Faculdade de Letras
Universidade do Porto
http://www.letras.up.pt/

Língua Portuguesa Escrita

Outras Escritas 2

Exercício 1

"A poesia deixa algo em cada leitor: uma sílaba, uma metáfora, um conceito, uma visão do universo. Cada verso é de natural ambíguo, tem duas caras, como certas pessoas que eu conheço, ou cem, ou mil. As palavras não dispõem apenas de uma carteira de identidade;usam várias, como os ladrões ou os contrabandistas. Costumam sair disfarçadas, ou incógnitas, ou fantasiadas como no Carnaval. O demónio da polissemia que habita nelas como uma segunda natureza, torna-as verdadeiros camaleões, que tomam a cor da paisagem ou do instante."

 

Ledo Ivo

 

Construa um enunciado explorando os diferentes significados de cada uma destas palavras:

 

caracol

verde

cabo

ceifar

cortar

remédio

fogo

fita

dar

Exercício 2

"Contar uma história não é mais que largar uma nova rede, digamos uma rede preta e branca sobre a primeira rede multicolor que liga os homens entre si, com a qual agarram a realidade e a fazem saltar entre eles, tal como os pescadores em círculo nos seus barcos fazem saltar os atuns para fora de água. A rede preta e branca não é uma rede minha e só minha — que importância poderia ter a rede de um só ser? Não tem sempre que haver pelo menos duas pessoas, além do peixe, para nos apetecer pescar — e também que haja uma rede à disposição? (...)

 

SAUVAGNARGUES, AnneMalditas palavras

 

Defina alegoricamente:

 

— língua

— tempo

— nascer

Exercício 3

Tâmara

 

Pura circunstância trazerem-me

num cesto levíssimo as tâmaras.

Com a boca peso três sílabas.

Com os olhos sou ávida.

Com as mãos repouso e saboreio

os frutos translúcidos.

 

Fiama Hasse Pais BrandãoObra Breve

 

Frutos

 

Pêssegos, peras, laranjas,

morangos, cerejas, figos,

maçãs, melão, melancia,

ó música dos meus sentidos,

pura delícia da língua;

deixai-me agora falar

do fruto que me fascina,

pelo sabor, pela cor,

pelo aroma das sílabas:

tangerina, tangerina.

 

Eugénio de AndradeAquela Nuvem e Outras

 

Eleja a palavra mais bonita da língua portuguesa — pelo som, pelo significado — e dedique-lhe um pequeno poema.