DESIGNAÇÃO DA ACÇÃO DE FORMAÇÃO

 

Estudo Acompanhado

Acção 21 / 2002

N.º Acreditação: CCPFC/ACC- 24745/01

Modalidade: Círculo de Formação

Duração: 25 horas

N.º de Créditos: 1,0 a 1,5

Formador: Manuel Paulo Ferreira Pereira

Destinatários: Professores do 2º e 3º Ciclos do Ensino Básico


 

RAZÕES JUSTIFICATIVAS DA ACÇÃO: PROBLEMA/NECESSIDADE DE FORMAÇÃO IDENTIFICADO

 

A reorganização curricular do Ensino Básico visa a realização de um princípio que é, simultaneamente, meio para e objectivo: a construção de uma escola para todos que proporcione uma formação e aprendizagens com qualidade e significado. Assim, são criadas três novas áreas curriculares, não disciplinares, com tempos próprios nos horários de alunos e professores (Estudo Acompanhado, Área de Projecto e Formação Cívica).

Face a esta realidade, novos desafios se colocam recriando-se diferentes conceitos de “Educação” e apelando-se ao desenvolvimento de novas atitudes e planos de acção que permitam lidar com a diversidade de situações educativas, os elevados índices de desmotivação docente e discente, o insucesso e abandono escolares, a fraca percepção da instrumentalidade da Escola e a transição estilhaçada entre os vários ciclos de escolaridade.

É dentro desta óptica de reorganização e renovação, que procura mudar algumas rotinas e concepções desajustadas, que surge este Círculo de Estudos, subordinado ao tema “Estudo Acompanhado.” Na medida em que a implementação de qualquer medida, projecto ou reorganização deverá ser precedida e acompanhada, ao longo do seu desenvolvimento, de uma reflexão e análise crítica propomo-nos através do debate de ideias, conceitos e práticas enriquecer esta nova realidade com a diversificação de experiências numa lógica inter e transdisciplinar.

 

EFEITOS A PRODUZIR: MUDANÇA DE PRÁTICAS, PROCEDIMENTOS OU MATERIAIS DIDÁCTICOS

 

Promover a reflexão partilhada e participada em torno do objecto, objectivos e resultados esperados da área curricular, não disciplinar,  “Estudo Acompanhado.”

Desenvolver técnicas, procedimentos e materiais de trabalho que permitam perspectivar a instrumentalidade subjacente à introdução do Estudo Acompanhado nas escolas.

Promover a troca interdisciplinar de experiências inovadoras com vista ao enriquecimento das práticas desenvolvidas pelos professores nas escolas.

Desenvolver estratégias que permitam simular a implementação  em contexto escolar de comportamentos autónomos e criativos no processo de ensino-aprendizagem.

Fornecer estratégias de acção que permitam elaborar planos de trabalho referentes ao acompanhamento e orientação dos alunos.

 

CONTEÚDOS DA ACÇÃO 

 

1- “Estudo Acompanhado”- Mais uma hora ou, antes, um espaço (inter)relacional diferente? 

 

2- Preparação do ano lectivo 

-         Relacionamento interpessoal

-         Plano de trabalho

 

3- Métodos de estudo e hábitos de trabalho 

-         Técnicas de estudo

-         Organização do estudo

-          Trabalho de/em grupo

 

 

METODOLOGIAS DE REALIZAÇÃO DA ACÇÃO 

 

Numa primeira fase, a metodologia a adoptar irá incidir na reflexão e discussão conjunta, sob orientação do formador, em torno do tema/objecto da acção e das práticas, dificuldades, resultados e necessidades sentidas pelos formandos nas suas escolas. Para esse efeito, o formador poderá sugerir sub-temas de debate e disponibilizará material de apoio para análise (textos, referências bibliográficas...).

O resultado destas reflexões conjuntas deverá depois ser sistematizado individualmente por cada formando em forma de trabalho/relatório para posterior análise e discussão conjunta.

Numa segunda fase serão apresentadas pelo formador sugestões de actividades a desenvolver em contexto escolar no âmbito da área curricular “Estudo Acompanhado”  (dinâmica de grupos,  desenvolvimento de métodos de estudo e hábitos de trabalho, trabalho de/em grupo). Após a apresentação destas sugestões, os formandos deverão elaborar um plano de trabalho a ser implementado nas escolas.

Os formandos deverão organizar “pastas individuais” onde, para além dos trabalhos realizados, poderão incluir reflexões pessoais, criticas, resultados de trabalhos de pesquisa, sugestões...

O formador disponibiliza os conteúdos (textos de apoio, referências, índices temáticos) em base on-line. As sessões de trabalho conjunto são realizadas , no âmbito do projecto Prof2000, usando técnicas de formação a distância.

O formador disponibiliza os conteúdos (textos de apoio, referências, índices temáticos) em base on-line. As sessões de trabalho conjunto são realizadas , no âmbito do projecto Prof2000, usando técnicas de formação a distância.

 

 

REGIME DE AVALIAÇÃO DOS FORMANDOS

 

Avaliação da participação nos debates e reflexões conjuntas.

Avaliação da planificação e organização dos planos de trabalho.

Grau de empenhamento em todo o processo.

Avaliação do conteúdo e criatividade da “pasta individual”.

 

FORMA DE AVALIAÇÃO DA ACÇÃO

 

Preenchimento de um questionário pelos formandos, no final da acção, cujos dados serão tratados pela Entidade Formadora

 

BIBLIOGRAFIA FUNDAMENTAL

 

BRANDES, Donna e PHILLIPS, Howard, Manual de Jogos Educativos- 140 Jogos para Professores e Animadores de Grupo, Moraes Editores, Lisboa, 1977.

ZENHAS, Armanda, SILVA, Carla, JANUÁRIO, Carlos, MALAFAYA, Cláudia, PORTUGAL, Isabel, Ensinar a estudar aprender a estudar, Porto Editora, Porto, 1999.

MARTO, Maria Natália Carvalheira, O director de turma e os alunos, Colecção Cadernos do CRIAP, ASA, 2000.

RODRIGUES, Carla, PEREIRA, Eduardo, SANTO, Laura, Estudo Acompanhado- 2º Ciclo, Texto Editora, 2000.

 COSME, Ariana, TRINDADE, Rui, Área de estudo acompanhado- o essencial para ensinar e aprender, Teorias- Guias Práticos, ASA, 2000.