Estatística

       A importância da estatística pode ser vista através da sua utilização ao nível do Estado, de organizações sociais e profissionais, do cidadão comum e ao nível científico.

       O grau de importância atribuída à estatística é tão grande que praticamente todos os governos possuem organismos oficiais destinados à realização de estudos estatísticos. Em Portugal esse organismo é designado por Instituto Nacional de Estatística ( I.N.E.) e foi fundado em 1935.

        A estatística é responsável pelo desenvolvimento científico em geral. Para além da sua aplicabilidade nas ciências naturais, na medicina, na agronomia e na economia, a estatística constitui um suporte de cientificidade para as ciências humanas e sociais. É assim que ciência como a sociologia, a psicologia, a história e a pedagogia têm beneficiado de consideráveis desenvolvimentos e de aumento de credibilidade pública com a sua utilização.

        De uma forma sintética, pode dizer-se que a estatística é um conjunto de técnicas apropriadas para recolher, classificar, apresentar e interpretar conjuntos de dados numéricos.

       Assim, a estatística constitui-se fundamentalmente como método e não como uma teoria, pois o seu objectivo é descrever os fenómenos e não tanto explicá-los.

       Como a estatística é um ramo de matemática aplicada, os seus métodos são rigorosos e precisos. Apesar da objectividade que a matemática confere aos métodos estatísticos, deve ter-se em conta que os seus resultados incorporam alguma subjectividade. Tal subjectividade resulta principalmente da qualidade das medidas e das observações, o que é particularmente crítico no caso das ciências sociais e humanas.

índice

Bibliografia:

http://alea-estp.ine.pt

BRITO, C. e outros (2003). Mat 10 - 2ª Parte, Lisboa Editora.