Objectivos

 

 

 

                                                                

                                             

Estas oficinas de formação surgiram como resultado das reflexões que o formador e potenciais formandos vinham tendo desde há já alguns anos. Essas reflexões tinham um denominador comum essencial: por um lado, o reconhecimento da importância do desenvolvimento das competências gerais do currículo, fundamentais para um desenvolvimento global da personalidade das crianças, em especial para o desenvolvimento de um forte sentido cívico. Por outro lado, o reconhecimento, de que cada vez mais, as crianças surgem nas escolas do 1º C.E.B. com uma crescente e precoce falta de valores essenciais para uma correcta e progressiva vida grupal. E ainda a necessidade de encontrar estratégias adequadas para o trabalho intencional de competências visando a construção da cidadania, numa perspectiva lúdica e de fácil desenvolvimento nas escolas.

Desta reflexão surge-nos uma matriz de pressupostos e razões que justificam estas acções na modalidade de oficina de formação:

 

q       O reconhecimento da importância do jogo enquanto meio de excelência para o desenvolvimento das competências transversais gerais, nomeadamente as competências ligadas ao desenvolvimento de um conceito activo de cidadania.

q       O reconhecimento da importância do jogo para a potenciação de momentos/experiências pedagógicas onde a aceitação das limitações pessoais e das dos outros, a aceitação de normas estabelecidas e a importância do trabalho em grupo são fundamentais.

q       A constatação de que ainda não se dá a importância devida ao jogo enquanto meio facilitador de aprendizagens transdisciplinares, para além do mero desenvolvimento das competências motoras.

q       A necessidade sentida pelos professores de criação de instrumentos/ estratégias de apoio à prática de jogos, numa perspectiva integradora e potenciadora de aprendizagens que vão para além do domínio fisico-motor e, dada a preferência dos alunos por este tipo de actividade, da sua utilização de forma intencional na abordagem de conteúdos das diversas áreas disciplinares, reforçando o factor motivacional.

q       A vontade de contribuir para a concretização dos objectivos preconizados no Dec. Lei 6/2001 de 18 de Janeiro, que estabelece a Reorganização Curricular do Ensino Básico, nomeadamente no âmbito da Educação para a Cidadania, na perspectiva de uma visão integradora de saberes e de aprendizagens.

 

Os pressupostos enunciados levam à emergência de objectivos cuja satisfação teve como horizonte mais vasto uma tentativa de mudança das práticas pedagógicas do dia a dia docente e, naturalmente, a construção de materiais didácticos de suporte dessas mesmas práticas.

Assim, as mudanças mais sensíveis que se pretendeu introduzir na prática docente foram:

q       Que os docentes adquirissem competências que lhes permitissem utilizar, construir, adequar e avaliar jogos infantis como experiências de aprendizagem globais.

q       Que os docentes reflectissem sobre estratégias, materiais e contextos específicos visando estimular a utilização dos jogos no desenvolvimento das competências transversais do currículo no âmbito da Educação para a Cidadania.

q       Que os docentes integrassem o jogo nas suas práticas como promotor de contextos de aprendizagem de competências pessoais e sociais.