2. Gráficos

        Observou-se o número de golos sofridos por um guarda-redes em 30 jogos de futebol:

       3         4         0         3         1         0         2         3         1         1      

       1         1         0         0         2         2         2         4         0         1

       0         1         1         0         0         0         2         2         1         1

       Com estes dados vamos construir uma tabela de frequências absolutas e relativas.

 Nº de golos   Frequência absoluta   Frequência relativa
0 9 9/30=0,3=30%
1 10 10/30=0,33=33%
2 6 6/30=0,20=20%
3 3 3/30=0,10=10%
4 2 2/30=0,07=7%
Total 30 1=100%

        Com os dados da tabela é possível construir gráficos de barras, usando as frequências absolutas ou as frequências relativas.

      Nos gráficos de barras, os rectângulos que as constituem variam apenas numa das dimensões de acordo com a frequência absoluta ou relativa. As barras devem estar separadas por espaços iguais.

       Usando ainda os dados da tabela podemos também construir um gráfico circular.

                                  

Aqui refere-se às frequências absolutas.              Aqui refere-se às frequências relativas.

     Consideremos agora outra situação.

    Na Papelaria "Universal" foram feitos estudos de mercado. Contabilizaram-se as bolinhas coloridas vendidas, e procuraram saber quais as cores com mais saída. Para isso fizeram um estudo das vendas na 1ª semana de Janeiro.  No caso das bolinhas verdes os resultados obtidos estão na tabela seguinte:

10
6
4
5
7
Sáb 11

 

           

   Com os dados da tabela  construi-se um tipo de gráfico de barras diferente, ou seja, as barras foram substituídas pelos símbolos «bolinhas verdes» e o nº de bolinhas corresponde à frequência absoluta. Este tipo de gráfico chama-se pictograma.

        Nos pictogramas utiliza-se um símbolo sugestivo em relação ao tema em estudo. O símbolo ou símbolos utilizados devem ser do mesmo tamanho e separados por espaços iguais. O gráfico é mais sugestivo mas menos rigoroso que um gráfico de barras.

        Para concluir o estudo dos gráficos vamos considerar outra situação.

        As classificações dos 27 alunos de uma turma do 7º ano, num teste de Matemática, são as seguintes:

      60      50      30      25      60      85      40      18      78

      47      56      45      30      15      90      38      47      52

      53      52      50      48      75      93      63      75      69

      Para fazer a leitura dos dados, comecemos por agrupá-los em classes.

       Classificação     5-20     20-35     35-50     50-65     65-80    80-95
   Frequência absoluta       2        3        6        9        4       3

       Com os dados da tabela vamos construir um gráfico.

Quando os dados são agrupados em classes o gráfico que devemos usar para apresentar os dados deve ser um Histograma. Este gráfico é constituído por rectângulos adjacentes, tendo cada um por base o intervalo da classe e por altura a respectiva frequência