A-17- Projecto CASCO

Primeiros Passos  na utilização das TIC

 

Romantismo versus Realismo

 

 

 

 

Índice

 

* Diferenças entre Romantismo e Realismo

 

* Diferenças entre Realismo e Naturalismo

 

* Conclusão

 

* Definição de Realismo, segundo Eça de Queirós

 

* Exemplos na Pintura

 

* Bibliografia

 

 

 

 

 
Silva Porto

 

 

Ana Caetano

ESJML

 

 

Diferenças Entre Romantismo e Realismo

 

 

Romantismo

 

 

Realismo

-         Recorda o passado e, de preferência, a Idade Média;

-         A imaginação, a sensibilidade dominam a narrativa. Dá-se a interferência do narrador que, ora manifesta ou a sua simpatia ou repulsa , ora faz digressões;

-         Linguagem declamatória, afectiva e espontânea com reticências, exclamações, interrogações, etc.;

-         Gosto  pela paisagem macabra e horrenda e pelo descritivo idealizado “locus horrendus”;

-         Inspiração feita de arrebatamento;

-         Ideais monárquicos    

-         Olha o futuro e tem fé na ciência e no progresso – consequência è novela realista - naturalista, poesia panfletária, gosto pelos temas contemporâneos;

-         A observação do pormenor, a indiferença  e a impassibilidade do narrador dominam a  narrativa;

-         Linguagem desafectada, corrente e equilibrada com aperfeiçoamento da forma;

-         Gosto pela paisagem colorida e pelo minucioso e exacto;

-         Criação feita de reflexão e análise;

-         Ideais republicanos e socialistas.

 

 

 

 

 

 

Início

 

 

 

Realismo –  mais esteticizante, embora se apoie no que as ciências do século XIX, vinham afirmando e desvendando, não vai até à profundidade analítica  do Naturalismo, donde advém a sua a sua não - preocupação pela patologia ( característica do romance naturalista ).

 

Naturalismo  ( Posterior cronologicamente  ) – conduz a ciência para o plano da obra da arte, fazendo desta como que meio de demonstração de teses científicas,  especialmente de psicopatologia.

 

 

 

 

 

 

Realismo

-         retrata com certa isenção a realidade circundante;

-         encara a podridão social usando luvas de pelica;

-         desejo de sanar males sociais, perante os quais sente profunda náusea.

 

 

Naturalismo

      -    implica uma posição combativa;

-         análise dos problemas de uma sociedade decadente;

-         obra de arte – verdadeira tese com intenção científica;

-         controla a sensibilidade e analisa os males sociais com rigorismo técnico.

 

 

Início

Conclusão:

 

Realista e naturalistas comparam-se nos mesmos preconceitos científicos tendo em conta a atmosfera cultural, mas diferenciam-se no modo como aproveitam os dados de conhecimento na elaboração da sua obra de arte .

Nos autores portugueses  Realismo e Naturalismo, acabam muitas vezes por se confundir.

 

 

 

 

 

 

 

Início

 

 

 

 

 

 

 

 

O Realismo como nova forma expressão da Arte

 

 

“ Que é pois o realismo ? É uma base filosófica para todas as concepções do espírito – uma lei, uma carta de guia, um roteiro do pensamento humano, na eterna região do belo, do bom  e do justo. Assim considerado, o realismo deixa de ser, como alguns podiam falsamente supor, um simples modo de expor minudente, trivial, fotográfico. Isso não é o realismo : é o seu falseamento. É dar-nos a forma pela essência, o processo pela doutrina. O realismo é bem outra coisa: é a negação da arte pela arte ; é a proscrição do convencional, do enfático e do piegas. É a abolição da retórica considerada como arte de promover a comoção usando da inchação do período, da epilepsia da palavra, da congestão dos tropos.

É a análise com  o fito na verdade absoluta. Por outro lado, o realismo é uma reacção contra o romantismo :   o romantismo era a apoteose do sentimento; o realismo é a anatomia do carácter é a crítica do homem. É a arte que nós pinta a nossos próprios olhos -  para nos conhecermos, para que saibamos se somos verdadeiros ou falsos, para condenar o que houver de mau na nossa sociedade.”

 

                                                                   Eça de Queirós   

 

 

 

Início

 

Exemplos  na Pintura

         

 

 

Théodore Géricauult (França, 1781-1824 – Museu do Louvre)

Romantismo

 

 

 

Gustave Courbet- Os britadores de Pedra – marca o início do Realismo

 

 

 

 

Silva Porto - Impressionismo

 

 

 

 

 

 

Início

 

 

 

 

 

 

Bibliografia :

 

-         Casco.JML@Mail.prof2000.pt

-         GUERRA, João e Outros, Aula Viva, Porto Editora

 

 

 

 

Início

 

 

 

                                                                                 Elaborado  por :

                                                                               Ana Maria Ribeiro Caetano