SUJEITO

 

    O  sujeito encontra-se, em geral, à esquerda do verbo e constitui uma unidade sintáctica com uma função central.

    Designa quem pratica a acção ou designa a entidade acerca da qual se faz uma afirmação.

 

    Representação do sujeito

 

    O sujeito pode ser representado por

 

marca

 um determinante e um nome

       

                O rapaz caíu.

 

marca

um nome

 

                Coimbra foi capital da cultura.

 

marca

um pronome

 

                Ela é bonita.

 

marca

uma palavra ou expressão nominal

 

                Beber pode ser perigoso.

 

O   grupo do sujeito pode ser alargado e nele ser introduzido:

 

marca

um adjectivo, que se coloca à direita do nome.

 

                O comboio rápido já partiu.

   

    Em certas frases, porém, por uma questão de expressividade, o adjectivo pode ser colocado à esquerda do nome.

 

                Um belo quadro foi-lhe oferecido como presente.

                    Adj.

               

marca

uma preposição seguida de nome - complemento determinativo.

 

               O comboio de mercadorias é mais lento.

                                    c. determinativo

 

CLASSIFICAÇÃO DO SUJEITO

        O  sujeito adquire uma classificação própria consoante os elementos que o formam.

        O sujeito pode ser:

marca     simples - constituído por um só nome, acompanhado ou não de determinante.

               Paulo é actor.

              O Paulo é actor. 

marca composto - constituído por vários nomes ligados por coordenação.

                O Paulo e o Rui são bons rapazes.

marca     nulo subentendido - o sujeito não está expresso, não tem realização lexical, embora, pelo contexto, seja conhecido quem pratica a acção.

 

marca     nulo indeterminado - não se sabe quem pratica a acção. É um sujeito sem realização lexical, expresso pela 3º pessoa do plural do verbo ou 3º pessoa do singular seguida de se.

                Dizem que o homem era um forasteiro.

                Diz-se que nesse dia choveu muito.

marca nulo expletivo - surge na oração com verbos impessoais cuja acção não pode ser atribuída a um sujeito - verbos como trovejar, chover, nevar - sujeito sem qualquer realização lexical ou semântica.

                Ontem nevou muito na Serra da Estrela.

    Exercício

voltar