre as 15H00 e as 18H00,

com a seguinte ordem de trabalhos:

1 -  Informações;

            2 -  Reflexão crítica sobre a planificação anual;

            3 -  Probabilidades

            4 -  Outros assuntos.

 

 Nota 1 : Pedimos que os professores levem o programa, o livro adoptado e a sua planificação anual do 12º ano de matemática. 

Nota 2  : Nesta reunião poderão participar outros professores de Matemática que estejam interessados.

  

Na concretização da metodologia proposta cabe ao professor ser simultaneamente dinamizador e regulador do processo de ensino-aprendizagem, criando situações motivadoras e adoptando uma estratégia que implique o aluno na sua aprendizagem e desenvolva a sua iniciativa.

                                                           Matemática Programas , 10º 11º e 12º anos

 

 

na Terça-feira,  dia  12/ 10 / 99  entre as 15H00 e as 18H00,

 

com a seguinte ordem de trabalhos:

1 -  Informações;

            2 -  Combinatória;

            3 -  Resolução de problemas e sua avaliação;

            4 -  Outros assuntos.

 

Nota 1: Pedimos que os professores levem o programa, o livro adoptado e a calculadora.

Nota 2: Nesta reunião poderão participar outros professores de Matemática interessados. 

O que se pretende acima de tudo é levar o aluno a compreender o porquê dos processos matemáticos(...)  

                                                                 (Sebastião e Silva, entrevista ao DN, 23-1-1968).

 

 

na Terça-feira,  dia  11/ 01 / 2000  entre as 15H00 e as 18H00,

 

com a seguinte ordem de trabalhos:

1 -  Informações.

            2 -  Funções III :  o programa ;  a calculadora; a modelação.

            3 -  Outros assuntos.

 

Nota 1: Pedimos que os professores levem o programa, o livro adoptado e a calculadora.

Nota 2: Nesta reunião poderão participar outros professores de Matemática interessados.

 

 

 “A modernização do ensino da Matemática terá de ser feita não só quanto a programas, mas também quanto a métodos de ensino”

(Guia para a utilização do compêndio de Matemática, 1º vol.).

 

 

 

na Terça-feira,  dia  11/ 01 / 2000  entre as 15H00 e as 18H00

 

com a seguinte ordem de trabalhos:

1 -  Informações.

            2 -  Problemas de optimização.

            3 – Modelação e trigonometria;

            4 -  Outros assuntos.

  

Nota 1: Pedimos que os professores levem o programa, o livro adoptado e a calculadora.

Nota 2: Pedimos que os professores levem questões que gostassem de ver discutidas.

 “São por vezes obstáculos  à aplicação do método heurístico os dois casos extremos que podem surgir numa turma: alunos muito bons e alunos francamente maus, especialmente os repeten­tes. Os primeiros estão sempre prontos a responder, não deixando tempo aos restantes para pensar. Os segundos criam uma atmosfera de desinteresse, porventura mesmo de indisciplina, ou então já conhecem a receita, que aprenderam no ano anterior, acabando as­sim por viciar o processo heurístico. Cabe ao bom senso do professor encontrar uma solução de equilíbrio.

 (Sebastião e Silva in “Guia para a utilização do compêndio de Matemática”, 1º vol.,1975).

 

 

·        dia  04/ 04 / 2000  entre as 15H00 e as 18H00, na Esc Sec de Alvaiázere

 

com a seguinte ordem de trabalhos:

1 -  Informações.

2 -  Complexos;

3 -  Classificação de composições matemáticas;

4 -  Outros assuntos.

 

 

Nota 1: Pedimos que os professores levem o programa, o livro adoptado e a calculadora.

Nota 2: Pedimos que os professores levem questões que gostassem de ver discutidas.

 “Um dos objectivos fundamentais da educação é, sem dúvida, criar no aluno hábitos e automatismos úteis, como, por exemplo, os automatismos de leitura, de escrita e de cálculo. Mas trata-se aí, manifestamente, de meios, não de fins. (Guia para a utilização do compêndio de Matemática).

Sebastião e Silva in “Guia para a utilização do compêndio de Matemática”, 2º/3º vol, pg 10-11,1975

 

 

na Quarta-feira,  dia  03/ 05/ 2000  entre as 14H30 e as 17H30

 

com a seguinte ordem de trabalhos:

1 -  Informações.

            2 -  Gestão Curricular do Programa de matemática do Ensino Secundário;

            3 -  Materiais didácticos de apoio à aprendizagem;

            4 -  Outros assuntos.

 

Nota 1: Pedimos que os professores levem o programa, o livro adoptado e a calculadora.

Nota 2: Pedimos que os professores levem questões que gostassem de ver discutidas.

 

Chegou-se a fazer crescer os rapazes numa planície matemática esterilizada e este­riliza­dora, capaz de sufocar qualquer objecção, qualquer diálogo. Porque se quiser­mos que o ensino da matemática seja autenticamente vivo e fecundo, deveremos apresentar uma ciência que se faz e não uma ciência já feita. A matemática não deve desprezar o con­creto, a matemática deve estar ligada à realidade física em que o pensamento mate­mático mergulha as suas raízes. E é sobretudo a geometria que serve de modo natural para a li­gação entre o mundo físico e a abstracção.

carta a Emma Castelnuovo, cit. em Ens. da Mat. Anos 80, SPM, Lisboa, 1982