Tema: "Alunos, Pais e Professores, de fora e com(tra) a Escola?"   
Moderado por: Dr. Arsélio Martins - Escola Secundária José Estevão 
 
<Arselio> ola 
<madmonke> boas tardes 
<Arselio> Pelas 19 horas, iniciamos uma discussão sobre as relações dos pais com a escola. Também tratamos das relações dos professores e dos alunos (enquanto interessados externos) nas suas relações com a escola. Mas começamos pelas 19 horas que é a hora marcada pela organização. 
<madmonke> ok, vai estar mais gente, espero 
<Arselio> Espero que consigamos falar uns com os outros mantendo algum ritmo de conversa e não aquela atrapalhação havbitual de todos ao mesmo tempo e sem conversar de facto. 
<madmonke> para os abusos estou cá eu. Acho que se vai conseguir sim 
<Arselio> Está bem. Acho que isto não é para ser a paz dos cemitérios, mas também não é para ser uma sucessão de monossílabos. 
<madmonke> claro 
<Arselio> Volto pelas 19 horas, de acordo com o que está previsto. Se têm ideias sobre o que fazer para melhorar as relações dos pais, professores e alunos com a escola mantenham-se em contacto pelas 19 horas. 

<Arselio> O Arsélio está a chegar... 
<Arselio> Há questões? Todos conhecem o que se vai discutir? Como é que os pais são vistos pelos professores? Como é que os professores, por exemplo enquanto sindicalistas, são vistos quando aparecem na escola? 
<maas> como indispensáveis para a formação dos alunos/educandos 
<Arselio> Como é que os alunos da Associação de Estudantes ou do Conselho Directivo são vistos quando intervêm? 
<eb23ovar-pc5> como pessoas activas e interessadas em revolucionar 
   a escola para melhor. 
<OLIV1> Muitas das vezes como se fossemos crianças 
<Arselio> A ideia deste debate é desfazer algumas confusões sobre a intervenção do exterior e... como é que vamos encontrar espaços/possibilidades de intervenção que tornem a participação útil. A intervenção dos alunos é extremamente importante, mas padece de algumas dificuldades que tornam a intervenção frágil ... e por isso fácil de atacar como infantil.... 

<OLIV1> Qual a sua opinião sobre a intervenção das associações de estudantes na escola? 
<Arselio> que é necessária em seus âmbitos próprios e desgraçada quando é feita só sobre algumas da coisas mais mesquinhas ... 
<OLIV1> Se não houver uma associação de estudantes, muitas das vezes os alunos são postos num papel secundário dentro de uma escola, quando, na realidade são os actores principais. 
<Arselio> Olá, companheiros de luta pela intervenção de todos na escola de todos. Os alunos são os actores principais. 
<Mag> aliás arsélio, se não fossem os alunos tb não haveria professores... 
<Arselio> Como podem actuar os estudantes? Como? Para estudar? Ou para se defenderem dos professores?... 
<Mag> para tudo, creio 
<OLIV1> Não nos defendemos dos professores, defendemos os nossos direitos 
<eb23ovar-pc5> como pessoas activas e interessadas em revolucionar a escola para melhor. 
<Mag> aliás, a escola não deverá servir para transmitir currículos... apenas currículos. 
<eb23ovar-pc4> A escola para alguns pais é um armazem de crianças!!! 
<ib> Os profs tb lutam pelos direitos dos alunos...normalmente! 
<OLIV1> normalmente... ou raramente? 
<Luca> eu acho que geralmente o fazem!
<Arselio> Quem é que é contra as A.A EEE? Em abstracto ninguém. Mas no concreto, podemos ser contra algumas acções das AAEE. Ou não? 
<maas> se os alunos se dessem ao trabalho de defender sempre o seus direitos muito melhores estariam as escolas 
<Arselio> É verdade. Alunos activos ... melhor escola. 
<JaimSilva> Não é por serem associações que as suas acções são necessariamente boas ou más. 
<OLIV1> Mal ou bem, os alunos querem o melhor para a escola e para o seu futuro. 
<Luca> e os professores, não? 
<Arselio> Estou de acordo. E por isso é preciso concertar as acções com a realidade e procurar alterá-la ... 
<caranguejo> os professores são contra 
<Arselio> Contra o quê? 
<caranguejo> contra a escola ??? 
<JaimSilva> E quando há indivíduos ou associações haverá sempre exageros na defesa de "interesses". 
<ze> Ha uma guerra latente entre profs e alunos 
<maas> Insisto que dá trabalho, e talvez com a ajuda dos pais e dos professores a sua actuação seria mais forte e enérgica 
<Luca> não concordo que haja essa guerra 
<maas> eu também não e penso que os professores não sabem "lutar"com os alunos 
<OLIV1> Mas sem exageros viviamos numa ditadura 
<JaimSilva> Mas os exageros serão razão para não ter associações activas? 
<OLIV1> Não. 
<Arselio> Não vejo mal em fazer coisas excessivas (não demasiado que prejudiquem terceiros) se com a aprendizagem formos corrigindo... crescendo em graça e sabedoria... corrigindo o que fizemos mal... 
<APaisMarrazes> talvez dê trabalho mas certamente valerá a pena. Todos ganharão com isso 
<JaimSilva> Logo o que seria preciso era um maior espírito de colaboração entre associações. 
<Arselio> A guerra entre profs e alunos é de facto uma idiotice... no geral 
<Luca> claro que é 
<ib> E porquê guerra? 
<JaimSilva> As associações de Pais e Alunos são realmente bem aceites na escola? 
<Arselio> Pode em alguns casos tal guerra ter sentido... como todas as causa justas 
<caranguejo> sim 
<pl2> o que e que voces acham do que se passou na escola Marques Castilho em Agueda acerca da mudança de horarios e entrevista no jornal, nomeadamente de a A.P. ser consultada ou nao na questao da alteraçao de horarios. 
<esvouga> será que não podemos deixar de deitar as culpas para os outros?
<APaisMarrazes> Nem sempre. Ainda não existe espírito de parceria 
<OLIV1> Os alunos querem que hajam boas relações entre os professores e os alunos, é do nosso interesse 
<ze> Nao lhe chamem guerra, chamam-lhe o que quiserem. Mas oiçam falar muitos dos profs e muitos dos alunos e logo me dirão 
<JaimSilva> Existem reuniões periódicas com alunos e professores para os orgãos da escola explicarem o que fazem e porque o fazem? 
<eb23ovar-pc4> <JaimSilva> As associações de Pais e Alunos são realmente bem aceites na escola? 
<mang1> Nao sera necessario distinguir pais de associaçoes de pais?
<OLIV1> os alunos estão em minoria nessas reuniões 
<Arselio> Acho sempre bem consultar pais e alunos. 
<Alfredo> Em Ilhavo tem existido uma boa colaboração entre pais e a escola!!! 
<PL0> Penso que tudo e complicado, existem interesses da parte dos encarregado de educaçao preocumpam-se sobre a aprendizagem do seu educando e o receio da sua Avaliaçao fina do ano lectivo e na perspectiva do docente existe a preocupaçao que outras pessoas estejam a entrar no seu terreno pedagogico. Todos sao precisos para debater todos sao necessarrios para resolver os problemas do Ministerio 
<Arselio> Há sempre uma distinção entre o pai que trata de uma assunto muito pessoal e a associação que há-de tratar de assuntos mais vastos. São coisas diferentes na vida da escola. 
<APaisMarrazes> Concordamos com isso e se nos fizermos representar nos orgãos próprios teremos essa oportunidade 
<EB23Gaf> A Escola não deve ser só um espaço de saberes, mas também um espaço de "culturas" e lúdico. 
<oliv> mas muitas das vezes os alunos nem sempre são ouvidos na totalidade 
<JaimSilva> Porque não existem reuniões no início de cada período entre os professores de cada turma e os pais? Não seria uma boa maneira de fomentar a colaboração? 
<APaisMarrazes> E deveremos saber aproveitar essas culturas diversificadas pondo-as ao serviço da comunidade escolar 
<maas> muitos pais não comparecem nas reuniões porquê? 
<JaimSilva> Porque os Pais não são chamados a colaborar nas actividades da Escola? 
<mang1> As associaçoes de pais nao sao por vezes representativas dos pais mas apenas de um grupo social de pais urbanos com preocupaçoes especificas de acesso ao ensino superior 
<caranguejo> isso se os pais aparecerem 
<pl2>  Para todos: o que pensam da confederaçao. Deviam inicar o trabalho de baixo para cima, organizando primeiro as A.P. e so depois as concelhias e federaçoes, ou nao? 
<Arselio> Talvez. Recomendo as reuniões bem preparadas e capazes de trocas produtivas. Mas a maior parte das vezes as reuniões são espaços vazios de informação. 
<JaimSilva> Mas se as reuniões não são fomentadas os pais não aparecem, claro! 
<Alfredo> concordo 
<Luca> mas se são mal preparadas eles vão lá uma vez e não voltam 
<mang1> porque as preocupaçoes das A.P nao sao as dos pais no geral 
<Mag> nem sempre é assim 
<APaisMarrazes> talvez muitos pais ainda não apareçam nas reuniões porque umas vezes não são ouvidos e outras são culpabilizados pelas atitudes dos seus filhos 
<ib> Outras vezes aparecem, mas não participam... 
<JaimSilva> Se um corpo é desincentivado da participação, não participa... 
<Alfredo> mas a questão importante é porque é que os pais não aparecem mais vezes na escola? 
<eb23ovar-pc5> de Ovar gostariamos de receber pareceres sobre formas de inter-ajuda para encontrar soluçoes de melhor comunicaçao para os alunos, 
<esvouga> os pais tem também de investir nos filhos.. não só nas escolas mas também nas associações 
<Alfredo> Não serão ouvidos??? 
<EB23Gaf> a escola deve ser inclusiva e não para excluir ningúem. 
<PL0> Os pais nao aparecem, porquê? Perguntem ao Governo Central. Devia haver dispensa do seu trabalho para estar presentes na escola quando fosse necessario.
<maas> raramente os pais são chamados para receberem boas notícias dos seus educandos 
<eb23ovar-pc4> Se um corpo é desincentivado da participação, não participa... não percebo isto 
<APaisMarrazes> Da nossa experiência quando sabemos ir de encontro aos seus interesses a adesão é grande. 
<JaimSilva> Eu já fui a muitas reuniões de pais em que, com a sala cheia, se lamenta a falta de participação dos pais!... 
<oliv> os pais muitas das vezes não são é motivados. 
<mang1> dos seus interesses... 
<Arselio> Chegámos ao problemas da criação de condições para que os elementos da comunidade possam de facto intervir na escola. 
<Arselio> Vamos a sistematizar algumas das condições. Pode ser? Quem dispara? 
<APaisMarrazes> talvez numa primeira fase tenhamos que ir de encontro aos seus interesses  e numa segunda já poderemos pedir-lhe alguma colaboração 
<esvouga> quando fui dt tive sempre muitos pais, mesmo de alunos dos complementares 
<JaimSilva> eb23ovar-p: se os pais quando querem participar, são desencorajados nunca mais lá põem os pés 
<ib> conciliação de horários? 
<Luca> é importante... 
<JaimSilva> Regularidade das reuniões? 
<ze> Os professores queixam-se que os pais nao colaboram, mas quando eles começam a dar ideias ja acham que e um bocado de mais 
<mang1> 1ª condiçao - serem representativos e 2ª nao defenderem exclusivamente interesses proprios 
<Arselio> Poderíamos considerar reuniões com os pais fora das horas do trabalho normal. Isso ajudaria os pais? 
<Luca> objectividade nas reuniões? 
<Alfredo> Acho que sim, arsélio 
<OLIV1> As associações de pais deviam colaborar mais com a associação de estudantes, para sensibilação dos alunos, que, poderiam sensibilizar os pais menos informados 
<maas> muito provavelmente 
<ib> E os profs estariam disponiveis? 
<maas> porque não 
<mang1> depende 
<JaimSilva> Reuniões ao fim da tarde ou mesmo à noite ajudam alguns. 
<Luca> para outros poderá ser mais complicado 
<Arselio> Se marcássemos encontros perióddicos com a comunidade como se fossem paineis de debate sobre questões na ordem do dia... 
<Mag> não creio 
<esvouga> já fiz a experiência de horários nocturnos e diurnos e quem tinha de comparecer comparecia 
<Luca> acho que sever tem razão, o horário não resolve tudo 
<APaisMarrazes> durante este ano lectivo em muitas situações trouxemos os pais à escola  e conseguimos que debatessem connosco assuntos do interesse de todos : Foi mais difícil 
trazer os profs que ainda resistiram a dialogar com os pais . E alguns de nós  também somos profs 
<maas> há o querer trabalhar em conjunto 
<Arselio> Por exemplo: Se eu marcasse um encontro com pais para discutir problemas de avaliaçãoe explicar programas efectuados.. 
<ib> Então, afinal quem tem medo de quem? 
<Luca> os profs muitas das vezes não querem dar espaço aos pais... 
<APaisMarraz2> a aproximação da comunidade onde os nossos alunos estão é fundamental 
<esvouga> < já propuaz ao PAP para que se deslocassem às várias localidades do concelho para iniciar uma formação de pais 
<APaisMarrazes> Em situações mais formais, em que pretendíamos um debate sério e partilhado os profs. não aderiram 
<Arselio> Temos de vencer alguns dos abismos entre as partes. 
<APaisMarrazes> E alguns dos medos 
<esvouga> também concordo 
<mang1> de quem? 
<Arselio> Mas eu estou convencido que todos estão interessados em saltar o abismo. E todos têm medo de o saltar. 
<ze> Dizes bem, Arcelio. E como? 
<APaisMarrazes> afinal como poderemos entendermos se não ousarmos dialogar 
<mang1> quem nao ousa? 
<caranguejo> sim quem nao ousa?? 
<APaisMarrazes> Muita gente! 
<mang1> quem?????? 
<Arselio> Temos de fazer várias tentativas... Nada funciona se desistirmos face à primeira desgraça.. 
<Alfredo> Talvez não fose descabido alguns pais terem no seu horário direito a algum tempo semanal (1h?) para participar na escola? 
<esvouga> estou disposta a assumir esse projecto de formação. Já fizemos no concelho algumas experiências e tivemos a casa cheia 
<PL0> Tudo funciona é só querermos 
<mang1> nao acham que os exames nacionais e a consequente guerra as notas veio em parte destruir um clima de aproximaçao entre pais e prof. que se vinha verificando? 
<Arselio> Não vejo problema em assumir algum apoio social (com influência ao nível do emprego) aos pais para que eles participem nas escolas. 
<JaimSilva> Eu, em princípio, acho que não devem existir reduções para fazer coisas que deviam ser normais, e que são importantes para uma escola ou uma formação escolar. 
<APaisMarrazes> è óbvio que sim e nós que estamos a participar somos simultaneamente profs e já tínhamos essa prática enquanto profs e sempre conseguimos ultrapassar os obstáculos ou os mal entendidos
<Arselio> Devemos lembrar-nos que em muitos paises onde há participação dos pais, há pais que não trabalham para acompanhar os filhos 
<PL0> Quais sao as condiçoes economicas desses paises 
<APaisMarrazes> Afinal os pais são um importante recurso que pode ajudar a resolver situações de carência nas escolas 
<mang1> por vezes uma sobrepoe-se a outra. 
<maas> temos que pensar a nossa realidade 
<esvouga> neste ano de 1997/98, porque não propor no PA das escolas acções conjuntas nesta área? 
<caranguejo> marrazes alguem discute isso ?? 
<APaisMarrazes> Concordamos plenamente . Já é tempo de acabarmos com as capelinhas 
<Arselio> Melhores e piores condições económicas. Não é esse o problema. Vamos ter de criar alguns bons exemplos de participação dos apis e tentar apont´-los como caminho a seguir e isto precisa de pais, professores e alunos activos numa mesma comunidade.... 
<APaisMarrazes> e com o espírito corporativista de classes 
<AOS> É preciso ter muito cuidado com a participação dos pais na escola, pois, por vezes, (entenda-se que vivemos em Portugal numa chamada democracia - as pessoas julgam que desse modo sabem de tudo, podem dar opinião infalível sobre tudo) não trazem nada de novo, antes pelo contrário. 
<OLIV1> os alunos estão sempre dispostos a cooperar. 
<JaimSilva> Bons exemplos de participação, sim, mas também criar o hábito de ouvir os outros 
<JaimSilva> Muitas reuniões não continuam porque quem tem o poder não gosta de prestar contas. 
<Alfredo> Há casos de óptimas colaborações entre pais e escolas 
<JaimSilva> Mesmo não trazendo nada de novo, as pessoas devem ter o direito à palavra e ser ouvidas. 
<OLIV1> concordo 
<Arselio> O poder gosta de prestar contas? Não, mas tem de ser ensinado. E isso passa por saber que não dói. 
<Geraldes> Mecanismos de intervençao da comunidade na Escola, quer atraves dos pais quer das associaçoes empresariais, culturais, desportivas , jovens, so podem estabelecer-se se as Escolas tiverem capacidade/liberdade/autonomia/vontade para 
implementarem no concreto as propostas da Comunidade e se tiverem  $$$ para o fazer ... Senao ninguem vai acreditar, e a Escola no essencial da sua missao nao muda um bit pela 
participaçao dos pais e ou Comunidade... 
<esvouga> Temos de nos habituar à prestação de contas... um pequeno relatório é simpático, é rápido e serve de base a futuras realizações 
<Alfredo> De facto prestar contas às vezes doi..... :)) 
<PL0> Concordo mas penso que outras instituiçoes  tem que ajudar 
<JaimSilva> Isso, ensinar o poder a prestar contas! Como? 
<Alfredo> Mas o papel dos pais tb não é serem fiscais!! 
<Arselio> As pessoas podem fazer o possível, mas estão sempre com medo que lhes peçam o impossível 
<JaimSilva> Educação para a democracia, pela democracia. Não com disciplinas cívicas, mas praticando o civismo. 
<esvouga> começando por nós... se deres o exemplo vais ver que a aprendizagem se vai fazendo 
<PL0> Tantas Instituçoes sociais que telefonamos para resolver casos graves que alguns EE nao podem resolver e as Instituçoes nao se entendem 
<Arselio> E pensam também que as críticas são facas afiadas. Não as tomam como material a incorporar nas práticas. 
<JaimSilva> Ou seja, reuniões democraticas e pedagogicas com alunos serão a melhor aula de democracia. Alguém tem de arrancar. Porque não a Escola? 
<Arselio> Acho que sim. 
<APaisMarrazes> com certeza que os pais não pretendem ser fiscais.Apenas participar democraticamente , sem excessos e dentro dos limites que a lei lhes confere 
<PL0> Existem Isntituiçoes da Acçao Social aqui tao perto (Aveiro), e e preciso telefonar para a CMA, SS, etc 
<esvouga> Temos de aprender a criticar ideias e não pessoas. Tenho feito um esforço para aceitar as criticas como tal . Faz parte do processo de mudança 
<Arselio> Isso. Crítica para a mudança. Para o crescimento.... 
<maas> é o problema de defenderem os seus pontos de vista aos seus pares e parceiros, 
<APaisMarrazes> Só construiremos a mudança criticando as ideias e dando contributos para essa mudança, não só com palavras mas com actos 
<PL0> Quais sao esses actos? Refere exemplos 
<Arselio> Acho que sim. Que devemos propor coisas concretas. 
<Arselio> Reuniões depois das 19? Bem preparadas e espaçadas? 
<Geraldes> E fazê-las...
<Arselio> Mesas redondas entre professores e pais de uma dada turma? 
<mang1> o conceito pais/turma é mais importante que associações de pais 
<esvouga> não podemos defender A ou B porque é professor, pai ou aluno... como que a defender o nosso clube. Temos de chamar as coisas pelo seu nome e assumir os nossos papéis... senão que herança transmitimos aos jovens deste planeta?
<Arselio> Entrevistas com os pais sobre o que pensam da escola e passar isso aos professores e estudantes? 
<ib> Os Pais de Oliveirinha concordam com as reuniões por turmas! 
<APaisMarrazes> envolvimento activo no plano de actividades das escolas, em comemorações locais de interesse para a comunidade educativa: recuperar tradições .,etc. 
<Geraldes> Senao os pais conversam e depois vao-se embora , nao vêm o resultado da sua participação
<Alfredo> Será que os pais estão realmente interessados na escola ou no seu filho? 
<Arselio> Será que... Penso que mais vale tentarmos todos saber. 
<Arselio> Os pais interessam-se pelos filhos e é preciso que queiram interessar-se pela escola onde anda o filho. 
<APaisMarrazes> As reuniões por turmas e com a presença de todos os profs da mesma debatendo com os pais os problemas da turma são uma forma quanto a nós optima de implicar mais  uns e outros 
<Arselio> Os alunos andam na escola e é natural que queiram influenciar as decisões 
<ib> Mas só se interessam quando há problemas... 
<Geraldes> So se interessam se virem resultados da sua participaçao 
<OLIV1> As reuniões por turmas deveriam ter a participação dos alunos 
<JaimSilva> Claro "que os pais estão realmente interessados na escola ou no seu filho?" E se houver excepções, serão elas uma desculpa suficiente? 
<Arselio> Os professores vivem da escola e para a escola e precisam de saber o que os outros desejam 
<PL0> Sera que as escolas encontram-se minimamente construidas, para dar o melhor apoio. E que estamos no pelotão da frente dos euros 
<esvouga> será que os pais se interessam por si próprios? Terão 1º de gostarem deles próprios e depois aprenderem a gostar de si 
<APaisMarrazes> diríamos mais, é ir de encontro a esses desejos 
<OLIV2> a Associação de pais de Oliveirinha está de acordo com a reunião por turmas, mas haverá disponibilidade por parte dos elementos perante as normas actuais. 
<Arselio> Já experimentei reuniões com pais e alunos de uma mesma turma. Os resultados não foram muito animadores, mas tenho pena de não ter podido repetir. 
<Geraldes> Primeiro põe a escola a participar na comunidade, visivel a fazer coisas 
<esvouga> não desanimes e se conseguires mais um será uma pequena batalha ganha 
<ib> Porquê? O que terá faltado? 
<Arselio> Também já experimentei reuniões livres de alunos para tomar decisoes sobre projectos que estavam envolvidos e foi muito bom. 
<APaisMarrazes> Já participei em reuniões pontuais ao nível de turma e parece-me que ajudaram a resolver situações de impasse entre alunos e profs. 
<OLIV2> faltam varios aspectos que se complementam para o sucesso 
<OLIV1> Eswtão a esquecer-se dos actores principais. 
<maas> os alunos precisam de sentir integrados e participativos na vida da escola 
<Arselio> Penso que sim. 
<PL0> Ja exprimentei de todas as maneiras. Alguns Pais estao presentes para saber qual o seu DT e depois quando voltam ; Faltar ao Trabalho. Lutemos todos para uma escola melhor e necessario dispensa dos EE do seu trabalho 
<esvouga> também concordo 
<Geraldes> Tomar decisoes, ter poder, interferir ... isso falha , nao e oferecido aos pais, nem aos alunos... 
<oliv> é pena que muito boa gente não reconheça isso 
<Alfredo> Também temos que ser pragmáticos! Os pais e os alunos só se interessam em participar se isso lhes trouxer algum proveito, não será? 
<APaisMarrazes> ambém os alunos devem ser ouvidos e participar nas decisões de escola que os implicam 
<esvouga> Será? 
<Arselio> Uma coisa é ser reconhecido... outra é fazer o exercício no tempo próprio. 
<OLIV1> NÃO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! 
<ib> E quem são os beneficiados de uma escola aberta e dialogante??? 
<APaisMarrazes> Só deste modo poderemos esperar o seu envolvimento 
<esvouga> Todos 
<Giant> todos!! 
<OLIV1> Todos!! 
<OLIV2> sim os alunos devem ser ouvidos 
<ib> Eu estava a falar para os Actores principais!!! 
<PL0> Vou dar um exemplo. Tenho uma aluna desprotegida praticamente de tudo e de todos. Os Pais encontra-se em litigio a filha abandonada. Qual o papel da AP. e dos professores nao seu Rendimento Escola 
<Geraldes> O dialogo nao serve de nada se nao produzir mudanças visiveis 
<Arselio> Toda a gente está de acordo com mais envolvimento e com mais participação de todos os utentes. 
<OLIV1> E todos devem ser ouvidos 
<Alfredo> Isso mesmo! 
<JaimSilva> Mas dificilmente se produzem mudanças visiveis sem dialogo! 
<Giant> acho que sim 
<OLIV1> sim 
<ib> A Comunidade tem que encontrar uma solução, com a ajuda e intervenção da escola! 
<Alfredo> Mas é preciso haver mudanças visíveis! 
<Arselio> Temos de dar passos para fazer coisas que venham provar que a participação é benéfica. 
<esvouga> Mas para haver mudança temos de nos empenhar nela 
<ib> A Escola não pode resolver tudo! 
<Geraldes> O dialogo e para construir alguma coisa em conjunto 
<Giant> sim senhor 
<APaisMarrazes> Na nossa escola foi encontrado um espaço de diálogo com os directores de turma que parece ser importante e onde eles se sentem ouvidos. Nem sempre as sugestões por eles apresentadas são implementadas no entanto consideram-se ouvidos e nesse sentido já é um começo 
<OLIV1> Pode resolver os problemas dentro da escola. 
<Arselio> Concordo que tem de haver mudanças visiveis e que devemos dar visibilidade aos nossos pequenos exemplos de participação conseguida paara desfazer  as erradas ideias. 
<esvouga> Aqui está um começo 
<ib> Sim sem dúvida! 
<Giant> tambem acho que sim!! 
<oliv> concordo 
<OLIV1> eu também 
<Sala_de_Prof1> e bem grande 
<Alfredo> Eu também!! 
<Arselio> Estudar e sistematizar as experiências com as diversas partes a contar e analisar as experiências é ..... 
<AOS> Quando se dialoga tem que se ter competência para dialogar, ou seja, tem que se saber o que se dialoga... Ora muita gentinha não sabe do que fala, infelizmente a maioria! 
<APaisMarrazes> Daniel Sampaio num estudo que fez já nos alertava que a questão que os alunos mais apresentavam relativamente às escolas era que eles não se sentiam ouvidos 
<Arselio> um começo para que se multipliquem boas práticas de intervenção sem que haja quem espere milagres.... 
<mang1> ouvir e uma coisa. aceitar e outra 
<Sala_de_Prof1> imagino o q os pais vão pensar da vantagem de um debate em IRC 
<ib> Eu tb! 
<Arselio> argumentar é um passo. convencer é outro passo. passar de uma ideia a uma acção é outra coisa. 
<Geraldes> As escolas so podem assumir dialogos para mudar , nao para manter... 
<Arselio> mas é preciso transformar as ideias aceites em actos feitos. 
<maas> debater e chegar a um concenso é o que temos de em conjunto procurar alcançar!!! 
<OLIV1> e é preciso tomar decisões 
<APaisMarrazes> certamente não poderemos  cruzar os braços e esperar que a mudança aconteça por si, sem a nossa intervenção. Milagres? Se é que os houve talvez só em Fátima, o que eu duvido e mais sou de lá 
<maas> principalmente não ter medo de assumir essas decisões! 
<AOS> Acho que há aqui muita gente a fazer de conta, quero dizer a fazer figura de muito integrado nas coisas mais modernas... 
<pl1> Sera que os pais nao sao capazes de perceber que o dialogo tambem se faz em IRC? 
<ib> Com a dificuldade de quem se inicia nas TIC! 
<OLIV2> concerteza mas é preciso estar minimamente preparado 
<Arselio> Não percebi que havia perguntas só dirigidas a mim.
<Arselio> Em Tomar, como é que estão as relações com os pais e com os professsores e com os alunos. Dizem que está tudo bem e nada acontece? 
<esvouga> será que é tão dificil aceitar a opinião dos outros? Se não então de que é que temos medo? Vamos começar o trabalho... 
<Templario> Quem disse que está tudo bem? 
<APaisMarrazes>  Pode ser um perigo depositarmos  todas as esperanças de mudança nas TIC. Poderá votar-nos ainda mais à passividade 
<Arselio> Temos algumas ideias feitas (por fazer as boas) e temos as sugestões desta discussão... 
<Giant> ninguem 
<Arselio> Resta continuarmos a comunicar uns com os outros e tentar ir pondo em prática nos diveros locais o que aqui andámos a dizer que era necessário fazer... 
<JaimSilva> Mas quem disse que íamos "depositar todas as esperanças de mudança nas TIC"? 
<Arselio> Nunca deposito esperanças numa TIC... 
<APaisMarrazes> Não somos assim tão derrotistas , talvez já haja muita coisa boa feita: ainda pouco divulgadas 
<PL0> sugestoes para uma discussao objectiva, parece que as eleicoes autarquicas chegaram 
<JaimSilva> As coisas boas somos nós que as vamos fazendo (errando pelo caminho, claro) 
<pl1> Insecto da Apais de S.Bern. congratula-se com a discussao e despede-se desejando que continuem a existir acçoes deste tipo. 
<APaisMarrazes> Não será com os nossos erros que também vamos construindo um novo percurso 
<Giant> acho que sim 
<oliv> eu também 
<maas> temos que ter coragem de nos levantarmos outra vez e outra vez.... 
<Arselio> Estamos a ficar com tics? Voltamos ao tema. Vamos tentar dar alguma ajuda para a intervenção das associações nas escolas. Palpites concretos para coisa concretas. 
<esvouga> vamos ao cerne da questão : quem quer dar o pontapé de saida para a elaboração de um documento onde possamos depositar as nossas experiências... 
<APaisMarrazes> As vezes que forem necessárias e se preciso for arregaçar as mangas e trabalhar 
<Giant> eu tambem 
<Arselio> Eu publico tudo o que tiver interesse para melhorar a participação da comunidade na escola 
<Alfredo> Boa Arsélio! 
<esvouga> tenho algumas reflexões que foram publicadas no jornal local .. eis uma sugestão 
<Arselio> Podemos juntar -nos por esta via e pela via do correio electrónico para publicitar os nossos exemplos e depois preparar publicações de apoio às iniciativas 
<Sala_de_Prof1> é preciso mostrar aos enc.de educ. q um bom modo de comunicar com a escola e com os dir. de tuma é o e-mail 
<Arselio> Pode ser, mas ainda é muito restrito o uso. 
<esvouga> concordo 
<mang1> exacto. porque foram enviadas poucas mensagens para esta lista. 
<APaisMarrazes> Tambem as associações de pais poderão auscultar os alunos e serem intermediários na resolução dos seus problemas.O ano  lectivo  passado conseguimos reunir com os representantes dos alunos e tivemos grande receptividade e alguma coloboração ao longo do ano nas nossas iniciativas. 
<OLIV2> concerteza, será que os pais estão preparados 
<OLIV1> concordo 
<maas> esvouga podia enviar através de email aqueles que estão incritos 
<Sala_de_Prof1> aos q têm pc, claro! 
<ib> Os Pais de Oliveirinha concordam... 
<ib> Se quiserem ficam!!! 
<OLIV2> sim concordamos 
<Giant> tambem eu 
<ib> Em poucos minutos ficaram preparados para o IRC. para o e-mail tb é fácil! 
<Arselio> Estamos a chegar às 20h. Todos os que quiserem continuar esta discussão podem manter-se ligados pelo news 
<Geraldes> Definir onde e como e para que e quando e que a contribuiçao dos pais e alunos pode dar origem a modos novos na escola e nos professores , passado, aprender e passar palavra, mas sempre para seriamente assumir em conjunto a interferencia real para a mudança 
<APaisMarrazes> Gostaríamos de ver publicados os resultados deste debate 
<Alfredo> Bom, tenho que abandonar esta agradável e produtiva conversa porque a funcionária quer fechar a escola e lá esta´... horários são para se cumprir! Boa noite a todos e vamos preparar uma próxima porque acho que esta valeu a pena! 
<Arselio> Esta conferencia ou este tema continua na mailing-list alunos_pais_prof@mail.prof2000.pt 
<ib> Foi com grd prazer que Oliveirinha esteve presente, mas valores mais altos se levantam e em poucos minutos teremos que partir... 
<OLIV1> A Associação de Estudantes da Escola EB23 de Oliveirinha despede-se. Boa Noite, gostei de participar nesta produtiva discussão. 
<Templario> Ok! Obrigado! 
<APaisMarrazes> Embora não tenhamos quem nos ponha na rua temos filhos a quem dar jantar e mandá-los para a cama a horas decentes:foi um debate agradável, um pouco mais sério que o de ontem! 
<rodrigues> eb12de marzovelos sauda todos os participantes.Boa noite. 
<Arselio> Eu é que agradeço. 
<OLIV2> A Associação de Pais da escola EB2/3 de Oliveirinha, 
   despede-se com votos de muito boa noite 
<Mag> Seia, agradece a participação de todos e despede-se. Boa Noite. 
<eb23ovar-pc5> A lider de Ovar despede-se de todos os participantes no debate e agradece a presença dos pais que ainda aqui estão e dos que já tiveram de sair 
<Arselio> Boa noite. Meus caros, a vida continua na mailing list.... Vou retirar-me, mas nunca me despedirei de quem precisa de discutir... 
<Templario> Obrigado Arsélio! 
<Luca> boa noite e obrigado! 
<Geraldes> Calma , ninguem retira nada, fica tudo como material pedagogico 
<eb23ovar> Boa noite gostamos imenso de ter tentado participar neste debate, que no nosso ponto de vista, pelas ferramentas colocadas à nossa disposição mereciam desde já pela inovação que representa o melhor aproveitamento de todos estes meios, por isso reafirmamos que o nosso objectivo aqui é acima de tudo saber como um projecto tão extraordinário está a ser dinamizado, que como pais fazemos votos que toda a população escolar seja motivada e estimulada.
<JaimSilva> Então boa noite a todos especialmente ao Arsélio! 
<Geraldes> Bem hajas ARSELIO 
<Arselio> Sempre por aqui. Ao dispor.