Pequena nota sobre modelos, teorias e técnicas matemáticas aplicáveis às ciências de gestão; optimização.

Encontram-se profissões e serviços que carecem de estudo matemático para serem executados da melhor forma. Para muitas situações problemáticas e de escolhas de soluções para certos problemas de planeamento (principalmente de distribuições - postal, energia, alimentar, etc), encontraram-se propostas de solução que passam por tomar como modelo alguma coisa a que se chamou grafo (conjunto de pontos e de linhas unindo pontos).
As ciências de gestão são disciplinas que aplicam métodos matemáticos para resolver próprios, sempre que a melhor solução (óptima, ou mais razoável em termos de custos....) não pode ser encontrada pelo simples uso do bom senso ou do senso comum.Muitas vezes, também se uitlizam termos como investigação operacional para designar o trabalho de pesquisa dos matemáticos ou outros cientistas que se dedicam a resolver problemas de planeamento e gestão. Fala-se de solução óptima (e de optimização) quando um problema tem várias soluções que podem ser ordenadas por critérios de preferência (geralmente, medidas numéricas de bondade das soluções).
 
Para os problemas que estamos a tratar, os modelos são grafos (conjuntos de pontos e de linhas a ligar os pontos que estão relacionados).
 
As primeiras situações que vamos tratar utilizam grafos a que vamos chamar grafos de arestas, pois o que interessa tem a ver com a necessidade de percorrer as arestas - sem as repetir, de preferência - (problema do controle dos parcómetros, já abordado). Depois estudaremos situações em que o que interessa é visitar os pontos (- sem os repetir de preferência - utilizando os caminhos mais curtos) e falaremos de grafos de vértices (?).
 

Tarefa 1.2.
Identifique situações que tenham a ver com grafos de arestas e outras que tenham a ver com o que chamámos grafos de vértices. Explique as suas escolhas.

voltar ao sumário