TÉCNICAS E LINGUAGENS DE PROGRAMAÇÃO

Características Gerais de um Programa

 

 

 

 

 

O QUE É A PROGRAMAÇÃO ?

 

A programação é um processo pelo qual, um problema ou uma situação, pode ser automatizada com a ajuda de um controlador  ou computador, tornando assim todo o processo mais fácil.

Para o conseguir, torna-se portanto necessário proceder à análise do problema ou situação, conceber uma solução que se traduza numa sequência de tarefas ou operações a serem executadas de forma controlada, escolher uma linguagem de programação adequada á resolução do problema e que servirá para traduzir as operações pretendidas para uma linguagem que possa ser entendida pela máquina que as executará, conceber o programa, proceder ao teste e depuração do programa, proceder à elaboração da documentação necessária e finalmente proceder à distribuição e instalação final do programa.

A programação abarca portanto muitos aspectos e a todos se deve dar igual importância, se pretendemos que o programa funcione de forma eficaz, que seja fácil de utilizar e de actualizar

 

Podemos portanto sintetizar o processo de programação nos seguintes passos:

 

  • Definição e análise do problema - Um programa deve ser projectado de modo a permitir resolver os problemas a que se propõe, de um modo simples e eficaz.  O utilizador final, ou seja aquele que na realidade o vai utilizar, pretende uma ferramenta de trabalho, de uso simples, que lhe resolva os problemas e não lhe crie dificuldades suplementares devidas à sua complexidade. Nesta fase procede-se então à análise das necessidades em termos de entrada (Input) a introduzir, de saídas (Output) a obter, mapas , relatórios, para impressora, monitor ou ficheiros.

  • Desenho do algoritmo - Definição dos procedimentos necessários à resolução do problema, desde a validação dos dados (de modo a corrigir possíveis erros de operação) até à definição dos procedimentos de leitura e escrita em periféricos, cálculos, comparações, movimentações, etc.

  • Codificação e teste do programa - Após a definição do problema e da escolha da linguagem de programação a utilizar, procede-se então à elaboração do respectivo código, e ao teste e correcção de erros.

  • Elaboração da documentação - Esta fase ultima a elaboração do programa permitindo o conhecimento geral do programa, dos meios humanos e físicos (hardware) necessários, e ainda a descrição dos procedimentos de operação e manutenção do programa.

 

Programação Modular

 

O processo de programação como se depreende do que anteriormente foi dito, um processo longo.  Foi já referido também um processo de sistematização da elaboração de um programa, que tem por objectivo estabelecer um conjunto de tarefas indispensáveis à sua correcta elaboração.

 

Por outro lado, tal como acontece com a execução da maioria das tarefas, existem várias técnicas disponíveis para a sua resolução.  No campo da programação, tal como no artístico por exemplo, todas têm como característica geral a da aproximação sucessiva, ou seja, por etapas, desde um primeiro nível de esboço (mais ou menos superficial e sem detalhes) até um nível final detalhado em que foram tratados todos os pormenores.

 

Seguindo esta metodologia, podemos efectuar uma primeira abordagem da resolução do problema através da sua divisão em grandes módulos individuais com funções próprias e distintas dentro do programa.  Estes módulos são depois interligados e chamados por um módulo hierarquicamente superior que se encarregará da controlar a sequência de execução dos vários submódulos.

 

 

 

 

Note que esta não é uma técnica distinta de outras que veremos, mas sim complementar.  Nesta técnica devemos tentar que os módulos sejam, tanto quanto possível independentes uns dos outros de modo a poder testá-los individualmente, sendo o programa, neste caso, uma simples reunião de todos os seus módulos.

 

Como anteriormente foi referido, é aconselhável que se organize um programa modularmente, de forma que cada módulo possua uma função própria, como por exemplo:

  • Módulo funcional - onde são estabelecidas as características gerais e específicas do programa;

  • Módulo de inicialização - onde são estabelecidas as condições e valores iniciais do programa, e mensagens a usar;

  • Módulo de entrada de dados - onde se estabelece o conjunto de instruções de entrada e validação dos dados, para detecção de erros e omissões;

  • Módulo de processamento - onde sáo geradas as acções e procedimentos necessários para obtenção dos resultados pretendidos, devendo subdividir-se este módulo em submódulos elementares com funções especificas e diferenciadas;

  • Módulo de saída - encarregue de enviar os resultados para o extrerior;

  • Módulo de tratamento de erros - encarregue de efectuar uma validação de acções de processamento, em especial aqueles que envolvam a manipulação de periféricos;

  • Módulo de fecho - finaliza o programa, encarregando-se de efectuar as acções necessárias antes do fecho do programa.

Trataremos com mais pormenor desta técnica a propósito da elaboração de projectos, analisando então as suas vantagens e inconvenientes, bem como alguns exemplos de aplicação.

 

 

Programação estruturada

Esta é uma técnica de optimização da concepção lógica de um programa. Este método parte do princípio que qualquer programa, ainda que complexo, pode ser compostos em pequenas estruturas padrão, de fácil de fácil concepção e análise.

As vantagens da sua utilização são:

  • A generalidade das linguagens de programação implementam estas estruturas, encontrando-se normalizadas.

  • a sequência de operações é fácil de acompanhar, já que as estruturas elementares são simples

  • torna-se fácil testar e corrigir um programa concebido utilizando estas estruturas

 

 

Trataremos em diversos capítulos de todos estes aspectos