CESÁRIO VERDE

 

(1855 - 1886)

 


 

PERFIL BIOGRÁFICO

José Joaquim Cesário Verde nasceu em Lisboa em 1855. O pai era um abastado comerciante de ferragens, com estabelecimento na Rua dos Fanqueiros. Dedicava-se também à agricultura na sua granja de Linda-a-Pastora. Cedo, pois, Cesário Verde se familiarizou com o balcão e com a terra, com a cidade e o campo.

Aos 18 anos publica os primeiros versos e matricula-se (sem seguimento) no Curso Superior de Letras. Aí se relaciona com a mocidade letrada de então, principalmente, com Silva Pinto, amigo "para a vida e para a morte".

A partir daí vão saindo periodicamente as suas publicações: "Num Bairro Moderno"(1877), "Em Petiz" (1878), "O Sentimento dum Ocidental" (1880), "Nós" (1884). Não são bem recebidas pelos seus contemporâneos. Ramalho Ortigão, Teófilo Braga e Fialho de Almeida chegam a criticá-lo.

Queixa-se aos amigos de falta de saúde e morre com 31 anos, em Caneças, onde se houvera fixado à procura de bons ares, vitimado pela tuberculose.

Quando morreu, não reunira ainda em volume as suas poesias. Foi o seu amigo, Silva Pinto, quem editou em 1887 o Livro de Cesário Verde.

 


 

PERFIL POÉTICO

Cesário Verde é um poeta contemporâneo dos autores da prosa realista. Os seus textos, que vários autores integram no "lirismo realista", reflectem a herança literária da geração de 70 e a sua preocupação em procurar na realidade objectiva o ponto de partida da criação. Revela igualmente influências de poetas estrangeiros ( como Baudelaire ) e das tendências poéticas do fim do século, o parnasianismo e o simbolismo, sobretudo.

 


 

CARACTERÍSTICAS TEMÁTICAS

1 - A dicotomia cidade / campo

 2 - A questão social

 


 

LINGUAGEM E ESTILO

Vocabulário "realista", composto de termos concretos, técnicos ou de linguagem familiar; estrangeirismos.


Literatura e Artes Plásticas