Faculdade de Letras
Universidade do Porto
http://www.letras.up.pt/

Língua Portuguesa Escrita

1.
Expressões idiomáticas / idiotismos / frases feitas / grupos fraseológicos / cronolectos

Locuções privativas de determinada língua e que não se podem traduzir literalmente noutras. São expressões de uso comum cuja interpretação é captada globalmente sem necessidade de compreensão se cada uma das suas partes e sem entendimento do sentido literal. Correspondem, algumas vezes, a locuções estereotipadas que constituem vestígios de realidades que já só existem no plano da língua, mas cujo sentido original se perdeu.

2. Exercício

2.1. Associe cada expressão idiomática ao sentido correspondente

À balda
Abananado
Amargo de boca
andar no rego
Apertar o bacalhau
Apinocado
Arranjar um trinta e um
Bater a bola baixa
Bater a bota
Bater a caçoleta
Bater com a língua nos dentes
Bico-de-obra
Bota-de-elástico
Chico-esperto
Coca bichinhos
Coisa das arábias
Coisas do arco-da-velha
Com um grão na asa
Comer as papas na cabeça
Correr as capelinhas
Costas largas
Costas quentes
Dar a mão à palmatória
Dar água pela barba
Dar às de vila-diogo
Dar baile
Dar cartas
Dar com os burros na água
Dar de frosques
Dar música
Dar o berro
Dar um desconto
Deitar o olho
Deitar pérolas a porcos
Dizer cobras e lagartos
Drunfos
Empalmar
Emprenhar pelos ouvidos
Encher as medidas
Entrar nos eixos
Estalar o verniz
Estar à coca
Estar a leste
Estar à sombra da bananeira
Estar de maré
Estar de pé atrás
Estar de tanga
Estar taralhoco
Estar-se nas tintas
Esticar o pernil
Fazer orelhas moucas
Fazer ouvidos de mercador
Fazer vaquinha
Feito num oito
Ficar burro
Ficar no tinteiro
Ficar para lá do sol-posto
Ficar para segundas núpcias
Fazer Figura de urso
Ir a penantes
Ir à vida
Ir de vento em popa
Ir desta para melhor
Ir fazer tijolo
Ir livrar o pai da forca
Ir na esgalha
Ir na pirisca
Ir para o galheiro
Ir para o olho da rua
Ir por água abaixo
Ir-se abaixo das canetas
Lambe-botas
Choninhas
Meia dúzia de gatos pingados
Meias tintas
Meter a foice em seara alheia
Meter a unha
Meter a viola no saco
Meter água
Nabo
Não mexer uma palha
Não tugir nem mugir
Negócio da china
O fim da picada/macacada
Obras de Santa Engrácia
Paninhos quentes
Pascácio
Passar a ferro
Passar a perna
Passar as passas do Algarve
Passar-se
Passar-se dos carretos
Pau de virar tripas
Paz-de-alma
Pensar na morte da bezerra
Pesar figos
Pintar a macaca
Pintar a manta
Pôr com dono
Pôr nos cornos da lua
Por uma unha negra
Pôr-se a pau
Pôr-se ao fresco
Pôr-se nas suas tamanquinhas
Pôr-se no piro
Prometer mundos e fundos
Puxar o tapete
Puxar os cordelinhos
Riscar do mapa
Sem rei nem roque
Ser muito rodado
Ser unha com carne
Tapar o sol com a peneira
Ter uma pan
Ter uma pancada
Ter unhas
Tirar água do capote
Tirar o cavalinho da chuva
Tiro e queda
Toldado
Trazer água no bico
Zarpar
Zé-dos-anzóis
Zé-ninguém
Acabar
Alguém que assume responsabilidades de outrem
Alguém que é protegido por um poderoso
Alguém que se julga mais esperto
Andar de bar em bar
Antiquado
Ao acaso, aleatoriamente
Apresentar grande dificuldades
Bem vestido
Cobiçar
Coisa extraordinária
Comandar uma situação
Comportar-se segundo as normas
Convencer alguém
Cumprimentar
Desenganar-se
Desgosto
Desvendar um segedo
Dizer a alguém para ter mais respeito
Enganar
Enganar
Espantado
Fugir
Ligeiramente bêbedo
Morrer
Pessoa minuciosa
Problema grave
Provocar um problema
Reconhecer que errou
Ser tolerante
Acreditar em tudo o que se diz
Adiar para outra altura
Adulador
Amaldiçoar
Aquilo que não fica inteiramente resolvido
Calar-se, acatar uma situação
Comprimidos
Desaparecer
Desperdiçar
Deterioração de uma relação formal
Estar atento/alerta
Estar desconfiado
Estar em mau estado
Estar muito apressado
Estar predisposto a...
Estar sem fazer nada
Fazer uma sociedade
Ficar num sítio afastado
Ficar sem efeito
Fraco
Intervir em assuntos que não lhe dizem respeito
Ir a pé
Ir depressa
Não aguentar
Não dar importância ao que se lhe diz
Não saber de coisa nenhuma
Não se importar
Passar por uma situação ridícula
Poucas pessoas
Roubar
Satisfazer plenamente
Senil
Ser despedido
Uma situação que está a correr bem
Uma situação que não resulta
Acatar as normas
Estar sem dinheiro
Ficar espantado
Morrer
Alguém a quem a sociedade não dá importância
Alguém que não jeito para fazer algo
Atropelar
Bêbedo
Certeiro
Colocar atenuantes
Controlar uma situação não abertamente
Desenganar-se
Dormitar
Elogiar muito
Estar alheado
Experienciar uma situação má
Fazer desaparecer
Fazer muitas coisas energicamente
Fazer promessas infundadas
Fazer uma coisa mal
Fazer valer a sua posição social
Ingénuo
Irritar-se muito
Livrar-se de responsabilidades
Mandar embora
Muito calmo
Muito experiente
Muito magro
Muito próximo, íntimo
Não dizer nada
Não trabalhar nada
Negócio que dá muito dinheiro
Sair de um local
Sem normas
Ser doido
Tentar esconder uma coisa evidente
Ter capacidade
Ter intenções não reveladas
Ter uma avaria
Tomar cautela
Trabalhos que se arrastam indefinidamente
Trair
Ultrapassar

Soluções:


Deitar pérolas a porcos: desperdiçar
Dizer cobras e lagartos: dizer mal de, amaldiçoar
Drunfos: comprimidos
Empalmar: roubar
Emprenhar pelos ouvidos: acreditar em tudo o que se diz
Encher as medidas: satisfazer plenamente
Entrar nos eixos: acatar as normas
Estalar o verniz: deterioração de uma relação formal
Estar à coca: estar atento
Estar a leste: ficar num sítio afastado
Estar à sombra da bananeira: não fazer nada
Estar de maré: estar disposto...
Estar de pé a trás: estar desconfiado
Estar de tanga: estar sem dinheiro
Estar taralhoco: estar senil
Estar-se nas tintas: não se importar
Esticar o pernil: morrer
Fazer orelhas moucas: não dar importância ao que se diz
Fazer ouvidos de mercador: idem
Fazer vaquinha: entrar numa sociedade em pequenos assuntos do dia-a-dia
Feito num oito: em mau estado
Ficar burro: ficar espantado
Ficar no tinteiro: ficar por realizar
Ficar para lá do sol posto: ficar num sítio muito afastado
Ficar para segundas núpcias: adiar para outra altura
Fazer figura de urso: passar por uma situação ridícula
Ir a penantes: ir a pé
Ir à vida: morrer ir de vento em popa
Ir desta para melhor: morrer
Estar a fazer tijolo: estar morto
Ir livrar o pai da forca: estar muito apressado
Ir na esgalha: ir depressa
Ir na pirisca: idem
Ir para o galheiro: morrer
Ir para o olho da rua: ser despedido
Ir por água abaixo: uma situação que não resulta
Ir-se abaixo das canetas: não aguentar
Lambe-botas: adulador
Choninhas: fraco
Meia dúzia de gatos pingados: poucas pessoas
Meias tintas: aquilo que não fica inteiramente resolvido
Meter a foice em seara alheia: intervir em assunto que não lhe dizem respeito
Meter a unha: roubar
Meter a viola no saco: calar-se, acatar uma situação
Meter água: fazer uma coisa mal
Nabo: alguém que não tem jeito para fazer algo
Não mexer uma palha: não trabalhar nada
Não tugir nem mugir: não dizer nada
Negócio da China: negócio que dá muito dinheiro
O fim da picada/macacada: coisa extraordinária
Obras de Santa Engrácia: trabalhos que se arrastam indefinidamente
Pôr paninhos quentes: colocar atenuantes
Pascácio: ingénuo
Passar a ferro: atropelar
Passar a perna: atropelar
Passar as passas do Algarve: experimentar uma situação má
Passar-se: irritar-se muito
Passar-se dos carretos: idem
Par de virar tripas: muito magro
Paz-de-alma: muito calmo
Pensar na morte da bezerra: estar alheado
Pesar figos: dormitar
Pintar a macaca: fazer muitas coisas energicamente
Pôr com dono: mandar embora
Pôr nos cornos da lua: elogiar muito
Pôr-se a pau: tomar cautela
Pôr-se ao fresco: livrar-se de responsabilidades
Pôr-se nas suas tamanquinhas: fazer valer a sua posição social
Pôr-se no piro: fugir
Prometer mundos e fundos: fazer promessas infundadas
Puxar o tapete: trair
Puxar os cordelinhos: controlar uma situação não abertamente
Riscar do mapa: fazer desaparecer
Sem rei nem roque: sem normas
Ser muito rodado: ser muito experiente
Ser unha com carne: ser íntimo
Tapar o sol com a peneira: tentar esconder uma coisa evidente
Ter uma pan: ter uma varia no automóvel
Ter uma pancada: ser doido
Ter unhas: ter capacidade
Tirar a água do capote: livrar-se de responsabilidades
Tirar o cavalinho da chuva: desenganar-se
Tiro e queda: certeiro
Toldado: bêbedo
Trazer água no bico: ter intenções não reveladas
Zarpar: sair de um lugar
Zé dos anzóis: alguém a quem a sociedade não dá importância
Zé-ninguém: idem