OS NAIPES DA ORQUESTRA

 

 

  Vamos imaginar que estamos sentados numa sala de concerto, com a orquestra distribuída à nossa frente, verificamos que o "conjunto razoavelmente grande de instrumentos" não é uma combinação ao acaso de todos os seus elementos. Esta combinação é uma unidade bastante organizada e equilibrada, composta por naipes ou "famílias" de instrumentos:

 

CORDAS

MADEIRAS (sopros)
 

 

 

METAIS (sopros)

 

PERCUSSÃO

  

Os instrumentos de cada naipe compartilham determinadas "características comuns à família". No naipe das cordas os sons são obtidos pela vibração produzida quando se passa um arco transversalmente nas cordas ou quando se dedilham as cordas. No naipe das madeiras e no dos metais os sons são produzidos pelo sopro do executante. Todos os instrumentos de percussão são percutidos ou agitados.

   A localização dos naipes da orquestra na plataforma de concerto obedece a uma razão prática. Por causa das características comuns a cada família, os instrumentos de cada naipe são dispostos lado a lado ou uns atrás dos outros, formando grupos. A plataforma é construída em planos sucessivamente elevados e os naipes são dispostos de forma a proporcionar um equilíbrio e uma combinação dos variados sons e timbres instrumentais. O regente (maestro) deverá poder ouvir cada instrumento com a maior clareza, assim como, cada instrumentista deverá poder ver o regente.

 

CORDAS

    O naipe de cordas é formado por: violinos; violas; violoncelos; contrabaixos e harpa.

 

MADEIRAS

    O naipe de madeiras é formado por: flautas e flautim; oboés e corne inglês; clarinetes e clarinete baixo; fagotes e contrafagote.

 

METAIS

   O naipe de metais é formado por: trompas; trompetes; trombones e tuba.

 

PERCUSSÃO

   Os principais instrumentos de percussão são: tímpanos (timbales); bombo; caixa; pratos; xilofone; celesta; castanholas; gongo (tantã); maracas; triângulo...