Evolução da População Mundial

Taxa de Natalidade

        Ao observarmos o gráfico da taxa de natalidade podemos verificar que há dois tipos de países. Alemanha,  Argentina, Austrália  e Bélgica (considerados países desenvolvidos) têm uma taxa de natalidade baixa, enquanto o Afeganistão, Angola, Bolívia e o Brasil (países em vias de desenvolvimento) têm uma taxa de natalidade elevada.

A que se deve?

Para os países desenvolvidos ultrapassarem o antigo regime demográfico, tiveram que se sujeitar à revolução industrial. Agora, a natalidade é baixa porque há um maior número da população feminina a ter acesso ao mercado de trabalho. Aumento dos encargos com a educação dos filhos tornando-se estes muito dispendiosos. Os pais têm de renunciar a certas actividades com o nascimento de um filho. As mulheres têm acesso à educação e recorrem a planeamentos familiares.

Nos países subdesenvolvidos a taxa de natalidade é elevada devido à inexistência de planeamento familiar, há também uma elevada percentagem de jovens que casam precocemente.  Devido à religião da maioria da população não podem usar métodos anticoncepcionais. Os filhos são uma fonte de rendimento. Ainda existe um baixo nível de escolaridade.

 Taxa de Mortalidade

Ao observarmos a taxa de mortalidade verificamos que continua a haver dois tipos de países: os desenvolvidos e os subdesenvolvidos.

Os países desenvolvidos têm uma taxa de mortalidade inferior devido ao avanço tecnológico no sector agrícola, o que proporciona o aumento de produção, melhoria da alimentação e protecção para determinadas doenças. Também na medicina houve avanços, o que possibilitou o combate de uma grande quantidade de doenças. Houve igualmente melhorias nas condições de trabalho, habitação e higiene.

Em alguns países subdesenvolvidos, a taxa de mortalidade é maior devido a uma alimentação deficiente, falta de higiene e ineficácia de meios médicos, condições de habitação precárias e contínuos conflitos armados. Enquanto outros já estando na primeira fase do regime demográfico, apresentam uma natalidade elevada e uma mortalidade baixa.

Os países desenvolvidos devido às suas baixas taxas de natalidade e mortalidade têm um crescimento natural muito reduzido e algumas vezes chega a ser nulo ou negativo. Portanto nesses países, o número de habitantes não aumenta e muitas vezes chega até a diminuir.

Os países em vias de desenvolvimento têm uma taxa de natalidade elevada e uma taxa de mortalidade proporcionalmente baixa. Portanto nesses países, o crescimento demográfico é acelerado. Normalmente, o crescimento demográfico é superior ao desenvolvimento económico, o que origina fome, miséria, desemprego e criminalidade.

Conclusão

 

A partir destes gráficos podemos constatar que nem todos os países estão na mesma fase  da evolução demográfica. Há países que já sofreram a revolução industrial, esses são os desenvolvidos, enquanto os subdesenvolvido como ainda não passaram pela revolução industrial apresentam as taxas acima referidas.

Consoante o gráfico do regime demográfico, a Alemanha, a Argentina, a Austrália e a Bélgica já estão no novo regime demográfico. Ou seja, têm uma taxa de natalidade e mortalidade baixa e consequentemente uma taxa de crescimento natural igu almente baixa.

Em relação aos países em vias de desenvolvimento, o Afeganistão e Angola ainda se encontram na primeira fase da  transição demográfica. Apresenta uma taxa de natalidade elevada, enquanto a taxa de mortalidade já começou a descer. A Bolívia e o Brasil já estão na segunda fase da transição demográfica, porque a taxa de mortalidade continua baixa verificando-se também a taxa de natalidade a baixar. 

 

Trabalho realizado:

Ana Filipa

Ana Paula     

Cláudio           

          Voltar