Se eu quisesse voltar à porta de entrada  
 
dificuldades do passado
Nas andanças des te ano, aconteceu o que eu esperava. Muitas dificuldades que mais valia não existirem.

Foi preciso convencer os estudantes para trabalhar com persistência, cumprindo prazos. A minha persistência em marcar trabalhos semanalmente deu frutos lentamente. Agora, a maior parte dos meus artistas já apresentam, para serem vistos, os trabalhos que lhes são encomendados. Mas custou.

Foi preciso convencer os estudantes a ouvir e a ler, antes de começarem a fazer coisas, contas principalmente. Demorou muito tempo. Também demorou muito tempo a convencê-los a tirar notas nas aulas e ainda estamos longe de poder dizer que os estudantes utilizam bem o manual e os livros em geral.

Foi preciso convencê-los a fazer boas figuras, utilizando instrumentos de desenho. Foi muito muito dificil convencer as pessoas da necessidade do trabalho esforçado neste campo.

Foi muito dificil convencer os estudantes a escrever em português e a ter cuidado com a língua em que exprimem os seus conhecimentos e explicam as suas propostas de resolução dos problemas.

E finalmente foi muito dificil convencer os estudantes a utilizar bem o quadriculado como auxiliar do pensamento matemático. Porque é que usamos papel quadriculado?

As lutas travadas para combater as ideias e as práticas erradas dos estudantes no que respeita ao trabalho matemático foram feitas com persistência, utilizando instrumentos  próprios e consistentes com a avaliação.

As dificuldades passadas são as melhores. Já cá cantam.  O que era bom é que fizessem parte do passado, estivessem ultrapassadas. Mas isso raramente acontece.

 
   
    Exemplos do trabalho feito