9 - CONCLUSÃO

 

Os vírus são as partículas mais pequenas que se conhecem, que possuem características próprias da vida - a replicação. Segundo alguns cientistas, são formas intermédias entre a matéria viva e a matéria não-viva.
 
Os vírus podem conter uma cadeia única ou dupla de DNA ou de RNA, mas nunca os dois em conjunto, e podem ainda ser nús ou possuírem envelope.

A multiplicação dos vírus animais difere nalguns passos da multiplicação de vírus bacterianos, por causa das diferenças nos processos de síntese de macromoléculas em eucariontes e em procariontes.

Nem todas as infecções das células hospedeiras resultam em lise celular ou morte e por isso não causam doença imediata.
Em alguns casos, ocorrem infecções latentes, em que o vírus continua infeccioso, mas dormente no interior da célula hospedeira, e aparece espontaneamente em alturas mais tardias.

Alguns vírus animais causam transformações nas células hospedeiras que podem despoletar um processo cancerígeno.

Atendendo ao facto de serem parasitas intra-celulares obrigatórios o tratamento das doenças causadas por vírus são normalmente para cuidar da sintomatologia, não existem antibióticos específicos para eles.
Uma forma de evitar algumas das doenças virais (as que são mais antigas e ou mais conhecidas) é a prevenção por vacina.