Faculdade de Letras
Universidade do Porto
http://www.letras.up.pt/

Língua Portuguesa Oral

Expor – entrevistar – argumentar – descrever

Exercício 1.

(i)Seleccione uma imagem.

1 – Tibetanos       2 – Atlantis
3 – Man of the Year

(ii)Seleccione uma actividade.

a) Imagine um anúncio publicitário na imprensa que utilize uma destas imagens: invente o produto e crie o slogan.

b) Crie uma notícia auxiliada por uma das imagens.

c) Façamos de conta que uma destas imagens estava impressa na capa de um livro no escaparate de uma livraria. Sem saber nada sobre a obra ou sobre o seu autor, você compra-o, simplesmente porque gostou muito da fotografia exibida na capa. À saída da livraria, encontra um grande compincha que logo de caminho lhe pergunta que livro é aquele. Você não vai dizer a verdade.O que lhe responde?

d) Você é um fotógrafo de renome, autor de uma das fotografias, que se presta a responder às perguntas colocadas pela sua audiência (os seus colegas).

Exercício 2.

(i) Seleccione uma composição musical.

Fado da Alma Lusitana, António Vitorino d'Almeida

Modinha, Heitor Vílla-Lobos

Verdes Anos, Carlos Paredes

a) Trace a personalidade do autor da composição escolhida.

b) A música que seleccionou é o tema principal de um filme europeu. Resuma o enredo desse filme.

c) Nova audição das três composições. Coloque-se na pele de um viajante inveterado. Na sua mochila só há espaço para mais um disco. De acordo com esta amostra, indique o compositor que levaria consigo para:
— o deserto australiano;
— a Patagónia;
— a Guadalupe;
— a Baratária (a ilha de Sancho Pança, rodeada de terra por todos os lados);
— a ribeira do Porto.

Justifique a sua selecção.

Exercício 3.

SEGREDO

Sei um ninho.
E o ninho tem um ovo.
E o ovo, redondinho,
Tem lá dentro um passarinho
Novo.

Mas escusam de me atentar:
Nem o tiro, nem o ensino.
Quero ser um bom menino
E guardar
Este segredo comigo.
E ter depois um amigo
Que faça o pino
A voar...

Miguel Torga

 

BURRO

Vejam o burro, Camaradas
Esta zebra pequena vestida de lama bonita fofa
Tem quatro pernas de andar aos saltinhos
Duas orelhas ouvidouras de muito ouvir bem
Dois olhos espertos cheios até às lágrimas de paciência
O nariz do focinho muito fresco e macio.

O burro é burro, Camaradas?
Quem diz que é burro e despreza este companheiro?

Quem quiser ofender-me não me chame de burro
Quem quiser ofender-me não seja tão amável!
Quem quiser ofender-me inventa outra palavra
Porque chamar-me burro lembra-me burro mesmo
E não posso magoar-me com simpatia.

Não estou a defender o amigo útil somente
Não estou a pensar bem deste que faz o meu esforço e puxa
Não penso que ele me ouve tudo e puxa mais forte assim.
Há coisas deste companheiro para pensar melhor e espalhar.
Falo somente só de simpatia.

Mutimati
MOÇAMBIQUE

 

MINHA HISTÓRIA

Ele vinha sem muita conversa, sem muito explicar
Eu só sei que falava e cheirava e gostava de mar
Sei que tinha tatuagem no braço e dourado no dente
E minha mãe se entregou a esse homem, perdidamente.

Ele assim como veio, partiu, não se sabe p'ra onde
E deixou minha mãe com um olhar cada dia mais longe
Esperando parada, pregada na pedra do porto
Com o seu único velho vestido cada dia mais curto.

Quando enfim eu nasci minha mãe embrulhou-me num manto
Me vestiu como se eu fosse assim uma espécie de santo
E por não se lembrar de acalentos, a pobre mulher
Meninava cantando cantigas de cabaré.

Minha mãe não tardou a alertar toda a vizinhança
A mostrar que ali estava bem mais que uma simples criança
E não sei bem se por ironia ou se por amor
Resolveu me chamar pelo nome de Nosso Senhor.

Minha história é esse nome que ainda hoje carrego comigo
Quando vou, bar em bar, viro a mesa, berro, bebo e brigo
Os ladrões, as amantes, meus colegas de copo e de cruz
Me conhecem só pelo meu nome de Menino Jesus.

Chico Buarque

 

(i) Seleccione uma actividade.

a) Declamação memorizada do poema de Torga.

b) Discurso epidíctico em louvor da lesma/morcego/mosca/gato preto (seleccione um animal).

c) Pré-planificação de uma aula que congregue a abordagem dos três poemas.