o muro
 
Obrigatório ler:
  Faltava um quarto para a uma. Era meia noite em ponto.O sol brilhava no horizonte das trevas.
A 500 km de distância está um homem todo nu com um facalhão dentro do bolso.
Sentado num banco de pedra redondo com quatro quinas feitas de madeira, está a ler um jornal sem letras à luz de uma candeia apagada.
E o jornal dizia em letras bem gordas: um petroleiro na Serra da Estrela e um descarrilamento de um comboio em alto-mar.
E os mortos gritavam por socorro e as viúvas pelos maridos.
























 osad
C+S Luis António Verney em 11-02-1999 16:13:11
[voltar ao indice]