Ser e-Professora numa Escola Básica Portuguesa: Uma Aventura na «Web» com «Alunos de Insucesso»


O presente artigo visa dar conta do projecto de Apoio Pedagógico Acrescido «online» (e-APA), desenhado e implementado pela docente Isabel Torre no decurso do terceiro período.

ETAPAS DO e- APA E SUA AVALIAÇÃO

Estando a leccionar Língua Portuguesa na Escola Básica 2,3 da Costa de Caparica, no final do segundo período deparei-me com o seguinte cenário: tinha quarenta e um alunos a frequentar o nono ano submetidos a Avaliação Sumativa Extraordinária, portanto, em risco de retenção e não havia possibilidade de lhes serem ministradas aulas de Apoio Pedagógico Acrescido presencialmente.

Assim sendo, questionei-me se não seria possível ministrá-las online. Recorri, então, à metodologia do inquérito por questionário, tendo verificado o seguinte: primeiro, os discentes possuíam aquilo a que habitualmente se designa por «literacia do computador», isto é, utilizavam frequentemente o «email» (63%) e costumavam navegar na Internet (66%); segundo, a maioria tinha acesso a computador e Internet em casa (83%) e, terceiro, estavam motivados para participar na aventura (67%).

Encontrando um terreno favorável à prossecução do projecto, falei com o presidente da Comissão Executiva Instaladora, que aderiu à proposta, e redigi uma carta, assinada, posteriormente, pelo referido gestor, dirigida aos encarregados de educação, contendo os objectivos, o modo de funcionamento, os requisitos e a avaliação do e-APA, bem como um destacável, visando a autorização para a frequência das aulas acima mencionadas. Desenhei, depois, o e-APA e implementei-o durante seis semanas.

Dos trinta e dois alunos autorizados, onze iniciaram o apoio e apenas um desistiu, por considerar que ia obter nível inferior a três na maioria das disciplinas. A taxa de aproveitamento foi de 82%, o que revela, indubitavelmente, o sucesso desta experiência. Os discentes manifestaram-se mais interessados e responsáveis, como afirmaram. A realidade de insucesso foi modificada: a quase totalidade dos alunos (82%) obteve sucesso.

CONCLUSÃO

Em suma, esta modalidade de apoio em Língua Portuguesa, dado o seu êxito, deve manter-se e, porque não dizer, ser alargada a outras disciplinas, como os alunos sugeriram.


Isabel Torre

 

Programa Prof2000 - 24-01-2018