HUMIDADE ATMOSFÉRICA

Humidade atmosférica é a quantidade de vapor de água existente na atmosfera num dado momento.

A energia solar faz evaporar uma parte da água existente à superfície da Terra. A água existente na atmosfera pode estar no estado gasoso, líquido ou sólido.

É através do CICLO HIDROLÓGICO que se processam as trocas de água entre a Terra e a Atmosfera.  Este ciclo é constituído por três fases: evaporação, condensação e precipitação.

Para além da temperatura ( da qual depende a evaporação), a distribuição das terras e dos mares é um factor importante na variação da humidade: esta é mais elevada sobre os oceanos do que sobre os continentes e à medida que nos afastamos do litoral a humidade vai também diminuindo.

É possível medir com rigor a quantidade de vapor de água que existe num certo volume de ar, em dado momento:

A condensação do vapor de água na atmosfera dá origem às nuvens. Estas são um conjunto de gotículas de água ou partículas de gelo, em suspensão na atmosfera. A condensação ocorre quando o ar não pode conter mais vapor de água a uma certa temperatura e dizemos então que o ar está SATURADO.

 

     Quando a Humidade Relativa atinge o valor de 100% dizemos que o ar está saturado. A partir desse momento pode ocorrer a  condensação (formação de nuvens) e a precipitação (chuva, neve ou granizo).

  No Inverno a evaporação é menor que no Verão pois a temperatura é mais baixa. No entanto, apesar da fraca Humidade Absoluta, é mais frequente chover. Isto acontece devido às baixas temperaturas, o que leva a uma mais rápida saturação do ar. Deste modo a condensação e a precipitação  ocorrem com mais facilidade.

Pelo contrário, no Verão a elevada temperatura faz com que, apesar de haver maior evaporação e de a Humidade Absoluta ser maior, seja difícil o ar saturar, sendo baixo o valor da Humidade Relativa.

TIPOS DE CHUVAS - de acordo com o factor que obriga o ar a subir (e portanto a arrefecer, levando à saturação e à condensação) as chuvas podem ser :

VOLTAR